Esquizofrenia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3187 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Autora: Sabrina Martins Barroso
RESUMO
A proposta deste artigo é dar um panorama geral sobre a esquizofrenia e as diferenças existentes entre os gêneros para vários aspectos deste transtorno.
PALAVRAS-CHAVE: Esquizofrenia, gênero, sintomatologia.

A esquizofrenia é uma doença grave, ou mais provavelmente um grupo de doenças, severamente debilitante, de evolução crônica, que afeta cerca de 1%da população mundial e incide com maior freqüência entre os adultos jovens (Lara e Vallada, 1993; Mari e Leitão, 2000).
É um transtorno que implica na reminiscência de sintomas psicóticos, tais como delírios, alucinações, desagregação do pensamento, deficiente ajuste e desempenho social, o que conduz a uma intensa utilização de serviços hospitalares, ambulatoriais e de atendimento emergencial.Geralmente compromete a vida do paciente, tornando-o frágil diante de situações estressantes, aumentando o risco de suicídio, e causando grande desgaste emocional à família destes pacientes (Shirakawa, Mari, Chaves, Hisatsugo, 1998).
Os últimos cinco anos trouxeram importantes avanços para o entendimento da esquizofrenia em três áreas principais: os avanços nas técnicas de imagens cerebrais;pesquisas envolvendo drogas antipsicóticas atípicas, particularmente a risperidona e a remoxiprida e o aumento no interesse pelos fatores psicossociais que afetam a esquizofrenia, incluindo aqueles que podem afetar o início, a recaída e o resultado do tratamento (Kaplan, Sadock e Grebb, 1997).
Entretanto, Jablensky (1988, citado por Chaves, Mari e Maluf, 1992, p. 51-52), nos lembra que apesar dosavanços tecnológicos da pesquisa biológica, nenhum marcador biológico e nenhum teste laboratorial é ainda capaz de identificar a esquizofrenia e seu diagnóstico permanece inteiramente dependente do julgamento clínico.
As diferentes estimativas de incidência da esquizofrenia sugerem a ocorrência de aproximadamente 4 novos casos por ano a cada 10.000 habitantes da população. Segundo Mari e Leitão (2000)a incidência real varia entre 1 e 7 novos casos a cada 10.000 habitantes por ano, dependendo do critério diagnóstico adotado na estimativa.
A esquizofrenia tem significante prevalência entre a população usuária de serviços de saúde mental pois os pacientes esquizofrênicos ocupam 50% dos leitos dos hospitais e equivalem à cerca de 16% do número de pacientes psiquiátricos que recebem qualquer tipode tratamento. Segundo Kaplan et al. (1997) nos Estados Unidos à prevalência da esquizofrenia é relatada como estando entre 1 e 1,5%, tendo o estudo da Área de Captação Epidemiológica (ACE) relatado uma prevalência de 1,3%.
Um outro fato grave com relação aos pacientes esquizofrênicos é que ao longo da vida, 50% destes pacientes tentam suicídio pelo menos uma vez, e 10 a 15% morrem por suicídio,sendo estes valores observados durante um período de segmento de 20 anos, estando ambos os sexos igualmente propensos ao auto-extermínio. Os principais fatores de risco do suicídio nos pacientes esquizofrênicos incluem a presença de sintomas depressivos, a pouca idade e os altos níveis de funcionamento pré-mórbido (Kaplan et al., 1997).
Menezes (2000) realizou uma pesquisa, com pacientesesquizofrênicos de ambos os sexos e idade média de 32,6 anos, com o intuito de examinar os desfechos clínico e social, bem como o uso de serviços e a mortalidade dos pacientes com esquizofrenia 2 anos após sua internação em hospitais psiquiátricos. Observou-se uma mortalidade 8 vezes maior do que o esperado para a população dessa faixa etária, resultado que se deveu ao elevado número de suicídios.
Deacordo com Kaplan et al. (1997) mais de três quartos dos pacientes esquizofrênicos fumam e 30 a 50% podem reunir os critérios diagnósticos para abuso ou dependência de álcool. As outras duas substâncias mais usadas pelos pacientes são “cannabis” (15 a 25%) e “cocaína” (5 a 10%).
Térzis (1984) citou em sua pesquisa as características da esquizofrenia identificadas por Lemkau (1967). Segundo este...
tracking img