Fisioterapia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2012 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE CATÓLICA RAINHA DO SERTÃO
CURSO DE FISIOTERAPIA


Vanessa Viana Barbosa




ADESÃO DO PACIENTE PORTADOR DE SEQUELAS DE ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO AO TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO: DESAFIOS E CONQUISTAS.









Quixadá-Ceará
2012


Vanessa Viana Barbosa







ADESÃO DO PACIENTE PORTADOR DE SEQUELAS DE ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO AO TRATAMENTOFISIOTERAPÊUTICO: DESAFIOS E CONQUISTAS.



Projeto de pesquisa apresentado ao Curso de Fisioterapia da Faculdade Católica Rainha do Sertão, como requisito para obtenção de nota da disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso I.

Orientadora: Profª Esp. Danielle Santiago.







Quixadá-Ceará
2012
Vanessa Viana Barbosa



ADESÃO DO PACIENTE PORTADOR DE SEQUELAS DE ACIDENTE VASCULARENCEFÁLICO AO TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO: DESAFIOS E CONQUISTAS.








Projeto de pesquisa aprovado como requisito parcial para obtenção de nota da disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso I, no dia ___ de __________ de 2012.




BANCA AVALIADORA




___________________________________
Profa.Esp. Danielle Santiago
Orientadora



___________________________________Prof(a). xxxxxxxxxxxx
Membro Efetivo - FCRS



___________________________________
Prof(a). xxxxxxxxxxxx
Membro Efetivo - FCRS




SUMÁRIO


1 INTRODUÇÃO 1
OBJETIVOS 2
REFERENCIAL TEÓRICO 3
METODOLOGIA 4



















1. INTRODUÇÃO
Segundo Mazzola et. al. (2007) o Acidente Vascular Encefálico (AVE), é caracterizado por uma deficiência neurológica emque ocorre uma lesão vascular, lesões essas, que podem ser originadas de distúrbios hemodinâmicos e de coagulação tendo como principais causas a formação do ateroma na artéria ou de êmbolos impedindo que cheguem ao cérebro, oxigênio e glicose, o que dificulta o metabolismo celular acarretando lesões ou até mesmo a morte celular. Tem como tipos:o AVE isquêmico que vem a ser uma oclusão no vaso quepriva a passagem dos nutrientes, e o AVE hemorrágico, mais nocivo, onde há o rompimento da estrutura vascular,este, é a principal causa de morte no Brasil.
Conforme Araújo (2008) diz, a hipertensão arterial e o diabetes são patologias que predispõem o indivíduo a desenvolver o quadro de lesão, da mesma forma o tabagismo, alcoolismo, sedentarismo, o uso de anticoncepcionais orais são componentesdo quadro de fatores de riscos da doença.
De acordo com O’Sullivan (2010), a epidemiologia do AVE é a terceira principal causa de morte e a mais comum causa de deficiências em adultos nos Estados Unidos. Afetando 700.000 pessoas por ano, com a presença de 500.000 novos casos e 200.000 recorrentes. Tem como incidência o aumento do AVE com idade a partir de 65 anos de idade.
De acordo comO’Sullivan (2010), o acidente vascular encefálico (AVE), tem como principal fator a aterosclerose, que é caracterizada pela formação de uma placa constituída de lipídeos, fibrina, carboidratos e cálcios nas paredes dos vasos. Iniciando assim um estreitamento na luz dos vasos sanguíneos. É mais comum a lesão na artéria carótida, na artéria cerebral média, artéria vertebral e na artéria basilar. Como causas doave isquêmico temos a formação de trombos que causam isquemia ou oclusão do vaso, eles podem ser deslocados e irem migrando pela corrente sanguínea até atingir um vaso cerebral de pequeno calibre resultando em uma obstrução e consequentemente em um AVE isquêmico.
Como O’Sullivan (2010) diz, doenças cardiovasculares que atingem o cérebro e o coração dividem dos mesmos fatores de risco paro odesenvolvimento da aterosclerose. Temos como principais fatores de risco para o AVE a hipertensão, a doença cardíaca coronariana e o diabetes. A existências desses fatores se agravam com o aumento da idade. O risco de um indivíduo com idade avançada é de 4 a 6 vezes maior em pacientes com a pressão alta, o risco cardiovascular também é maior. A patologia fibrilação atrial eleva em 5 vezes o risco...
tracking img