Ergonomia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 67 (16736 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
1

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

ANÁLISE ERGONÔMICA NO AMBIENTE DE TRABALHO DE DEFICIENTES FÍSICOS: CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO

PONTA GROSSA 2005

2

EUZITA FERREIRA GARY DVORECKY VANESSA DE LUCAS SILVA MELNICK

ANÁLISE ERGONÔMICA NO AMBIENTE DE TRABALHO DE DEFICIENTES FÍSICOS: CENTRAIS DEATENDIMENTO TELEFÔNICO

Monografia

apresentada

como

requisito

para

obtenção do título de especialista do Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho, Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Orientador: Prof. Dr. Eng. José Adelino Krüger.

PONTA GROSSA 2005

3

SUMÁRIO

LISTA DE ILUSTRAÇÕES LISTA DE APÊNDICES RESUMO 1 1.1 1.2 1.3 1.3.1 1.3.2 1.4 1.4.11.4.2 1.4.3 2 2.1 2.2 2.3 2.4 2.5 INTRODUÇÃO JUSTIFICATIVA SITUAÇÃO PROBLEMA OBJETIVOS Gerais Específicos METODOLOGIA Tipo de Pesquisa Método de Coleta de Dados Limitação da Pesquisa FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA CONSIDERAÇÕES GERAIS ERGONOMIA APLICAÇÃO DA ERGONOMIA E SUA INTERVENÇÃO ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO (AET) ERGONOMIA E CONDIÇÕES DE TRABALHO DO PORTADOR DE DEFICIÊNCIA FISICA 2.6 FATORESERGONÔMICOS EM UMA CENTRAL DE ATENDIMENTO DA COPEL

I II III 01 02 03 03 03 04 04 04 05 05 06 06 11 14 14 16

19

4

2.6.1

Fatores físicos, ambientais, biomecânicos, cognitivos e psicossociais relacionados com a saúde do operador de centrais de atendimento

19

2.6.1.1 2.6.1.2

Trabalho sentado Ruído

21 22 23 24 24 25 26 26 28 28 28 29

2.6.1.2.1 Medidas de Ergonomia quanto ao ruídopara escritórios 2.6.1.3 Iluminação

2.6.1.3.1 Conseqüências da má iluminação 2.6.1.3.2 Recomendações sobre iluminação 2.6.1.4 Estresse

2.6.1.4.1 Sobrecargas de Estresse no ambiente de trabalho 2.7 2.7.1 2.7.2 2.8 CENTRAIS DE TELE-ATENDIMENTO Características gerais Funcionamento das centrais de atendimento POSTO DE TRABALHO – CENTRAL DE ATENDIMENTO COPEL 2.9 3 3.1 3.2 3.2.1 PESSOAS PORTADORASDE NECESSIDADES ESPECIAIS AVALIAÇÃO DO AMBIENTE DE TRABALHO APLICAÇÃO DA ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO ANÁLISE DAS TAREFAS Características dos trabalhadores portadores de deficiência física 3.2.2 3.2.3 Síntese geral dos entrevistados Características físico-ambientais do setor de tele-atendimento

31 33 35 35 35

38 39

5

3.2.3.1 3.2.3.2 4 4.1 4.2 4.3 4.4 4.5 4.6

Área físicaMobiliários e equipamentos RESULTADOS E DISCUSSÕES RUÍDO ILUMINAÇÃO TEMPERATURA, UMIDADE E VENTILAÇÃO RISCOS DE ACIDENTES ANÁLISE DAS ATIVIDADES AVALIAÇÃO DAS CARACTERISTICAS FÍSICAS E GESTUAIS-CORPORAIS

39 40 42 42 43 43 45 46 46

4.7 5 6

ANÁLISE E AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES COGNITIVAS CONCLUSÃO REFERENCIAS APÊNDICES

48 48 50 54

6

LISTAS DE ILUSTRAÇÕES

FIGURA 01 FLUXOGRAMA METODOLÓGICODA ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO (AET) FIGURA 02 ORGANOGRAMA DO SETOR DE ATENDIMENTO - COPEL FIGURA 03 POSTURA CORRETA DURANTE A ATIVIDADE LABORAL FIGURA 04 REFEITÓRIO DOS FUNCIONÁRIOS DO SETOR DE ATENDIMENTO FIGURA 05 BANHEIROS ADAPTADOS PARA DEFICIENTES FÍSICOS FIGURA 06 MOBILIÁRIOS E EQUIPAMENTOS FIGURA 07 LEIAUTE DO POSTO DE TRABALHO FIGURA 08 ESCADA DE ACESSO AO REFEITÓRIO E BANHEIROS FIGURA9 POSIÇÃO DE TRABALHO DOS DEFICIENTES

15

31 34 39

39 40 41 45 48

7

LISTA DE APÊNDICES

APÊNDICE 1 ENTREVISTA COM OS FUNCIONÁRIOS PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS APÊNDICE 2 RECOMENDAÇÕES PARA PROJETO ERGONOMICO DE MESAS E CADEIRAS APÊNDICE 1 HISTÓRICO DA ASSOCIAÇÃO DE DEFICIENTES FISICOS D EPONTA GROSSA (ADFPG)

55

75

79

8

RESUMO A inserção de pessoasportadoras de deficiência física dentro do processo produtivo vem aumentando gradativamente, embora ainda existam grandes obstáculos para sua inclusão. Admitindo-se as diferenças em dimensões, capacidade física, mental ou sensorial, os projetos têm por função oferecer um ambiente de trabalho confortável e seguro para que pessoas portadoras de deficiência física possam exercer suas atividades laborais...
tracking img