Guia pratico para calculo de recursos e reservas minerais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 25 (6099 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de julho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Guia Pratico para Calculo de Recursos e Reservas Minerais

 
J Grossi  e  Jorge Valente, com contribuições de Elpídio Reis,  Ronald Fletcher,  Vitor Hugo Castro e outros

 
 
Versão Primeira – Junho de 2003
 
INTRODUÇÃO

O presente guia foi preparado no período de 2000 a 2003, e serviu como base de sugestão ao Codigo Brasileiro de Calculo de Recursos e Reservas ainda não publicado .Nos últimos anos nota-se uma tendência internacional para utilização, mesmo que com modificações, do esquema adotado pelas companhias de mineração da Austrália, que é o “Australasian Code for Reporting of Identified Mineral Resources and Ore Reserves”, ou “Australasian Code”, elaborado pelo “Joint Ore Reserves Committee (JORC)”; este comitê foi instituído pelos organismos denominados “TheAustralasian Institute of Mining and Metallurgy”, “Australian Institute of Geoscientists” e “Australian Mining Industry Council”, em 1989. A versão final deste código foi aprovada em 1999 (“JORC Code”), ocasião em que se transformou em “regulamento” oficial na Austrália. O que diferencia esta regulamentação australiana é que, além de apresentar a classificação e as definições para recursos ereservas, qualifica as “pessoas com competência” para conduzir todas as fases da exploração mineral, inclusive a avaliação; finalmente, estabelece diretrizes (“guidelines”), para reportar ou rever recursos e reservas minerais.

Numa primeira análise, questões semânticas afloram, imediatamente, nos diversos sistemas classificatórios, especialmente no que concerne ao significado de palavras como“recursos”, “reservas” e “minério”. Simplificando-se as definições, considera-se como “RECURSO” aquele material disponível, em quantidade e qualidade adequadas para uso industrial, mas que não foi submetido a uma avaliação econômica; “RESERVA” é o recurso disponível para lavra e que pode ser produzido economicamente, em função de custos, demanda e preços atuais (deve ser lembrado que muitas minasaproveitam certos materiais, não categorizados como “reservas”, por causa de condições favoráveis muito especiais); “Minério” é um agregado natural (ou parte de um agregado natural), de um ou mais minerais metálicos, que pode ser minerado e vendido com lucro, em um dado tempo e em um dado local, portanto, este conceito é puramente econômico (por isso, feldspato, caulim, ardósia, etc. não são “minérios” e,sim, minerais ou rochas industriais).
Aceita-se como correto, em geral, que qualquer classificação de “recursos” deve ser, primordialmente, baseada em parâmetros geológicos, estabelecidos através de medições e amostragem. Diferentes “classes” são consequência do grau de fidedignidade na estimativa da morfologia, estrutura, espessura, volume (ou tonelagem), teor, etc.; quanto maior o número dedados de boa qualidade, utilizados na estimativa, maior o seu grau de confiança. Por “classe” (do latim classis, de onde vem a palavra “classificação” também) entende-se um grupo, ou divisão de um conjunto, que apresenta características semelhantes (em vêz de grupo ou divisão, podem-se usar as palavras seção ou ordem, ou ramo, ou categoria, etc.). O estabelecimento de “recursos minerais” é realizadoatravés de aproximações sucessivas, o  que permite diferenciar “classes”, em função do grau de confiança na estimativa; por isso, diferentes “classes de recursos” têem diferente importância econômica.
“Classificar recursos minerais” seria um procedimento mecânico, se os depósitos fossem de um só tipo; desse modo, a exploração diferenciada dos diferentes setores do depósito, determinaria a qual“classe” pertenceria o “recurso” sob exame. Como há tipos e tipos de depósitos, entende-se porque é difícil universalizar um dado sistema de classificação. Logo, o modo de tornar aceitável a aplicação generalizada de um sistema classificatório, é adotar parâmetros geológicos agrupados; para cada “grupo” obtido estabelecem-se os erros admissíveis na avaliação da qualidade e quantidade do bem...
tracking img