esquizofrenia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 25 (6005 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de outubro de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
CURSO DE FARMÁCIA
Psicologia aplicada à farmácia



LAÍS DE SOUZA RODRIGUES
MAYARA DE SOUZA LUCINDO
RAFAELA RODRIGUES
ROSLANA MAGNAGO





ESQUIZOFRENIA








VITÓRIA
2011
LAÍS DE SOUZA RODRIGUES MAYARA DE SOUZA LUCINDARAFAELA RODRIGUES ROSLANA MAGNAGO





ESQUIZOFRENIA




Trabalho apresentado à disciplina de psicologia aplicada a farmácia, do Curso de Farmácia da Emescam, como requisito parcial para avaliação.
Orientador (a): Prof. Liberato Tristão







VITÓRIA2011

INTRODUÇÃO

A esquizofrenia e uma doença que se arrasta há séculos sem uma causa concreta, portanto disse apenas que esquizofrenia é uma psicose de dissociação. Embora sua causa ainda não tenha sido esclarecida a hipótese que mais se aceita é a de uma causa coadjuvante de tipo somático.
A esquizofrenia e uma doençacom muitos sintomas e conforme os sintomas predominantes subdividem-se a esquizofrenia em: catatonia cujos sintomas principais sãos os sintomas motores, hebefrenia onde os sintomas são comportamento um tanto tolo; infantil e extravagante, esquizofrenia paranóide que os seus sintomas são idéias delirantes, alucinações e a esquizofrenia simples que tem como sintomas o que se chama de sintomasprimários que são caracterizados como distúrbios de afetividade, do pensamento e da personalidade.
A esquizofrenia é a psicose mais freqüente um estudo de prevalência de transtornos mentais foi conduzido por Santana no bairro do Ó, zona pobre da costa marítima de Salvador. A prevalência de esquizofrenia foi de 0,57% para os homens e de 0,36% para as mulheres. Trabalhos mais recentes, conduzidos commetodologia mais sofisticada, têm apresentado resultados acima desses valores, próximos a 1% da população. Em recente revisão da Organização Mundial da Saúde sobre o impacto mundial da doença foi relatada uma taxa de prevalência de 0,92% para homens e 0,9% para mulheres. Taxas de prevalência mais elevadas também têm sido relatadas em estudos recentes realizados na América Latina e no Brasil.ESQUIZOFRENIA
A esquizofrenia é um grupo de estados patológicos variadíssimos, nos quais KRAEPELIN viu de comum o aparecimento precoce da demência; daí porque falou demência precoce. Visto não se tratar de autêntica demência orgânica, nem se apresentar em todos os casos, raramente aparecendo na juventude, veio-se, mais tarde a por de lado esta denominação. E.BLEULER reconheceu como característica comum a dissociação da personalidade, e cunhou o conceito de esquizofrenia, isto é psicose de dissociação, daí a denominação de esquizofrenia por elesugerido como sinônimo de loucura dissociativa em substituição a expressão dementia praecox (demência precoce). Bleuler (1985), não acreditava que pudesse delimitar uma unidade mórbida somente a partir da semelhança de seus sintomas e da revolução. Por esses motivos, não considerava a esquizofrenia uma doença e sim um grupo de esquizofrenias. A partir de Kraepelin e Bleuler, o conceito de esquizofreniadesenvolveu-se trilhando dois caminhos diferentes que se complementam. A primeira direção iniciada por Kraepelin privilegia o substrato orgânico, hereditário; a segunda inaugurada por Bleuler incentivou as teorias psicodinâmicas acerca da esquizofrenia.
Kurt Schneider (1887-1967) observou que uma vez afastadas as causas orgânicas, alguns sintomas eram bastante típicos da esquizofrenia. De...