Desenvolvimentolocal

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1594 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

































































SUMÁRIO


1 INTRODUÇÃO 3


2 DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL 4


2.1 REESTRUTURAÇÃO CAPITALISTA E A CRISE DOS ESTADOS NACIONAIS 4
2.2 POLÍTICAS BRASILEIRAS PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL 4
2.3 AÇÕES DE DESENVOLVIMENTO LOCAL 5
2.4 PLANEJAMENTO ENVOLVIDONO DESENVOLVIMENTO LOCAL 5
2.5 OPOSIÇÃO DE OPINIÕES 6
2.6 A VERDADE PARA A FILOSOFIA E A NECESSIDADE DE OPINIÕES OPOSTAS 6


3 CONCLUSÃO 8


REFERÊNCIAS 9
INTRODUÇÃO



A partir da crise iniciada em 1970, com a mudança nos modelos de desenvolvimento, o mundo vivencia uma etapa de reestruturação capitalista; medida adotada para reverter o cenário criado pela fragilização dos EstadosNacionais perante ao capital globalizado. E Diante do enfraquecimento dos Estados Nacionais, os munícipios/regiões passaram a ter maior autonomia e responsabilidade de desenvolver medidas próprias de desenvolvimento econômico.
O presente trabalho consiste numa produção textual a cerca do “Desenvolvimento Econômico Local”, que consiste numa estratégia adotada pelos Gestores Nacionais a fim deadaptar o perfil econômico às exigências dessa nova fase do capitalismo.
Sendo assim, este trabalho segue os seguintes objetivos específicos:

• Descrever o significado da crise dos Estados Nacionais e da reestruturação capitalista;

• Detalhar as políticas brasileiras de desenvolvimento local;

• Identificar as ações de desenvolvimento local implantadasem Araguaína-TO;

• Avaliar as potencialidades/ barreiras/oportunidades relacionadas ao desenvolvimento econômico da região.

• Descrever o significado e a importância de opiniões divergentes.





desenvolvimento econômico local






2 Reestruturação Capitalista e a Crise dos Estados Nacionais

Com a globalização, o capitalismo passa hoje poruma intensa reestruturação, e a crise dos estados nacionais nada mais é do que a debilidade frente ao capital globalizado que os estados nacionais têm enfrentado. A crise, iniciada nos anos 70, reformulou o padrão de acumulação e de controle da economia, em consequência do pós-guerra.
A partir daí observa-se “uma maior concentração do capital nas mãos de grandes grupos oligopolistas,fazendo com que os estados nacionais fossem perdendo forças quanto a sua capacidade de atuação na economia, agravada, pela desregulamentação do sistema financeiro internacional.” (CASTANEDA, 2009, p. 13). Tudo isso acarretou na dificuldade de administrar, suprir, e atender as camadas mais baixas.
A restruturação capitalista trata-se do movimento criado para reverter à crise,acentuando ainda mais a concentração e centralização do capital e acirrando a concorrência do grande capital oligopolista.

3 Políticas Brasileiras para o Desenvolvimento Local

No Brasil, todas as transformações impostas pela crise e, sobretudo a questão da fragilização do Estado Nacional em seu poder de intervenção na economia tem transferido, nos últimos tempos, aos governos locais ou estaduais, aresponsabilidade de promoverem por si políticas de desenvolvimento econômico e social, o que ficou conhecido como “desenvolvimento de base local”.
Porém, como cita a autora do texto, muitas são as estratégias e planejamentos em implantadas no país, por exemplo, as políticas de ação solidária, desenvolvimento sustentável, os arranjos produtivos locais, dentre outras ações que visam odesenvolvimento local.


4 AÇÕES DE DESENVOLVIMENTO LOCAL

Entre as principais ações empregadas na região, pode-se mencionar o incentivo fiscal, possibilitando a instalação de indústrias (principalmente alimentícias) e também de instituições de nível superior. Além de recursos de inovação cultural, fortalecendo a realização de atividades características da região, o que projeta a imagem da cidade, sendo...
tracking img