Clp basico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1756 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO
ALUNOS: ANDRÉ BEMFICA; EVERTON RUGGERI
LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

Tutorial com exemplos práticos utilizando os principais recursos do software RSLogix.
O Micrologix 1200 (Rockwell) será o CLP usado nos exemplos, outras marcas usam simbologias e
parâmetros diferentes, mas o conceito é o mesmo.
Assim que abrir o programa, crie um novo projeto(file, new ou ctrl+ ) escolhendo adequadamente o
CLP (Micrologix 1200 series c).

Figura 1
Feito isso, visualizaremos a interface do RSLogix.

Figura 2

Do lado esquerdo encontramos a árvore do projeto, onde se encontram todos os parâmetros e
arquivos do seu projeto.

Figura 3

A próxima figura é da barra online, que informa o modo de operação. Nela por exemplo, fazemos o
download doprograma feito no RSLogix para o CLP.

Figura 4

Em seguida visualizamos a barra de instruções, que contém todas as instruções numa tabela de
categorias.

Figura 5
Agora vamos dar início às funções em linguagem Ladder. No RSLogix 500 as entradas, saídas e os
relés internos (memórias), são representados respectivamente por “I” (Input), “O” (Output) e “B3”
(Binary). As entradas e saídasestão em áreas de memória divididas em palavras (words). Cada
entrada ou saída ocupa um bit, sendo assim, no endereçamento, temos que especificar o bit e em
que palavra está.
I:0/0

O:0/0

Ou seja, “0/0”, significa respectivamente world e bit.

B3:0/0

Linha: a instrução marcada na figura serve para adicionar mais linhas ao programa.

Figura 6
Paralelo: essa instrução é para formação deparalelos no circuito.

Figura 7
Entrada NA: adiciona entradas normalmente abertas.

Figura 8
Entrada NF: adiciona entradas normalmente fechadas

Figura 9
Saída: adiciona saídas ao programa.

Figura 10
Exemplo 1: Contato de selo. Dois botões de pressão (A e B) e um relé interno (memória), são
utilizados para controlar um motor. Quando A for pressionado, o motor deve ligar epermanecer
assim até que B seja pressionado.

Figura 11

Latch (set): liga uma saída e a mantém ligada mesmo que o contato da entrada deixe de conduzir.

Figura 12

Unlatch (Reset): d esliga uma saída acionada pela função latch (set).

Figura 13
Exemplo 2: Set e Reset. Um prédio de três andares possui um alarme contra incêndio, o alarme
possui três entradas, uma em cada andar, se qualquer umadelas for acionada, o alarme dispara e
assim permanece até que outro botão na sala central seja pressionado. Os CLPs da Allen-Bradley
(RSLogix 500), não seguem o padrão “S e R”, dando o nome de Latch e Unlatch as instruções
equivalentes a “S e R”, respectivamente.

Figura 14
Borda de subida (OSR - One Shot Rising): funciona da seguinte maneira: na transição do contato,
de desligado paraligado, o bit de saída (output bit) só vai ter o valor 1 no primeiro ciclo de
varredura.

Figura 15

Borda de descida (OSF – One Shot Falling): é o contrário do OSR, o bit só terá valor 1 na
transição de ligado para desligado.

Figura 16
Exemplo 3: Borda de subida (OSR - One Shot Rising). Em um fábrica, deseja-se ligar um motor
com apenas um botão normalmente aberto.

Figura 17Contadores. Contador crescente: quando é detectada a mudança do nível lógico 0 para 1 (borda de
subida), o valor acumulado aumenta uma unidade, a saída será energizada quando o valor
acumulado for igual ou maior que o do preset. Contador decrescente: parecido com o crescente,
porém o valor acumulado diminui uma unidade e a saída será energizada quando o valor acumulado
for menor ou igual a zero.Contador Bidirecional: é uma mistura dos dois controladores descritos
anteriormente, possui duas saídas, uma que é ativada quando o valor acumulado foi igual ou maior
que o do preset e outra que é ativada quando o valor acumulado chega a zero.
CTU (contador crescente):

Figura 18

CTD (contador decrescente):

Figura 19

Counter: endereço do contador (C5:0). Preset: valor desejado de...
tracking img