Fazer universidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1158 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
LUCKESI, Cipriano Carlos. et al. Leitura como leitura do mundo. In: Fazer Universidade: Uma proposta metodológica. 14. ed. São Paulo: Cortez, 2005. p. 119-125.
José Walter Rêgo Resende*
Cipriano Luckesi é bacharel em teologia, pela Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, licenciado em filosofia, pelo Instituto de Filosofia e CiênciasHumanas, da Universidade Católica do Salvador, Bahia. É mestre em ciências sociais, pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, da Universidade Federal da Bahia, doutor em educação: filosofia e história da educação, pelo programa de pós-graduação em educação, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. É coordenador de grupo de estudo e pesquisa em educação. Professor pós-aposentado doprograma de pós-graduação da Faculdade de Educação-FACED e da Universidade Federal da Bahia - UFBA. Nesse programa, além de ministrar aulas, é orientador de dissertações de mestrado e de teses de doutoramento.
O capítulo I, Leitura Como Leitura do Mundo, pretende fazer uma introdução ao entendimento da leitura como leitura do mundo e não pura e simplesmente leitura de palavras, como, na maior partedas vezes, ela tem sido praticada.
O autor deixa claro que como seres humanos, somos, constantemente, inseridos em três dimensões: o passado, o presente e o futuro. Que somos seres pluridimensionais, superando a unidimensionalidade do tempo e do espaço. Dessa forma, a pluridimensionalidade que nos é característica nos torna capazes de herdar, incorporar, modificar e, por isso, nossa vida é marcadapor um constante progresso.
O texto explica que de uma maneira ou de outra, para que possamos tomar conhecimento e usufruir da riqueza heróica construída e transmitida pelos homens de todos os tempos em termos de conhecimento, é fundamental e imprescindível a prática da leitura, onde a leitura é o exercício constante, reflexivo e crítico que nos é inerente de ouvir e entender o que nos diz àrealidade que nos cerca e da qual também somos parte integrante, sendo o exercício da captação, através dos mais variados símbolos, sinais de manifestações, da informação, conteúdo e mensagem que os outros nos transmitem sobre a realidade.
Assim, o tema abordado por Luckesi expõe que a prática da leitura é imprescindível aos homens e aos povos. Sem ela não haveria progresso, acumulação de conhecimento,transmissão e evolução do saber e o registro da memória do homem, pois é só através dela que podemos entender o significado da realidade que vivemos.

LUCKESI, Cipriano Carlos. et al. Prática de leitura no Brasil. In: Fazer Universidade: Uma proposta metodológica. 14. ed. São Paulo: Cortez, 2005. p. 126-135.

José Walter Rêgo Resende*

Cipriano Luckesi é bacharel em teologia, pelaFaculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, licenciado em filosofia, pelo Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, da Universidade Católica do Salvador, Bahia. É mestre em ciências sociais, pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, da Universidade Federal da Bahia, doutor em educação: filosofia e história da educação, pelo programa depós-graduação em educação, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. É coordenador de grupo de estudo e pesquisa em educação. Professor pós-aposentado do programa de pós-graduação da Faculdade de Educação-FACED e da Universidade Federal da Bahia - UFBA. Nesse programa, além de ministrar aulas, é orientador de dissertações de mestrado e de teses de doutoramento.
O capítulo II, Prática deLeitura no Brasil, analisa o nosso passado e o nosso presente, em termos do processo de leitura, seu conteúdo e perspectivas políticas, ao mesmo tempo em que busca compreender, nos esforços de modificação hoje existentes no país, os sinais de presença de uma realidade nova pela qual lutamos.
O texto faz referencia prática inicial de leitura no Brasil que foi profundamente, discriminatória....
tracking img