Enfisema

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1347 palavras )
  • Download(s) : 1
  • Publicado : 19 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
TIPOS DE ENFISEMA
É classificado de acordo com sua distribuição anatômica dentro do lóbulo. • Centroacinar • Panacinar • Parasseptal • Irregular
ENFISEMA CENTROACINAR (CENTROLOBULAR)
• é o tipo mais comum dos enfisemas pulmonares que se caracterizam como doença progressiva.
• acomete, em sua fase inicial, as porções centrais do lóbulo ou ácino (i.e. bronquíolo respiratório e ductosalveolares) extendendo-se posteriormente aos alvéolos. etiológicamente é relacionado ao tabagismo, bronquite crônica e DPOC.
• sua instalação e progressão associam-se à deficiência parcial (heterozigótica) de antienzimas, sendo a alfa-1-antitripsina a mais comum.
• ocorre em indivíduos adultos, acima da 4ª década, com maior freqüência no sexo masculino.
Macroscópicamente as lesões são mais intensasnos lobos superiores acompanhadas de intensa deposição de pigmento antracótico.
ENFISEMA PANACINAR (PANLOBULAR)

Forma rara de enfisema pulmonar progressivo. Acomete a totalidade das estruturas do lóbulo ou ácino. Etiologicamente é relacionado à deficiência total ( homozigótica) de antienzimas, mais comumente alfa-1-antitripsina. ocorre em crianças e adolescentes, os quais geralmente tambémapresentam cirrose hepática.
Macroscopicamente as lesões são distribuídas em ambos os pulmões, com maior intensidade nos lobos inferiores. A seguir explicaremos com mais detalhes os mecanismos de instalação e progressão dêstes dois últimos tipos de enfisema, enfatizando o Enfisema Centrolobular e sua relação com Bronquite Crônica e DPOC.
Mecanismos de instalação e progressão do enfisema pulmonarcentrolobular (centroacinar)
A fisiopatologia do enfisema pulmonar centrolobular é complexa e conseqüente à somatória dos seguintes itens:
• Alterações do fluxo aéreo (1)
• Exacerbação da reação inflamatória local e da produção de enzimas (2)
• Deficiência parcial ( heterozigótica) da produção de antienzimas (3)
• Desequilíbrio do mecanismo enzima / antienzima (4)
• Distensão progressivae rotura dos espaços aéreos (5)
• Redução gradativa do fluxo sangüíneo (6)

Abaixo explicamos cada item de maneira mais detalhada:

• Alterações do fluxo aéreo (1)
Os indivíduos portadores de bronquite crônica sofrem inflamação persistente das vias aéreas principalmente dos bronquíolos. Nos bronquíolos terminais as paredes são espessadas por inflamação e fibrose e as luzes encontram-separcialmente ocluidas por tampões mucopurulentos. Nestes indivíduos a inspiração facilita o fluxo aéreo, pois a ação da musculatura esquelética força a expansão da caixa torácica, com dilatação e distensão das vias aéreas. Na expiração, que normalmente é passiva, as vias aéreas se encurtam e estreitam. Havendo alterações que dificultam a passagem, parte do ar inspirado ficará retida a cadamovimento respiratório. As vias aéreas distais ao bronquíolo terminal (bronquíolo respiratório, ductos alveolares e alvéolos) irão sofrer dilatação e hiperinsuflação gradativas por retenção de ar sob pressão...
• Exacerbação da reação inflamatória local e da produção de enzimas (2)
A reação inflamatória persistente traz consigo a liberação de enzimas proteolíticas por macrófagos e neutrófilos.Fatôres irritantes ( tabagismo, poluição e infecções) estimulam mais a reação inflamatória e como conseqüência a liberação de mais enzimas. Entre estas enzimas proteolíticas está a elastase (tripsina) que age nas fibras elásticas, enfraquecendo-as e destruindo-as. As fibras elásticas são um dos principais componentes estruturais das vias aéreas distais ao bronquíolo terminal ( bronquíolos respiratórios,ductos alveolares e alvéolos), portanto estas vias aéreas tornam-se enfraquecidas e propensas à rotura.......
• Deficiência parcial (heterozigótica) da produção de antienzimas (3) e Desequilíbrio do mecanismo enzima / antienzima (4)
Normalmente a ação enzimática é equilibrada e reduzida por antienzimas geralmente produzidas no fígado e enviadas aos tecidos afetados pela corrente sangüínea....
tracking img