Desigualdade social

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1956 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
INSTITUTO FEDERAL
PARANÁ
EAD
Curso: Técnico Em Secretariado
Modulo: I - Etapa: I
Disciplina: Sociologia
Professores: Márcia E Maria Helena

DESIGUALDADE SOCIAL

TUNEIRAS DO OESTE – PR
2010

1 INTRODUÇÃO

O crescente estado de miséria, as disparidades sociais, a extrema concentração de renda, ossalários baixos, o desemprego, a fome que atinge milhões de brasileiros, a desnutrição, a mortalidade infantil, a marginalidade, a violência, etc, são expressões do grau a que chegaram as desigualdades sociais no Brasil.

A desigualdade social não é acidental, e sim produzida por um conjunto de relações que abrangem as esferas da vida social. Na economia existem relações que levam a exploraçãodo trabalho e a concentração da riqueza nas mãos de poucos. Na política, a população é excluída das decisões governamentais.

Até 1930, a produção brasileira era predominantemente agrária, que coexistia com o esquema agrário-exportado, sendo o Brasil exportador de matéria prima, as indústrias eram pouquíssimas, mesmo tendo ocorrido, neste período, um verdadeiro “surto industrial”.A industrialização no Brasil, a partir da década de 30, criou condições para a acumulação capitalista, evidenciado não só pela redefinição do papel estatal quanto a interferência na economia, mas também pela implantação de indústrias voltadas para a produção de máquinas, equipamentos, etc.

A política econômica, estando em prática, não se voltava para a criação, e sim para odesenvolvimento dos setores de produção, que economizam mão-de-obra. Resultado: desemprego.

1 2 AS CLASSES SOCIAIS

No mundo em que vivemos percebemos que os indivíduos são diferentes, estas diferenças se baseiam nos seguintes aspectos: coisas materiais, raça, sexo, cultura e outros.

Os aspectos mais simples para constatarmos que os homens são diferentes são: físicos ou sociais.Constatamos isso em nossa sociedade pois nela existem indivíduos que vivem em absoluta miséria e outros que vivem em mansões rodeados de coisas luxuosas e com mesa muito farta todos os dias enquanto outros não sequer o que comer durante o dia.

Por isso vemos que existe a desigualdade social, ela assume feições distintas porque é constituída de um conjunto de elementos econômicos, políticos eculturais próprios de cada sociedade

2 2.1 A DESIGUALDADE SEGUNDO A SOCIOLOGIA CLASSICA

Para Durkheim, os fatos sociais são os modos de pensar, sentir e agir de um grupo social. Embora eles sejam exteriores as pessoas, são assimilados pelo individuo e exercem sobre ele um poder coercitivo. A sociedade só pode ser entendida pela própria sociedade, ou seja, os fatos sociais têmexistência própria e independe daquilo que pensa e faz cada individuo em particular. Embora exista uma consciência individual, é possível notar que dentro de qualquer grupo ou sociedade, existem formas padronizadas de comportamento e pensamento.

Weber estabelece conexão entre o motivo da ação, a ação propriamente dita e seus efeitos. Para isso ele chama de tipos de ação social, ou seja,Ação Social Racional, Ação Social Afetiva, e Ação social Tradicional.

No raciocínio de Weber, o conceito de motivo (...) permite estabelecer uma ponde entre sentido e compreensão. Do ponto de vista do agente, o motivo é o fundamento da ação; para o sociólogo, cuja tarefa é compreender essa ação, a reconstrução do motivo é fundamental, porque, da sua perspectiva, ela figura como a causa daação.

Várias teorias apareceram no século XIX criticando as explicações sobre desigualdade social, entre elas a de Karl Marx, que desenvolveu um teoria sobre a noção de liberdade e igualdade do pensamento liberal, essa liberdade baseava-se na liberdade de comprar e vender. Outra muito criticada também foi a igualdade jurídica que baseava-se nas necessidades do capitalismo de apresentar...
tracking img