Diagnose

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1215 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Diagnose de doenças de plantas

1- Ciência: é o conhecimento, sabedoria da área estudada
Arte: é o dom, o talento do pesquisador

2- Entomologia, climatologia, matologia, solos, bioquímica, fisiologia e etc...

3- Sintomas, sinais, fisiologia do patógeno, fisiologia da planta, patologia de sementes.

4- O conhecimento dessas características é a base fundamental para se daro diagnostico de uma doença. Sintomas e sinais possibilitam que seja feita a diagnose, portanto sem o pleno conhecimento deles não é possível fazer a diagnose e a classificação de doenças é o primeiro passo para o reconhecimento do patogeno e o possível controle.

5- A utilidade é que serve para identificar o patogeno, o modo de transmissão, disseminação. Ex:doenças do grupo V- ramularia6- IN VIVO: a diagnose é feita na planta, a nível experimental.
IN VITRO: a diagnose é feita no laboratório
IN LOCO: a diagnose é feita no campo

7- não, podem ser realizadas de forma independente, porem quando são associadas ocasionam um melhor diagnostico.

8- Anamnese é um questionário elaborado para varias doenças e ajuda na identificação, precisão maior e mais rápida.

9-10- Ter o conhecimento da cultura e dos patogenos que a atacam, fazer uma coleta de materiais para analise laboratorial, avaliar a quantidade de doença.

11- Deve ser um profissional qualificado, experiente, com conhecimento de vários fatores agrários, conhecimentos laboratoriais e de varias culturas.
12-
13- 1°- a presença do patogeno deve ser sempre comprovada em todos osindivíduos que sofrem da doença em questão e a partir daí isolada em cultura pura.
2°- O agente não poderá ser encontrado em casos de outras doenças
3°-Uma vez isolado, o agente deve ser capaz de reproduzir a doença em questão, após a sua inoculação.
4°- O mesmo agente deve poder ser recuperado desse experimento infectado e de novo isolado em culturas puras.

14- Fazer procedimentosadequados, por profissionais qualificados, identificar o patogeno e associá-lo a doença em questão, saber fazer a leitura e identificação do patogeno, associar o patogeno aos sintomas.
15- Não, apenas a presença do patogeno não significa que a planta esteja doente, vai depender da capacidade de infecção do patogeno. Não é necessário associa- lo a vários aspectos ( pragas, deficiência nutricional eetc..)

16- Sim, o recente avanço da biotecnologia e da biologia molecular vem sendo aplicados no desenvolvimento de ferramentas sensíveis, especificas e rápidas que auxiliam na detecção de patogenos vegetais, porem os grandes impedimentos são o custo e o tempo para desenvolver as ferramentas, seria necessário grande investimento.

17- Sondas de DNA: foram desenvolvidas para a detecção defungos
ELISA: vem sendo muito utilizado para a detecção de vírus

18- A diagnose virtual é muito limitada pois depende de fotos bem tiradas, com equipamentos modernos e adequados, preparo do fotografo. Geralmente esse tipo de analise é feito devido a pouco tempo a que o produtor dispõem e a longa distancia de locomoção.
Diagnose de Doenças em Plantas

20. Na diagnose de plantas de soja emcondições do cerrado é avaliado como principal processo patogênico a identificação de Antracnose, Mancha Angular, Murcha de Fusarium, Podridão radicular seca, Mofo branco, Mela, Sarna e Ferrugem.
Como processo patogênico secundário tem a identificação de doenças secundarias como Míldio, Mirotécio, Mancha de ascoquita, Mela e Oídio.

21. Na diagnose de doenças em algodão em condições do cerrado éavaliado como principal processo patogênico a identificação de Ramulose, Antracnose, Doença Azul, Fusarium, Mancha Branca e Mancha Angular.
Como processo patogênico secundário tem a identificação de doenças secundarias como Podridão de raízes, Manchas Foliares( Alternaria, Ramularia) e fungos.

22. Na diagnose de doenças em milho em condições do cerrado na safra é avaliado como principal...
tracking img