Estado, governo e mercado

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3298 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
ATIVIDADE AVALIATIVA

1- Leia o texto a seguir.
“Se o homem no estado de natureza é tão livre, conforme dissemos, se é senhor absoluto da sua própria pessoa e posses, igual ao maior e a ninguém sujeito, por que abrirá ele mão dessa liberdade, por que abandonará o seu império e sujeitar-se-á ao domínio e controle de qualquer outro poder? Ao que é óbvio responder que, embora no estado denatureza tenha tal direito, a utilização do mesmo é muito incerta e está constantemente exposto à invasão de terceiros porque, sendo todos senhores tanto quanto ele, todo homem igual a ele e, na maior parte, pouco observadores da eqüidade e da justiça, o proveito da propriedade que possui nesse estado é muito inseguro e muito arriscado. Estas circunstâncias obrigam-no a abandonar uma condição que,embora livre, está cheia de temores e perigos constantes; e não é sem razão que procura de boa vontade juntar se em sociedade com outros que estão já unidos, ou pretendem unir-se, para a mútua conservação da vida, da liberdade e dos bens a que chamo de propriedade.” (Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1991).
O texto acima, de John Locke (1632-1704), revela algumas características da matriz depensamento liberal. Nesse sentido, explique-o.
Resposta:

John Locke concebia o Liberalismo através da noção de que o indivíduo pré-social e pré-político seria livre para unir-se a outros em um pacto, delegando a um ente único – O Estado - um poder superior e comum, acatado por todos, oriundo da vontade da maioria. O objetivo seria preservar cada membro desta sociedade, tutelando a liberdade ea propriedade. Inobstante isso, o indivíduo também seria considerado em si mesmo, existindo única e individualmente, sendo livre e capaz de amealhar suas propriedades a partir de seu trabalho.
Locke queria dizer que nenhum direito ou liberdade é absoluta quando o indivíduo passa a viver em sociedade, devendo haver limites impostos pelo ente estatal criado, por meio da lei coercitiva, para que oscidadãos possam conviver em paz, sem conflitos. E essa vontade social existe porque o homem, sozinho, pode pouco; unido a seus iguais, poderá muito mais.

2- Até que ponto a liberdade e a igualdade entre os homens conseguem andar juntas no sistema econômico capitalista?
Resposta:

A corrente filosófica liberal funda-se nos direitos humanos, que também é a teoria do direito natural oujusnaturalismo. Durante os Séculos XVI e XVII, diferentes pensadores contribuíram para a formação do pensamento liberal, entretanto, quatro deles tiveram destaque especial: Thomas Hobbes, John Locke, Charles Louis de Secondat, barão de Montesquieu, e Jean Jacques Rousseau. O expoente desta corrente filosófica foi Locke, que foi o autor da mais importante obra da teoria liberal, chamada “O Leviatã”.Segundo descrito na Bíblia, capítulo 40 e 41 de Jô, Leviatã foi um animal feroz e poderoso e, ao que tudo indica, um crocodilo que habitava as águas do Nilo, cujo poder e força sobre a terra nada se lhe compara, pois feito para que não temesse ninguém.

O homem que gozava da mais ampla liberdade, foi forçado pela sobrevivência a deixar o seu estado natural e selvagem – o homem como o lobo de simesmo - para firmar um contrato de convivência com os seus iguais, nascendo daí o que os filósofos chamam de pacto social, firmado de forma livre e espontânea entre as unidades familiares e entre tribos, para delegar poderes a um ente organizado, com poder absoluto e soberano para, em nome do povo, impor com o uso da força, a paz e a organização social. É nesse contexto de troca do DireitoNatural pelos Direitos Civis que o homem perdeu a liberdade absoluta para poder conviver de forma harmoniosa em sociedade, surgindo os ideais de Povo, Nação, Estado e Governo.

Entre os filósofos da teoria liberalista havia algumas divergências de pensamento, mas havia um consenso de que a vida em sociedade não era o ambiente natural do homem, e sim um artifício fundado em um contrato: esse...
tracking img