Economia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 19 (4508 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ORIGEM: No início do século XV, período da colonização brasileira, mais de quatro milhões de negros africanos cruzaram o Atlântico para tornarem-se escravos na colônia portuguesa. Oriundos de diferentes regiões da África entravam no país, através de navios negreiros, principalmente pelos portos do Rio de Janeiro, de Salvador, do Recife e de São Luís do Maranhão, trazendo na bagagem a culturaafricana.
A maior parte desses negros era proveniente da costa Oeste da África, onde predominavam dois grandes grupos: os Sudaneses e os Bantos.
Os sudaneses vêm da região do Golfo da Guiné, onde se situam hoje a Nigéria e o Benin. Pertenciam às nações Haussais, Jeje, Keto e Nagô, e foram os principais precursores do Candomblé.
O negro foi arrancado de sua terra e vendido como uma mercadoria,escravizado. Aqui ele chegou escravo, objeto; de sua terra ele partiu livre, homem. Na viagem, no tráfico, ele perdeu personalidade, representatividade, mas sua cultura, sua história, suas paisagens, suas vivências vieram com ele. Estas sementes, estes conhecimentos encontraram um solo, uma terra parecida com a África, embora estranhamente povoada. O medo se impunha, mas a fé, a crença - o que sesabia - exigia ser expresso. Para evitar que houvesse rebeliões, os senhores brancos agrupavam os escravos em senzalas, sempre evitando juntar os originários de mesma nação. Por esse motivo, houve uma mistura de povos e costumes, que foram concentrados de forma diferente nos diversos estados do país. Os escravos possuíam suas próprias danças, cantos, santos e festas religiosas. Aos poucos, elesforam misturando os ritos católicos presentes com os elementos dos cultos africanos, na tentativa de resgatar a atmosfera mística da pátria distante. O contato direto com a natureza fazia com que atribuíssem todos os tipos de poder a ela e que ligassem seus deuses aos elementos nela presentes.

FUDAMENTAÇÃO DA RELIGIAO:
Nesse contexto histórico-cultural, surgem, então, as chamadasreligiões afro-brasileiras, que eram, na verdade, novas religiões, diferentes das que praticavam na África, pois, aqui no Brasil, foram misturadas as tradições de diversas culturas africanas com os ingredientes do catolicismo romano.
Religião afro-brasileira que cultua os orixás, deuses das nações africanas de língua Yorubá dotados de sentimentos humanos como ciúme e vaidade, e que tem suas origens noBantu, Nagô e Yorubá. Dos quais somente 16 são cultuados no Brasil
O candomblé chegou ao Brasil entre os séculos XVI e XIX com o tráfico de escravos negros iorubas da cidade de ifé na África Ocidental. Sofreu grande repressão dos colonizadores portugueses, que o consideravam feitiçaria.É conhecido e praticado, não só no Brasil, como também em outras partes da América Latina onde ocorreu aescravidão negra.
Os trezentos anos da história da escravidão do negro no Brasil atestam acima de tudo, a resistência, a organização dos negros. A cultura africana sobreviveu para o negro através de sua crença, de sua religião. O que se acredita, se deseja, é mais forte do que o que se vive, sempre que há uma situação limite. A religião, sua organização em terreiros (roças), foi como muito jáse escreveu a resistência negra. Resistiu-se por haver organização. A organização consigo mesmo. Cada negro tinha, ou sabia que seu avô teve um farol, um guia, um orixá protetor.
No meio dos objetos traficados (os escravos) haviam “jóias” raras: Babalorixás e Iyalorixás. Estes sacerdotes, inteiros nas suas crenças, criaram a África no Brasil. Esta mágica, esta organização reestruturaste só épossível de ser entendida se pensarmos no que é a iniciação, todo processo que implica e estabelece. A cana de açúcar do Senhor de Engenho era plantada por Iaôs recém saídos das camarinhas, dos roncós.

A força se espalhou, o axé cresceu e apareceu na sociedade sob a forma dos terreiros de candomblé. Era coisa de negros, portanto escusa, ignorante, desprezível e rapidamente traduzida como coisa...
tracking img