Crise do czarismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 22 (5335 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
EDUCAÇÃO DE SURDOS: EM TEMPOS DA DIFFÉRANCE




ROSANA RIBAS MACHADO *








Resumo

A proposta deste artigo é situar as diferenças implicadas na educação de surdos na perspectiva dos Estudos Culturais. Identificando na língua de sinais não somente os valores lingüísticos, mas os aspectos culturais, sociais e políticos, produzidos nas relações sociais da diferença, cujoprocesso de significação que produz a diferença se dá em conexão com relações de poder.

Palavras chave: Diferença / Educação / Surdo / Estudos Culturais/ Língua de Sinais/ Poder/ Identidade.





Abstract

The goal of the present essay is to determine the differences implicated in the education of deaf people based on the perspective of Cultural Studies. Also, it is intended to identifynot only the linguistic values but also cultural, social and political aspects caused by the social relations of difference, whose process of meaning that produces the difference occurs on a connection-to-power basis.

Key words: Difference/ Education/ Deaf/ Cultural Studies/ Sign Language/ Power/ Identity_______________________________________________________________________
*Pedagoga – Secretaria Estadual de Educação do Paraná. Mestre pelo programa de Pós-Graduação em Educação – Linha de Pesquisa Educação e Processos Inclusivos, pela Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC. Florianópolis, 2007.



EDUCAÇÃO DE SURDOS: EM TEMPOS DE DIFFÉRANCE



“... em tempos das diferenças!Aproximando olhares, estabelecendo fronteiras, no encontro com o outro.
O mesmo, a repetição, o igual,o homogêneo,o padrão o determinado, a deficiência,a perda, a falta,produziu imagens, traduziu significados, representou a limitação, a negação, a incapacidade do ser.
A diferença inscreve-se na possibilidade, ultrapassabarreiras, multiplica identidades, abre-se ao novo, acolhe o desconhecido, reconhece minorias.
Assim, a LIBRAS, vem (des)contruindo verdades sobre o outro. Pulsiona, desnuda, demarca, indefine, irrompe, transpõe, traduz as diversas vozes que compõem o pensamento e a linguagem,por quem interage com o mundo por outra travessia lingüística, a visual espacial, nas relaçõesdas diferenças”.
(Rosana Ribas Machado)






A presença recente da língua de sinais na educação de surdos aponta aos profissionais, uma série de questionamentos, inquietudes e desafios frente ao contexto educacional. Muitas indagações e polêmicas, despertaram entre os profissionais, pois introduziu-se um novo olhar sobre apedagogia, não somente a oral–auditiva, mas a pedagogia viso-espacial.
Sobre esta nova perspectiva de visualizar a pedagogia, surgem algumas reflexões referentes às dificuldades e o desconhecimento dos profissionais ouvintes, em lidar com as intervenções pedagógicas adequadas as necessidades dos surdos, quais sejam: o aprendizado da língua 2 por esse alunado; a leitura e escrita, oprocesso de avaliação, de ensino e aprendizagem e principalmente conhecer a estrutura e funcionamento da LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) e a sua prática.
De outra forma, para os surdos, essa necessidade de que a sociedade reconheça o valor da língua de sinais na vida desta comunidade, representa a liberdade de expressarem-se e sentirem-se valorizados, no uso da sua língua natural, a línguade sinais.
As línguas de sinais são línguas naturais que utilizam o canal viso-manual, criadas por comunidades surdas através de gerações. Estas línguas, sendo diferentes em cada comunidade, têm estruturas gramaticais próprias, independentes das línguas orais dos países em que são utilizadas. As línguas de sinais possuem todas as características das línguas orais, como a polissemia...
tracking img