Da monarquia absoluta ao iluminismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2102 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
DA MONARQUIA ABSOLUTA AO ILUMINISMO
-Longo processo histórico, marcado pelo capitalismo
comercial (política mercantilista), sistema colonial e
Absolutismo monárquico, com origens na Idade Média;
-Renascimento do comércio, monetarismo e busca por
centralização política;
-Aparelho de dominação feudal, recolocado e reforçado,
destinado a sujeitar as massas camponesas à sua posiçãosocial tradicional;
DA MONARQUIA ABSOLUTA AO ILUMINISMO
-Longo processo histórico, marcado pelo capitalismo
comercial (política mercantilista), sistema colonial e
Absolutismo monárquico, com origens na Idade Média;
-Renascimento do comércio, monetarismo e busca por
centralização política;
-Aparelho de dominação feudal, recolocado e reforçado,
destinado a sujeitar as massas camponesasà sua posição
social tradicional;
-Suprimento de necessidades de formação de um Estado,
para exercer o poder: força de coerção, exército próprio e
permanente; meios econômicos (tributos), centralização da
Justiça e da burocracia.
-Contribuição: Renascimento do direito romano,
surgimento das Universidades e de juristas com formação em
direito romano.
-Direito romano como a maispoderosa arma intelectual
disponível para seu programa característico de integração
territorial e centralismo administrativo.
FRANÇA DE LUIX XIV
-exemplo de centralização de poder (1661 a 1715), mas
não de prosperidade do país;
-apoio de teorias justificativas do Absolutismo e da
necessidade do Estado: Maquiavel, com “O Príncipe”,
ensinando o governante a conquistar e a manter opoder;
Thomas Hobbes: justificação do poder nas mãos de um só,
pacto de sobrevivência – poder do rei como resultado desse
pacto.
-Justificação divina da autoridade do rei (Jacques
Bossuet)

-Luis XIV – governou sozinho, dissolvendo o Conselho
de Estado;
-Descontentamento dos nobres apaziguado pela formação
da corte (6 mil pessoas no Palácio de Versailles);
-Organização socialbaseada na distinção social:
desigualdade demonstrada até nos tecidos, destinados a classes
diferentes (episódio do Chapolin);
-Reunião de todos os tribunais ao do rei; centralização da
justiça;
-Prisões efetuadas por ordem do rei (ordens régias, através
de lettre de cachet); prisões superlotadas, embora não houvesse
pena de prisão; como não havia prazo determinado,
prisioneirospoderiam ficar presos por um longo período.
-LER CONDIÇÕES DAS PRISOES – CASTRO P. 205
-Luis XIV – governou sozinho, dissolvendo o Conselho
de Estado;
-Descontentamento dos nobres apaziguado pela formação
da corte (6 mil pessoas no Palácio de Versailles);
-Organização social baseada na distinção social:
desigualdade demonstrada até nos tecidos, destinados a classes
diferentes (episódiodo Chapolin);
-Reunião de todos os tribunais ao do rei; centralização da
justiça;
-Prisões efetuadas por ordem do rei (ordens régias, através
de lettre de cachet); prisões superlotadas, embora não houvesse
pena de prisão; como não havia prazo determinado,
prisioneiros poderiam ficar presos por um longo período.
-LER CONDIÇÕES DAS PRISOES – CASTRO P. 205
ILUMINISMO E CRÍTICAS AOESTADO ABSOLUTISTA
-reação ao Absolutismo Monárquico por parte da
intelectualidade da Europa – ILUMINISMO, LUZES,
AUFKLÄRUNG
-movimento intelectual que tinha por característica uma
confiança absoluta no progresso e na razão que desafiou em seu
século a autoridade e incentivou o livre pensamento como meio
de alcançar o objetivo principal dos iluministas= a felicidade
humana;-avanços científicos e tecnológicos: física, astronomia,
química, botânica, geologia, cartografia,...
-herdeiros do Renascimento e da Revolução Científica do
século XVII.
-Política: iluministas propunham uma cidadania centrada
na liberdade e na defesa burguesa da propriedade (concepções
da Antiguidade Clássica); vida social entendida como uma
sociedade – associação voluntária de homens...
tracking img