Humanitismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2847 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

O presente trabalho monográfico apresentará o Humanitismo tomando como base seu preceptor Joaquim Borba dos Santos, mais conhecido como Quincas Borba, que nos romances Machadianos “Memórias Póstumas de Brás Cubas” e “Quincas Borba” apresenta e explica a todos essa teoria.
Quincas Borba era um filósofo doido e esquisito, com constantes alterações de humor e ímpetos sem motivos, eraextravagante e desejava sua continuidade através dos tempos por meio de sua teoria “borbista”, de natureza “humorística”: o Humanitismo.
A pesquisa será iniciada partindo do contexto histórico da época em que foi fundada tal teoria. Tratava-se de uma época em que surgiram idéias novas em toda a Europa, idéias estas que vieram da Revolução Francesa em 1789, mas que ficaram abafadas pela naçãoeuropéia até meados de 1850. Época em que foram lançadas algumas correntes chamadas de ismos – liberalismo, positivismo, evolucionismo...- que mesmo inseridas no contexto brasileiro ainda pareciam absurdas no que se refere ao modelo social brasileiro. O Brasil ainda se encontrava como um Império em que a base econômica era o café, todo o sistema era escravista. Não há como misturar idéias modernas emuma estrutura social como era a do Brasil à época, não há como se combinar escravismo com liberalismo, não há como ser moderno e atrasado ao mesmo tempo.
O Humanitismo é uma visão irônica das filosofias que pregam uma visão da humanidade em uma essência única, sua maior oposição é ao humanismo em que o homem é o centro de tudo e há uma valorização total dele.
Machado de Assis busca por meio dosatos de seus personagens criticar, de maneira cômica, a situação do Brasil. O Humanitismo veio como uma sátira a todos esses ismos, principalmente ao positivismo e ao humanismo que pretendiam salvar o mundo e o homem por meio da bondade e autossacrifício em prol do outro. No humanitismo aparece o pensamento pessimista e absurdo e o homem aparece como um ser imperfeito, cheio de falsidades, demaneira que um cão pode ser mais fiel e amigo que ele.
O presente trabalho monográfico pretende explicar o que é o Humanitismo mais profundamente buscando seu conceito e seus fundamentos dentro das obras de Machado de Assis, trata-se de uma análise da obra partindo da própria obra. Pretende também relacionar a teoria pura de Quincas Borba com análises feitas por diversos autores renomados queprocuraram interpretar a teoria dentro de uma perspectiva mais ampla, além de comparar e contrastar essa teoria com tantas outras surgidas no mesmo período dando uma atenção especial ao humanismo que foi a que o Humanitismo mais se opôs fazendo um paralelo entre os dois.



Capitulo 1

O humanitismo foi percebido pelo filósofo Joaquim Borba dos Santos, personagem de Machado de Assis que ficou maisconhecido como Quincas Borba, diz-se que foi percebido e não criado porque o humanitismo já existia e sempre esteve presente na natureza. A natureza é humanitista desde os primórdios dos tempos, desde as mais primitivas espécies às mais avançadas. “A onça mata o novilho porque o raciocínio da onça é que ela deve viver, e se o novilho é tenro tanto melhor: eis o estatuto universal.”(memóriaspóstumas de Brás cubas p??).
Machado de Assis fez de Quincas Borba um filósofo louco e extravagante que pregava uma teoria que ia contra todas aquelas fielmente acreditadas à época. Quincas Borba foi um instrumento meio utilizado para criticar a situação social do Brasil e todas as incoerências pregadas por correntes filosóficas que eram inseridas no Brasil, mas que não cabiam e nem funcionavam, como oliberalismo e o humanismo.
Quincas Borba utiliza o Humanitismo para tentar explicar a razão e o sentido da vida. A vida é o bem maior e o grande objetivo de qualquer ser humano, por isso todos lutam por ela. Quincas Borba diz a Brás que a luta é importante, pois a luta acaba com a monotonia da vida e o importante não é a vitória, mas sim a luta: “Lutar. Podes escachá-los ou não; o essencial é...
tracking img