Contabilidade internacional

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 22 (5303 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
QUALIT@S Revista Eletrônica.ISSN 1677-4280 V7.n.1. Ano 2008

Contabilidade Internacional: Um Enfoque sob a Realidade Brasileira e Mundial
Hugo Costa Macedo

Resumo: A partir de casos observados no mercado mundial envolvendo a emissão de demonstrações contábeis fraudulentas inicia-se uma série de estudos que dão origem a um conjunto de Normas Contábeis Internacionais, diversas entidadesinternacionalmente reconhecidas cumprem a partir de então um papel de fiscalização sobre as companhias que atuam em operações abertas, sejam elas em bolsas de valores ou no “pregão” eletrônico NASDAQ. A rigidez das normas aplicadas hoje a tais companhias faz com que as atividades de Governança Coorporativa tomem outra conotação e com isso a responsabilidade entre os profissionais de contabilidade e daalta gestão coorporativa fundam-se com um objetivo comum ao final destas reformulações legais: o uso da ética e responsabilidades mútuas para a emissão de resultados que demonstrem verdadeiramente a situação destas empresas. A qualidade de tais demonstrações e relatórios emitidos nesse novo cenário tende então a tornarse cada vez mais uma exigibilidade intrínseca à área contábil, de forma que sepossa convergir informações a nível mundial com um padrão de altíssimo rigor técnico-científico, o que exige uma mudança de visão não apenas no campo profissional, mas uma reorganização que envolve desde o campo acadêmico até os alto executivos responsáveis pela gestão de trans-nacionais. Palavras-Chave: Convergência – Normas – Mercado

1 Introdução Desde o início do novo século, constata-se umasérie de escândalos envolvendo o nome de grandes corporações transnacionais de capital aberto a exemplo, da ENRON, WorldCom, Parmalat e Círio, fatos estes de grande relevância no mundo dos negócios. A partir disso passou-se a ter uma maior observância não só em relação à responsabilidade dos profissionais da área contábil envolvidos com tais organizações, mas também com a responsabilidade éticados seus gestores como um todo. Nestes casos citados, revela-se uma grande mobilização e estudos relevantes no sentido de melhor atender às exigências cada vez maiores dos investidores de tais organizações, visto a maciça pressão destes em detrimento da confiabilidade dos relatórios emitidos pela contabilidade, principalmente no que se referem às bolsas de valores e com negociações na NASDAQ, paraque se procure tratar de uma melhor governança corporativa e premissas éticas através de controles internos e sistemas contábeis confiáveis. Nesse contexto, surge uma série de estudos, para que se possa intervir junto aos órgãos de normalização das atividades contábeis. Dados de setembro de 2005 comprovam a adesão junto a estas modificações das normas norte-americanas em 96 países, número este quedeve ter aumento considerável, visto a representatividade da economia americana no globo como um todo, bem como sua representatividade para órgãos como a fundação IASC – International Accounting Standards Comitee (Conselho de Normas de Internacionais de Contabilidade).

1

QUALIT@S Revista Eletrônica.ISSN 1677-4280 V7.n.1. Ano 2008

A princípio o Brasil também conta com uma instituiçãoespecífica para tornar compatíveis as normas brasileiras com as internacionais, o CPC (Comitê de Pronunciamentos Contábeis), que inicialmente apresenta duas simples funções: "A primeira é unificar as práticas contábeis brasileiras. A segunda é harmonizar as normas nacionais conforme o padrão internacional, o que o CFC (Conselho Federal de Contabilidade) e o Instituto dos Auditores Independentes doBrasil (Ibracon) já fazem há alguns anos", segundo Irineu de Mula, CFC (2005). De modo geral percebe-se que em países que seguem o modelo da Europa Continental (com forte embasamento legal/fiscal para emissão de normas contábeis) o processo de harmonização poderá sofrer maiores avanços sendo feito com base na modificação dos princípios de contabilidade, segundo Pedro Lúcio Siqueira Farah (19ª....
tracking img