Crise do capitalismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1014 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Quando terminou a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), a Itália tinha enormes dívidas, uma inflação crescente e a produção industrial e agrícola arruinada. O desemprego e os baixos salários geravam protestos. As esperadas compensações territoriais e econômicas que o país esperava por seu apoio aos aliados não se concretizaram, o que causou grande frustração nacional.
Nesse clima detensão social e crise econômica, Benito Mussolini criou, em 1919, grupos paramilitares que dois anos depois originaram o Partido Fascista Italiano. Nacionalista extremado, Mussolini soube explorar as insatisfações sociais e os anseios populares, criando uma ideologia de exaltação à pátria e ao Estado. O programa fascista defendia a supremacia do Estado sobre a sociedade e a limitação dos poderes dolegislativo. Combatia a democracia, o liberalismo e o comunismo. Propunha restabelecer a ordem social e empreender o crescimento econômico e a expansão territorial da Itália.
A Alemanha também passou por sérias dificuldades após a Primeira Guerra, que culminaram em 1923 com uma hiperinflação. A crise monetária desorganizou a economia, trouxe o desemprego e estimulou as manifestaçõescontra o governo. Uma das tentativas de golpe foi feita pelos nazistas em 1923, em Munique. O movimento fracassou e Adolf Hitler – um dos líderes, até então praticamente desconhecido- foi preso, sendo, libertado alguns meses depois.
Em 1924, em razão de grandes empréstimos feitos pelos Estados Unidos, a economia alemã reorganizou-se. A agricultura e a indústria retomaram seu crescimento, apolítica estabilizou-se e os conflitos sociais diminuíram. Até 1930, a Alemanha viveu uma época de prosperidade, que se refletiu na vida intelectual e artística do país. Foi à época de ouro do cinema alemão e da vanguarda no teatro, da pintura e das artes decorativas.
A crise de 1929 interrompeu a prosperidade e lançou a Alemanha na recessão econômica. Os problemas se agravaram em 1930com saída maciça dos capitais americanos e com a falência de bancos e indústrias. O desemprego atingiu milhões de trabalhadores. As medidas do governo para sair da crise não deram resultado. Nas eleições de 1932, o Partido Nazista elegeu cerca de 40% dos deputados, prometendo trabalho aos desempregados e culpando os judeus pela crise do país.
O programa nazista era racista,anticomunista, antidemocrático, ultranacionalista, militarista e pangermanista. Propunha um Estado forte de base racial, sintetizado no lema “Um povo, um império e um guia”. Para os nazistas, o povo alemão descendia dos arianos, a “raça superior”, que segundo Hitler estava destinada a dominar s outros povos, considerados inferiores.
O resultado das eleições de 1932 permitiu aos nazistas chegarem aopoder. Em 1933, Hitler foi nomeado chanceler (primeiro-ministro) pelo presidente da |República. Assumindo a direção do país, em alguns meses Hitler transformou o regime numa ditadura nazista.
Lênin se afastou do poder em 1923, sem ter consolidado o comunismo na União Soviética. Com sua morte, em 1934, iniciou-se uma disputa entre dirigentes do Partido Comunista. O secretário-geral,Joseph Stalin, declarou-se sucessor de Lênin e, com o apoio da maioria do partido, tomou o poder e eliminou seus rivais. Stalin concentrou plenos poderes e se manteve na direção do país até sua morte, em 1953.
Desejando uma rápida industrialização, Stalin pôs fim a NEP e adotou, a partir de 1928, os chamados planos qüinqüenais, que fixavam metas e os meios para atingi-las.
Apolítica industrial concentrou-se na indústria pesada (siderúrgica, metalúrgica, química etc.) e na realização de grandes obras, como hidrelétricas e ferrovias. As greves foram proibidas e os operários, estimulados (sob intensa vigilância) a alcançar as metas propostas. Como resultado desse esforço, ocorreu o crescimento de alguns setores da indústria pesada, em detrimento da produção agrícola e de...
tracking img