Direito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (284 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE VALE DO IPOJUCA – FAVIP
Caruaru, 23 de março de 2012.
Alunos: Edwin Matthaus, Gabrielle Fernanda, Genivaldo Santos, Jéssica Marina, Laís Onofre, Rafael Pontes, SauloCabral.
Professor: Marcelo Rocha
Turma: Direito–1203

Resumo |
“O mito ou alegoria da caverna” |
Platão. Livro VII. A República, Ed. Difusão Europeia do livro, SãoPaulo, 1965. |
Imaginemos uma caverna subterrânea que tem a entrada aberta em direção à luz. Nela estão seres humanos aprisionados desde meninos com pernas e pescoçosacorrentados de modo a permanecerem somente olhando diante deles, no mesmo lugar. Mas acima e a diante existe uma fogueira alta, imensa e externa que a luz brilha por trás deles. Porcausa da luz da fogueira enxergam na parede sombras das estatuetas, como jamais viram outra coisa acreditam que sejam as próprias coisas não podem saber que são imagens, nem que háoutros seres humanos fora da caverna e também acreditam que toda a luminosidade possível é a que reina na caverna. Vindo um deles a ser libertado e andar em direção a luzsofreria e seria incapaz de perceber as coisas cuja sombras havia visto antes. Ficaria completamente cego, pois a fogueira na verdade é a luz do sol, acostumando-se com a claridadeveria os homens que transportam as estatuetas, enxergaria as próprias coisas descobrindo que somente agora está contemplando a própria realidade. Libertador e conhecedor oprisioneiro regressaria a caverna, ficaria desnorteado pela escuridão e contaria aos outros o que viu e tentaria liberta-los. Os demais prisioneiros zombariam dele, não acreditariam emsuas palavras e se não conseguissem silenciá-lo tentariam espancando-o e se ele continuasse em afirmar o que viu e os convidasse a sair da caverna certamente acabaria morto. |
tracking img