Infarto do miocardio

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2318 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Infarto do Miocárdio

Disciplina: Fisiologia Humana
Professora: Roberta BistrotSilvestrin
Acadêmicas: Adriana Otaki,
Deise Chiele,
Láisa Boff,
Loreni De Lima Lisboa,
Valeska Pegoraro

Caxias do Sul, 24 de Junho de 2012.

Introdução

O infarto é a necrose de uma parte do músculocardíaco causada pela ausência de irrigação sanguínea que levam nutrientes e oxigênio ao coração. É o resultado de uma série complexa de eventos acumulados ao longo dos anos, mas pode ser caracterizado pela oclusão das artérias coronárias em razão de um processo inflamatório associado à aderência de placas de colesterol em suas paredes.
O desprendimento de um fragmento dessas placas ou a formação de umcoágulo de sangue, um trombo, dentro das artérias acarreta o bloqueio do fluxo de sangue causando sérios e irreparáveis danos ao coração.

Fisiologia Cardiovascular - O sistema circulatório é uma série de vasos sanguíneos cheios de sangue conectados a uma bomba (o coração). A pressão gerada no coração propele o sangue continuamente pelo sistema. O sangue captura o oxigênio nos pulmões e osnutrientes no intestino e então entregas essas substâncias para as células corporais enquanto, simultaneamente, remove resíduos celulares e calor para serem excretados.

A oclusão aguda de uma artéria coronária ocorre freqüentemente em indivíduos que já apresentam cardiopatia coronária aterosclerótica subjacente grave, sendo observada em poucos casos em pessoas com circulação coronária normal. Apósa ocorrência de uma oclusão coronária aguda, o fluxo sanguíneo nos vasos coronários cessa diante da oclusão, nesses casos observamos por um pequeno fluxo colateral proveniente dos vasos circundantes. A área de músculo que não apresenta fluxo ou apresenta um fluxo tão pequeno a ponto de não manter a função do músculo está infartada, esse processo é chamado de infarto do miocárdio.
Pouco depois doinfarto, pequenas quantidades de sangue colateral dirigem-se para a área infartada, e este fluxo combinado com a dilatação progressiva dos vasos sanguíneos locais, faz com que a área se torne excessivamente cheia de sangue estagnado. Simultaneamente, as fibras musculares consomem os últimos vestígios de oxigênio existente no sangue, fazendo com que a hemoglobina se torne totalmente reduzida eadquira tonalidade azul-escura. A área infartada assume uma tonalidade marrom-azulada, e os vasos sanguíneos na área parecem estar ingurgitados devido a ausência de fluxo sanguíneo. Nos estágios mais avançados, as paredes dos vasos tornam-se altamente permeáveis e permitem o extravasamento de líquido, o tecido torna-se edematoso, e as células musculares cardíacas começam a inchar, devido a diminuiçãodo metabolismo celular. Depois de algumas horas de ausência quase total de suprimento sanguíneo as células morrem. Se houver 15 a 30% do fluxo sanguíneo coronário normal em repouso, o músculo não irá morrer. Na parte central de um grande infarto, entretanto, não há praticamente nenhum fluxo sanguíneo colateral, nesses casos, o músculo morre.
As principais causas de morte após a ocorrência deinfarto agudo do miocárdio incluem:
Diminuição do débito cardíaco – choque cardíaco
Quando algumas fibras musculares cardíacas não estão funcionando, e outras estão muito fracas para contrair-se com força, a capacidade global de bombeamento do ventrículoafetado apresenta-se proporcionalmente reduzida. Conseqüentemente a força global de bombeamentodo coração diminui mais do que o esperado, devido adistensão sistólica. Quando as partes normais do músculo ventricular se contraem, o músculo isquêmico esteja ele morto ou simplesmente não funcional, em vez de sofrer contração é forçado para fora pela pressão que se desenvolve no interior do ventrículo, dessa forma grande parte da força de bombeamento do ventrículo se dissipa devido à protrusão da área de músculo cardíaco não funcional.
Quando...
tracking img