Enfisema

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1392 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
O enfisema é definido como uma distensão anormal dos espaços aéreos distais aos bronquíolos terminais, com destruição das paredes alveolares. È o estágio final de um processo que progrediu lentamente por muitos anos. O tabagismo é a principal causa de enfisema pulmonar, quando o paciente desenvolve os sintomas, a função pulmonar em geral esta irreversivelmente comprometida.

Em uma pequenaporcentagem de pacientes, existe uma predisposição familiar ao enfisema associado a uma anormalidade na proteína plasmática uma deficiência da alfa antitripsina (é um distúrbio genético que tem diversas implicações clinicas e que afeta especialmente pulmões e fígado), um inibidor de enzima, os portadores desse defeito genético devem ser identificados para permitir a modificação dos fatoresambientais visando retardar ou prevenir o surgimento dos sintomas da doença. A pessoa geneticamente susceptível é sensível a fatores ambientais (fumaça de tabaco, poluentes aéreos, agentes infecciosos, alergênicos) e, com o tempo, desenvolve sintomas obstrutivos crônicos. Para pacientes com esse defeito genético existe a reposição com inibidores da alfa que visa retarda a progressão da doença e para ospacientes com doença grave.















FISIOPATOLOGIA


No enfisema pulmonar, vários fatores causam obstrução aérea:


* Inflamação da mucosa

* Produção excessiva de muco

* Perda da retração elástica das vias aéreas

* Colapso dos brônquios

* Redistribuição do ar para os alvéolos funcionais


À medida que as paredes dos alvéolos são destruídas (umprocesso acelerado por infecções recorrentes), diminui continuamente a área de superfície alveolar em contato direto com os capilares, causando um aumento no espaço morto (área pulmonar onde não há troca gasosa) e o comprometimento do oxigênio, que leva o paciente á hipoxemia (baixa concentração de oxigênio no sangue arterial). Nos estágios tardios da doença, a eliminação do dióxido de carbonofica comprometida, resultando em um aumento da tensão do dióxido de carbono no sangue arterial, isso causa acidose respiratória.

À medida que as paredes alveolares continuam a fragmentar, o leito capilar pulmonar fica reduzido. O fluxo sanguíneo pulmonar fica aumentado e, consequentemente, o ventrículo direito é forçado a manter uma alta pressão de sangue na artéria pulmonar, assim, ainsuficiência cárdia direita é uma das complicações do enfisema pulmonar.

As secreções também são um problema porque a pessoa não consegue gerar uma tosse forçada para expeli-las.

A pessoa com enfisema pulmonar tem uma obstrução crônica caracterizada pelo aumento nas resistências nas vias aéreas ao inspira e expirar. Para movimentar o ar para dentro e para dos pulmões, é necessário uma pressãonegativa durante a expiração, e um adequado nível de pressão deve ser obtido e mantido durante a expiração. A posição de repouso é de insuflação. Em vez de ser um ato passivo e voluntario, a expiração torna-se ativa e exige esforço muscular. O paciente torna-se frequentemente dispneico (respiração difícil ou irregular), o tórax torna-se rígido e as costelas ficam fixadas em suas articulações. Ahiperinflação crônica no paciente com enfisema pulmonar leva a uma configuração conhecida como “tórax de barril”. Os esforços exigidos para o paciente movimentar o ar proveniente do alvéolo danificado e passagem aérea estreita aumenta o trabalho da respiração. A capacidade para se adaptar as necessidades de oxigenação fica comprometida.




Figura 1° Tórax de um adulto normal. Figura 2° Tórax debarril





DIAGNÓSTICO


Para o diagnóstico e necessário obter uma coleta de histórico e exames que serão necessários, baseado na longa exposição ao tabaco referida pelo paciente, associada ás queixas e ás alterações detectadas no exame físico. O tórax é examinado, a ausculta revela sons cardíacos distantes e sons respiratórios diminuídos com a expiração prolongada.

Os exames...
tracking img