Etica protestante e o espirito do capitalismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4310 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
O mundo de Sofia
De Jostein Gaarder
Cia. das Letras, São Paulo, 1998
Tradução de João Azenha Jr.
Capítulo 12 (Excerto)
O Helenismo

O HELENISMO

(Páginas 144-145.)

É bom rever você, Sofia! Você já viu alguma coisa sobre os filósofos da natureza, Sócrates, Platão e Aristóteles. Com isto você já conhece as bases da filosofia européia. Daqui para a frente vamos nos poupar aquelesenvelopinhos brancos com perguntas introdutórias. Suponho que na escola você já tenha lições e provas suficientes.

Vou lhe contar um pouco sobre o longo período que separa Aristóteles, no final do século IV a.C., do começo da Idade Média, por volta de 400 d.C. Note que escrevemos “antes” e “depois de Cristo”, isto porque o cristianismo foi precisamente um dos fatores mais importantes, e também maismisteriosos, deste período.

Aristóteles morreu no ano de 322 a.C., e nesse meio tempo Atenas tinha perdido a sua posição de hegemonia. Isto estava relacionado, entre outras coisas, com as grandes transformações políticas que vieram em decorrência das conquistas de Alexandre Magno (356-323 a.C.).

Alexandre Magno era rei da Macedônia. Aristóteles também era natural da Macedônia e por algum tempochegou mesmo a ser professor do jovem Alexandre. Foi Alexandre quem conseguiu a derradeira e decisiva vitória sobre os persas. E mais ainda, Sofia: com suas muitas campanhas bélicas, ele uniu o Egito e todo o Oriente, até a Índia, à civilização grega.

Começou então uma era completamente nova na história da humanidade. Surgiu uma comunidade internacional, na qual a cultura e a língua gregasdesempenhavam papel preponderante. Este período, que durou cerca de trezentos anos, é freqüentemente chamado de helenismo. Por helenismo entendemos a cultura predominantemente grega vigente nos três grandes reinos helênicos, a Macedônia, a Síria e o Egito.

A partir do ano de 50 a.C., aproximadamente, Roma passou a assumir o predomínio militar. Esta nova grande potência foi conquistando um a umtodos os reinos helênicos, e a cultura romana, bem como a língua latina, passaram a predominar da Espanha, no Ocidente, até o extremo da Ásia. Começou então o período romano, por nós também conhecido como o final da Antigüidade. Mas há aqui uma coisa importante que você precisa gravar: antes de os romanos conquistarem o mundo helênico, a própria Roma tinha sido uma província da cultura grega. Não éde estranhar, portanto, que a cultura grega – e a filosofia grega – tenha continuado a desempenhar um papel importante, muito tempo depois de a importância política dos gregos já ter sido esquecida.

RELIGIÃO, FILOSOFIA E CIÊNCIA

(Páginas 145-147.)

O helenismo foi marcado pelo desaparecimento das fronteiras entre os diferentes países e culturas. Anteriormente, gregos, romanos, egípcios,babilônios, sírios e persas tinham adorado seus deuses dentro dos limites de suas próprias religiões. Agora, todas essas diferentes culturas foram misturadas num caldeirão, por assim dizer, de concepções religiosas, filosóficas e científicas.

Talvez não seja exagero dizer que a praça do mercado municipal foi substituída pela arena mundial. Antes desta época, também se ouvia nas praças uma confusãode vozes oferecendo ora diferentes mercadorias, ora diferentes pensamentos e idéias. A novidade agora era que as praças dos mercados estavam cheias de mercadorias e idéias do mundo inteiro. E esta “confusão de vozes” acontecia agora em diferentes línguas.

Já dissemos que a cosmovisão dos gregos tinha ultrapassado em muito as fronteiras da antiga Grécia. Com o tempo, porém, muitas divindadesorientais também passaram a ser adoradas em toda a região do Mediterrâneo. Surgiram várias religiões novas, que tomavam emprestadas de diferentes culturas antigas suas concepções religiosas. Falamos aqui de uma mistura de religiões, ou de um sincretismo religioso.

Anteriormente a isto, as pessoas tinham experimentado um sentimento de afinidade muito forte com seu próprio povo e com sua própria...
tracking img