Imprensa investigativa e publicidade opressiva – limites legais à divulgação de procedimentos criminais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3359 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Marcelo de Carvalho


Imprensa investigativa e publicidade opressiva – Limites legais à divulgação de procedimentos criminais






























- 2 –
SUMÁRIO


1. Introdução
2. A notícia tratada como mercadoria: Sensacionalismo e a cultura do medo
3. Conclusão
4. Bibliografia



1. Introdução


Dentre as diversas modificaçõesobservadas, ao longo do Séc. XX, sobretudo, a partir de sua segunda metade, tem-se na consolidação da indústria da informação como um dos fenômenos de maior notoriedade. A indústria da mídia adquire, ao longo do século, um modus operandi capitalista, buscando constante atualização às necessidades de um mercado em constante expansão. Nesse diapasão de produção em série e lucratividade ilimitadaobservou-se o fenômeno da mercantilização de diversas formas relações humanas, onde toda e qualquer atividade produtiva tem que, necessariamente, estar vinculada a alguma forma de lucro. Sob esse contexto, situa-se a transformação da indústria da informação, que deixou de ser a atividade isolada de alguns idealistas que imprimiam seus periódicos nos porões de suas casas, tal como ocorria no séculoanterior, para transformar-se em poderosíssimos conglomerados econômicos, com elevados índices de lucratividade, além de influência decisiva na formação de conceitos e modus vivendi das pessoas.
Sob esse prisma de atividade industrial, voltada para a lucratividade ilimitada, o trabalho jornalístico cada vez mais se diversificou, em diversas áreas de interesses, com linguagem e forma deatuação próprias.Dentre essas diversas áreas, chama especial atenção a do chamado jornalismo investigativo, em especial, aquele voltado para a apuração e divulgação de fatos criminosos que possam atrair o interesse da coletividade. Vale acrescer que, com o aumento indiscriminado dos grandes centros urbanos, observa-se também, ao longo do Séc. XX, um extraordinário crescimento dos índices decriminalidade violenta, fato que passou a constituir objeto de preocupação mundial. Com isso, a massificação de informação sobre criminalidade e violência só fez crescer nas últimas décadas, criando um sistema que se retro-alimenta, na medida em que, quanto mais a criminalidade desperta interesse, mais ela é divulgada e, quanto mais ela se divulga, mais desperta interesse. Investe-se na cultura do medoindividual e coletivo, fazendo com que todos os indivíduos sintam-se vítimas até mesmo dos crimes que não sofreram, mas que sabem que foram praticados, disseminando também um anseio coletivo de vingança, a pretexto de se fazer justiça.

2. A notícia tratada como mercadoria: Sensacionalismo e a cultura do medo

Nos dias atuais, são diversos os canais de mídia, especializados emdivulgar e repercutir violência e criminalidade, tais como, programas de rádio e televisão em rede nacional, periódicos especializados, entre outras tantas fontes. Paralelamente à consolidação desse segmento do mercado de informação – o da repercussão de fatos criminosos – emerge uma questão a ser enfrentada pelos estudiosos do Direito e das ciências sociais, em geral, qual seja, se existem limiteslegais a esse tipo de atividade jornalística. Só para que se tenha uma idéia do que ora se sustenta, ao longo do processo do casal Alexandre Nardoni e Ana Carolina Jatobá, o pai do acusado chegou a ser agredido e ter o seu carro apedrejado, além de ter havido também, tentativas de agressão e ofensas ao patrono da defesa.
A necessidade de se atender demandas de mercado altamente rentável econstantemente crescente traz para a atividade jornalística algumas exigências em seu proceder. A informação para ser vendável tem ser capaz de atrair o interesse do grande público, além de possuir alguma utilidade pública, eventualmente.Com efeito, observa-se a fusão entre as noções de interesse público e interesse do público, transformando-se a notícia como forma de entretenimento.A par dessa...
tracking img