Fisioterapia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1921 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Cervical
ANATOMIA

A coluna cervical se articula através de duas articulações, posteriormente
através das facetas e anteriormente através das articulações unco vertebrais.
Estas duas estruturas formam o forame de conjugação:

Músculos cervicais:
• Esplênios
• Complexos

músculos Paravertebrais:
• Longo do pescoço;
• Longo da cabeça;
• Reto anterior da cabeça;
• Reto lateral dacabeça.

Músculos importantes:
Paravertebrais:
• ECOM (C2C3C4);
• Escalenos (Ramos locais);
• Supra e infra hioideos (Ramos locais).

Nucais:
• Profundo
– Reto posterior > e < da cabeça;
– Oblíquos superior e inferior;
– Transverso e inter espinhoso.

Meios de união:
Discos, ligamentos capsulares, amarelo, inter e supraespinhoso (na cervical é
chamado lig. cervical posterior),ligamento inter transverso, LCVP (em conexão com a dura até cóxis), LCVA .

BIOMECÂNICA CERVICAL
É o segmento mais móvel de toda a coluna vertebral, e é submetida a um
grande número de agressões e pressões:
• O peso da cabeça;
• Esforços ao nível dos MMSS;
• Posturas de trabalho, esporte e sono;
• Incidência do psiquismo.

Movimentos:

Extensão:
• A vértebra superior desliza sobre ainferior;
• O núcleo tende a anteriorizar;
• Limitada pelo contato com as espinhosas e pelo LCVA .

Flexão:
• A vértebra superior desliza sobre a inferior;
• O núcleo tende a posterioridade;
• Desimbricação;
• Limitada pelo ligamento inter espinhoso, LCVP, ligamento amarelo e Cápsulas articulares.

Inclinação:
• Imbricação homolateral;
• Deslocamento discal contralateral;
• Deslizamentovertebra suprajacente;
• Limitada pela cápsula contra lateral, ligamento intertransverso, processos
unciformes e facetas articulares.

Rotação:
• Imbricação contra lateral;
• Inclinação homolateral;
• Limitada pelas facetas articulares, cápsulas homolaterais, ligamento intertransversos contra laterais e tecidos moles.

Generalidades:
• Está sempre em 2ª lei de Fryette;
• Para a regiãocervical não existe 1ªlei, sempre que inclina para um lado, roda para o mesmo lado.
• Anatomicamente e fisiologicamente é dividida em duas:

1) Coluna cervical superior (OAA );
Anatomia: cervical superior (sentido das facetas especializada para as rotações).

2) Coluna cervical inferior (C3 a C7).
Fisiologicamente o nível C5 é o mais móvel da coluna cervical sendo o centro
da extensão dessesegmento.
Por isso é mais sujeito a apresentar processos degenerativos precoces, que
ainda podem ser mais adiantados se o indivíduo apresentar fixações das dorsais superiores.

Topografia
• C1: entre a apófise mastóide e a mandíbula;
• C2: primeiro processo espinhoso palpável a partir do occipital;
• C3: na mesma altura do osso hióide;
• C4-C5: cartilagem tireóide;
• C6: primeiro anelcricóide;
• C7: espinhosa mais saliente que anterioriza na ext. cervical.

CHARNEIRA CÉRVICODORSAL
É a região de transição entre a coluna cervical e a coluna torácica.
As estruturas ósseas que formam a charneira cérvico dorsal são C7, T1, T2,
1ª COSTELA.

IMPORTÂNCIA FUNCIONAL
É nesta região que se encontra o gânglio estrelado (sistema simpático), passando próximo ao esterno, articulaçãoesterno clavicular, primeiras costelas e C7, T1.
O gânglio estrelado faz parte dos centro cárdio-aceleradores e controla as paredes das artérias dos membros supriores junto com o gânglio médio e superior, que controlam as paredes das artérias intra cranianas e fazem anastomose com o 10º par craniano (vago) que controla estomago, fígado, pâncreas, baço, intestino delgado, colon ascendente etranverso.
OBS: Problemas em qualquer uma destas estruturas citadas acima devemos
investigar a charneira cérvico-dorsal.
Nesta região também estão localizados os desfiladeiros torácicos que são freqüentemente confundidos com cervicobraquialgias quando comprimidos.
Existem também vários ligamentos que ligam estas estruturas a pleuras parietal e viscerais.
As hipertonias miofasciais influenciam sobre...
tracking img