Consumo infantil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 32 (7813 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
I Introdução
Este trabalho toma como base a ideia de que as crianças estão sendo inseridas cada vez mais no mercado consumidor, e que, consequentemente, há um aperfeiçoamento das estratégias de marketing visando tal público. Alguns dados que comprovem essa mudança estão presentes no livro Administração de Marketing (2009, KOTLER) e mostram que a influência direta de crianças com idade de 4 a 12anos na economia norte-americana girou em torno de 275 bilhões de dólares, apenas no ano de 1999.
Assim, o grupo tem como objetivos identificar quais são as estratégias de marketing voltadas ao público que se encontra na primeira infância (restrição do público infantil, visando crianças na faixa de 0 a 6 anos), além de analisar as questões éticas destas estratégias, tendo em mente que essascrianças não têm discernimento sobre o conceito de valor financeiro e de trocas comerciais, e nem o conhecimento necessário para fazer suas próprias escolhas de maneira sensata e responsável. Há de se relevar também que nessa “sociedade de hiperconsumo” em que estamos inseridos, as crianças não estão isentas de serem influenciadas pelo marketing, uma vez que este chega a atingir até mesmo as instituiçõesde ensino.
O conceito de hiperconsumo, segundo consta no livro A Felicidade Paradoxal (2006, LIPOVETSKY), trata-se de como a sociedade de consumo se organiza atualmente, e, para isso, o autor classificou em três fases a evolução do consumo durante o tempo. A primeira começa por volta de 1880 e dura até a Segunda Guerra Mundial, tendo como características: a produção em larga escala; apadronização de produtos; o surgimento da publicidade, diminuindo a importância da intermediação do comerciante; a criação de marcas associadas aos produtos e a criação do consumo-distração e do consumo-sedução. O consumo era restrito a uma minoria, o que gerou o consumidor moderno.
A segunda fase do consumo se inicia juntamente com a Guerra Fria, e é caracterizada pelo aperfeiçoamento da primeira além depossuir características próprias. É nesta fase que a mídia tem um papel decisório na escolha feita pelos consumidores, tanto com o aumento da força das marcas tanto com o desenvolvimento da publicidade. O aumento do número de consumidores gerou a necessidade de produção maior que da fase anterior, isso por conta do surgimento do crédito, ou seja, o empréstimo de dinheiro, possibilitando o aumento dademanda por bens duráveis. Visando ascender socialmente e proporcionar uma felicidade instantânea, os consumidores passam a se importar mais com a quantidade do que com a qualidade, possibilitando às empresas lucrarem mais a partir de produtos com menor durabilidade. Esta fase se caracteriza pelo consumo de massa.
Por fim, a terceira fase do consumo é quando a ostentação do consumo se torna umacaracterística menos relevante para dar espaço à valorização do momento da compra e à emoção. É essa fase que vivenciamos hoje, do “hiperconsumo”, em que o consumo ocorre através de relações emocionais entre o individuo e a mercadoria, tendo a marca como suporte para a formação da identidade dos consumidores. A felicidade é obtida quando o produto satisfaz as necessidades de conforto e bem-estar doconsumidor, porém não se trata de uma felicidade completa, e sim de algo passageiro. Portanto, esta fase manifesta o individualismo dos consumidores. Assim, há uma maior diversidade de produtos e, por seguinte, uma maior concorrência entre as marcas então, para atender essa sociedade onde as experiências na loja e na comunicação afetam a decisão de compra, o marketing passou a buscar novasmaneiras de atingir seu público alvo. Assim, os consumidores passam a ser “hiperconsumidores”.
Esse novo tipo de consumidor é exemplificado no livro Administração de Marketing (2009, KOTLER) pela nova perspectiva da família chinesa que, devido ao controle de natalidade, as famílias têm apenas um filho, e inserem as crianças na chamada síndrome dos “seis bolsos”, na qual elas recebem presentes de...
tracking img