Estrategia de crescimento hering

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 29 (7138 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1

ESTRATÉGIAS DE CRESCIMENTO DE UMA EMPRESA CATARINENSE: O CASO DA HERING
Lucas Medeiros Machado Luiz Carlos de Carvalho Júnior Universidade Federal de Santa Catarina lccj@cse.ufsc.br

RESUMO
O objetivo deste trabalho é a identificação e análise das estratégias de crescimento da empresa Hering. Para tal, foram coletadas informações em relatórios da empresa, bem como em reportagens emjornais e revistas, e em trabalhos acadêmicos. A empresa, fundada em 1880 na cidade de Blumenau/SC, é considerada uma das maiores empresas do ramo têxtil e confecção do Brasil. Foi constatado que a empresa segue a tendência do padrão mundial de produção do setor, em que as grandes empresas passam a depender cada vez menos das atividades produtivas, focalizando suas atividades e seus esforços em ativosintangíveis como as marcas, desenvolvimento de produtos, marketing, distribuição e comercialização. Além disso, a empresa tem adotado esforços para diferenciar os seus produtos e reduzir custos, tendo reduzido no decorrer das últimas duas décadas o seu nível de diversificação e internacionalização de suas atividades.

Palavras-Chave: Estratégias de Crescimento; Indústria Têxtil; Hering.

1.INTRODUÇÃO A indústria têxtil, juntamente com a siderurgia e a mineração, formou o tripé da revolução industrial do século XVIII. A mecanização como estratégia de crescimento tornou os custos menores, dando inicio a fase capitalista de produção. A Inglaterra tomou a frente nesse desenvolvimento tecnológico, tomando para si a dianteira da revolução. No Brasil, a indústria têxtil tem seu início no fimdo século XVIII, com a produção de algodão no estado do Maranhão voltada à exportação para a Inglaterra. As indústrias de fiação e tecidos começam a surgir com a vinda de imigrantes europeus, que trouxeram na bagagem o conhecimento necessário para a aplicação do modo de produção europeu. Esses imigrantes fundaram pequenas empresas nas próprias casas e se utilizavam da mão-de-obra familiar. Com opassar dos anos, essas empresas passaram a crescer de forma que hoje formam as grandes empresas do setor. (FURTADO, 2007; REZENDE FILHO, 2005) Na história mais recente, podemos observar momentos de crescimento e retração desse na cadeia têxtil-confecções no Brasil, e as diferentes estratégias adotadas pelas empresas: a) A grande expansão, durante as Guerras Mundiais, acarretada pelaconcentração das etapas do processo produtivo, com apoio da política de substituição de importações;

2

b)

A crise, no pós-guerra, acarretada pela falta de automação dos

equipamentos, diminuindo a competitividade aos grandes produtores; c) O período de renovação industrial, na década de 1970, impulsionado

pela substituição de importação e aquisição de máquinas e equipamentos, marcando um períodode grande expansão das empresas do setor, que passam a diversificar sua área de atuação; d) A crise ocasionada com a abertura econômica dos anos 1990, que

acarretou intensa reestruturação produtiva, dado o avanço nas importações de produtos oriundos principalmente de países asiáticos; e) A partir do ano de 1999, a cadeia é marcada pela euforia de muitas

empresas, pois com fim do antigoregime cambial, os avanços do ajuste fiscal e redução das taxas de juros houve significativo crescimento econômico. (LUCKTENBERG, 2004) O período de ajuste é marcado pela falência de empresas que não conseguiram se tornar competitivas no novo cenário de administrações especializadas e novos processos produtivos. Nesse novo cenário, a cadeia produtiva também passa por uma reestruturação, na qual aempresa passa a desverticalizar a produção deixando algumas etapas do processo produtivo nas mãos de empresas terceirizadas. (LUCKTENBERG, 2004) O Estado de Santa Catarina é reconhecido como um dos maiores produtores de têxteis e confecções do Brasil. Hoje, o estado responde por cerca de 10% da exportação nacional (ABIT – Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção, 2009), tendo um...
tracking img