Dahl – santos – nabuco

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2512 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Dahl – Santos – Nabuco
Robert Dahl, importante cientista político do pós guerra, cunhou o termo poliarquia com o intuito de melhor descrever os regimes que combinam participação ampliada com competição política, uma vez que as democracias existentes são pobres aproximações do ideal democrático. Em seu livro “poliarquia” ele tem como objeto de estudo a transição de regimes e assume comoobjetivo fazer uma análise que rompa com a visão linear da história e liberte a política do determinismo.
Para Dahl, a chave da democracia é a responsividade do governo para com seus cidadãos tratados como politicamente iguais, pluralismo para que nenhum grupo possua o monopólio de algum recurso de poder, direito de formular e expressar suas preferências e o equilíbrio de forças que não dê a nenhumgrupo a condição de eliminar os demais. Para isso é necessário direito a voto, liberdade de organização, liberdade de expressão, fontes alternativas de informação e eleições livres.
Para classificar os regimes existentes Dahl utiliza duas dimensões sobrepostas: amplitude da contestação pública (liberalização) e direito de participação nas eleições (inclusividade). A partir dessas dimensões elepode classificar os regimes como hegemonias fechadas onde não há nem liberalização nem participação, oligarquias competitivas onde há liberalização mas não participação, hegemonias inclusivas onde há participação mas não liberalização e poliarquia.
A poliarquia tem como vantagem a participação ampliada, a diversificação da representação, a dificuldade de coerção em alto grau e o desenvolvimento deestruturas partidárias mais modernas acionadas pela competição. O melhor caminho para se chegar de uma hegemonia fechada para uma poliarquia é a liberalização precedendo a inclusividade porque é mais estável devido a menor severidade do conflito pois os laços sociais intra elitistas os restringem. Os outros dois caminhos, a inclusão precedendo a liberalização e o atalho direto para a poliarquia,são mais instáveis pois não fornecem o tempo necessário para se construir um sistema de garantias mutuas. Cabe lembrar que o primeiro caminho já quase não é mais possível tendo em vista que a maioria dos países já estendeu o sufrágio à maior parte da população.
A inauguração de um regime competitivo também interessou ao autor e ele demonstrou como são os caminhos possíveis num Estadoindependente e num país dependente. No primeiro caso pode se dar através de processos evolutivos, revolução ou conquista militar. No segundo caso se dá por processos evolutivos ou na luta pela independência. Em ambos os casos o processo evolutivo tem mais chances de levar a poliarquia devido à estabilidade gerada pelo sentimento de legitimidade do processo. Já a via revolucionária dá ao novo regime umalegitimidade mais passiva de contestação uma vez que provavelmente existirão atores leais ao antigo regime.
A ordem socioeconômica também é uma variável de extrema importância para a possibilidade ou não da existência de um regime de poliarquico. O desenvolvimento socioeconômico é um facilitador para a poliarquia. O autor entende que alfabetização, educação, comunicação, ordem social pluralista eausência de extrema desigualdade são fatores decisivos para a existência de contestação política, assim como economia descentralizada.
Na chave das desigualdades, o autor nos lembra de que desigualdades de recursos socioeconômicos é desigualdade política o que torna um regime mais propenso a instabilidades. Isso, pois, há o entendimento de que um governo tolera uma oposição, e vice versa,quando os custos de supressão são maiores que os custos de tolerância, isso é: tolerância e supressão dependem dos recursos disponíveis para os mesmos, entendendo por recursos a violência e as sanções socioeconômicas.
As desigualdades nas sociedades agrárias se dão em torno da concentração da propriedade da terra o que também significa concentração de recursos políticos. Sociedades camponesas...
tracking img