Hobbes – a necessidade de um estado soberano

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3305 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de março de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
RONALDO RIBEIRO
RIVAIL
GUILHERME

HOBBES – A NECESSIDADE DE UM ESTADO SOBERANO

Pedro Leopoldo

Faculdades Pedro Leopoldo
FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E GERENCIAIS
CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

2º Semestre – 2010

RONALDO RIBEIRO

HOBBES – A NECESSIDADE DE UM ESTADO SOBERANO

Pedro Leopoldo
Faculdades Pedro Leopoldo
FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E GERENCIAIS
CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO2º Semestre – 2010
Sumário
1. INTRODUÇÃO 4
2. O FILÓSOFO THOMAS HOBBES 5
3. A METODOLOGIA DA TEORIA DE THOMAS HOBBES NO ESTUDO DA CIÊNCIA POLÍTICA 5
4. O CARÁTER HIPOTÉTICO DA TEORIA 5
5. 1ª ETAPA DA TEORIA HIPOTÉTICA DE HOBBES:A NATUREZA HUMANA 6
6. O PACTO SOCIAL 9
6.1. O PODER SOBERANO 9
6.2 AS FORMAS DE GOVERNO 9
7. CONCLUSÃO 11
7.1. O RACIONALISMO E O EMPIRISMO9
7.2. ESTADO SOCIAL E ESTADO NATURAL 9
7.3 .CRIAÇÃO DE DEUS X CRIAÇÃO HUMANA 9
7.4. LEI NATURAL E LEI CIVIL 9
8. REFERÊNCIAS 12

1. INTRODUÇÃO

Ao longo deste trabalhotentamos sempre desmistificar interpretações equivocadas feitas por alguns autores da filosofia de Hobbes.

Defensor do absolutismo estatal do Rei, Thomas Hobbes criou uma teoria que fundamenta a necessidade de um Estado Soberano como forma de manter a paz civil.

Em sua construção hipotética partiu do contrário, ou seja, iniciou sua teoria a partir dos homens convivendo sem Estado, para depoisjustificar a necessidade dele. Esse estágio do convívio humano sem autoridade, onde tudo era de todos, recebe o nome de estado natural.

A conseqüência deste estado natural é a ameaça da manutenção da humanidade, que leva os homens a pactuarem entre si, transferindo o direito de autodefesa existente no estado natural para o Estado, que garante a efetividade do contrato.

Além da sua inteligenteconstrução teórica que justifica a necessidade do Estado Soberano, Thomas Hobbes inovou em diversos pontos da política, a serem analisados no decorrer deste trabalho.

--------------------------------------------------------------------------------

2.O FILÓSOFO THOMAS HOBBES

Thomas Hobbes, nasceu na Inglaterra, em Westport, Malmesburry, em 05 de abril de 1588, vindo a falecer em 04 dedezembro de 1679. Seus pai, um vigário humilde, entregou-lhe, ainda criança, ao tio, que lhe proporcionou uma boa educação.

Aos Quatorze anos se ingressa na Universidade Oxford.
Depois de formado, com vinte anos, foi indicado para ser preceptor do filho de uma família de prestígio. Naquela época os filhos de famílias ricas tinham uma espécie de professor particular, era o chamado preceptor. Estaprofissão não rendia muitos ganhos, mas Hobbes pôde usufruir do conforto da casa e da vasta biblioteca, possibilitando o aprofundamento de seus conhecimentos. Além disso, viajou pela França e Itália, onde aperfeiçoou seus idiomas.

Em 1629, Hobbes foi o primeiro a traduzir para o inglês a obra "Guerra do Peloponeso", do importante historiador grego, indicado como inventor da história racionalista,Tucídides. A partir daí, o filósofo começa a mostrar suas tendências políticas.

Além do acesso aos pensamentos racionalistas de Tucídides, Hobbes foi secretário de Francis Bacon, empirista, e, em suas viagens, leu a obra de Euclides, racionalista; teve oportunidade de discutir, através do Padre Mersenne, com René Descartes; e depois, na Itália, esteve com Galileu.

Com este conhecimentoeclético, Hobbes formulou sua própria metodologia para a fonte do conhecimento, o empirismo racionalista. Esta metodologia original foi aplicada em sua ciência política, ao analisar os fatos sociais, deduzindo conceitos, nominando-os e, por fim, pondo-os em uma ordem sistematizada. Esta transformação de conceito para palavra é o chamado nominalismo.

Hobbes fazia construções lógicas, deduzidas dos...
tracking img