Engenharia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3134 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
ESTABILIDADE GLOBAL DAS EDIFICAÇÕES – COEFICIENTE Z
GLOBAL STABILITY OF BUILDINGS – COEFFICIENT Z Sérgio Luís de Oliveira (1); Anderson Henrique Barbosa (2); Evandro Alves da Silva (3)
(1) Professor Mestre, Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF e-mail: sergio.luis@univasf.edu.br (2) Professor Doutor, Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF e-mail:anderson.barbosa@univasf.edu.br (3) Graduando em Engenheira Civil, Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF e-mail: evandro.civil@hotmail.com Avenida Antônio Carlos Magalhães, 510, CountryClub, Juazeiro-BA, CEP.: 48.902-300

Resumo
O aprimoramento das técnicas construtivas e o desenvolvimento de novos materiais de construção, contribuíram de forma significativa para o projeto de edificaçõesmais esbeltas, ou seja, estruturas que apresentam uma alta relação entre a altura e a sua menor dimensão em planta, além de elementos estruturais mais esbeltos. Nesse contexto, os efeitos de ações horizontais passam a ser mais significativos para a estabilidade global e o dimensionamento das estruturas. No presente trabalho abordam-se ação dos ventos nas edificações de acordo com a NBR 6123:1988(Forças devidas a ação do vento nas edificações), bem como a estabilidade global das estruturas. Foi realizado um estudo de caso referente à avaliação da estabilidade global e dos efeitos de segunda ordem, utilizando o parâmetro de estabilidade z, em um edifício residencial de 15 pavimentos, localizado na orla fluvial da cidade de Petrolina-PE. Abordam-se ainda o aumento da taxa de armadura dospilares e fundações (blocos de coroamento de estacas) em função da variação da velocidade básica do vento, a qual se variou de 0 a 30m/s. Palavra-Chave: Estabilidade global; Coeficiente z, Parâmetro de estabilidade.

Abstract
The improvement of construction techniques and the development of new building materials have contributed significantly to the design of more slender buildings, structuresthat have a high ratio between height to their smaller size in the plants and structural elements more slender . In this context, the effects of horizontal actions become more significant to the global stability and design of the structures. In the present work is discussed the action of wind on buildings, according to NBR 6123:1988 and also the overall stability of the structures. Was realized acase study on the evaluation of global stability and second order effects, using the parameter of stability z, in a residential building of 15 floors, located on the river shores of the city of Petrolina-PE. Was showed also the increase of reinforcement ratio of the columns and foundation blocks, depending of variations of the basic speed of the wind, which ranged from 0 until 30m/s. Keywords:Global stability; coefficient z, Parameter of stability.

ANAIS DO 53º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO - CBC2011 – 53CBC

1

1

Introdução

A princípio, a própria arquitetura das edificações proporcionava estruturas robustas e, consequentemente, com rigidez significativa. Entretanto, as novas técnicas construtivas e o aparecimento de novos materiais de construção, contribuíram para adisseminação de edificações esbeltas que apresentam rigidez menor em seu plano horizontal. A partir de então, os efeitos de ações horizontais passam a ser mais significativos para a estabilidade global das estruturas. No Brasil, essas ações horizontais são basicamente provocadas pelo vento.

2 2.1

Estabilidade Global das Edificações Efeitos de 2ª Ordem Globais

A estabilidade de umaestrutura está relacionada com a sua capacidade em manter o seu equilíbrio ao ser submetida à incidência das ações. De acordo com NBR 6118:2004, sob a ação de cargas verticais e horizontais, os nós da estrutura deslocam-se horizontalmente (Figura 1b). A partir desses deslocamentos surgem os esforços de 2ª ordem que são chamados de efeitos globais de 2ª ordem.

(a)

(b)

Figura 1 – (a) Estrutura...
tracking img