Clarice lispector

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2325 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Análise do conto “Feliz aniversário”


Trata-se do conto mais irônico do livro “Laços de Família”. É narrado em terceira pessoa, não havendo, assim, invocações quanto ao modo de narrar. Entretanto, podemos verificar um narrador crítico em relação à burguesia.
O espaço enfocado é o doméstico, e o tempo, o interior ou psicológico.
A autora demonstra, com esseconto, a hipocrisia da sociedade em que vivemos, pois se percebe que a festa de aniversário se processa apenas no nível do parecer. Embora a família estivesse com as relações estremecidas com o irmão de Olaria, sua esposa foi à festa de aniversário somente para constar. Também fez questão de estar muito bem trajada, para não levantar dúvidas sobre sua situação financeira.
“O marido não veiopor razões óbvias: não queira ver os irmãos. Mas mandara sua mulher para que nem todos os laços fossem cortados...” (p. 54)
“Vim para não deixar de vir.” (p. 54)
A narrativa evidencia que a idade modifica a aparência das pessoas, fazendo com que elas, aos olhos dos outros, tornem-se seres apáticos, sem vida.
“Os músculos do rosto da aniversariante não ainterpretavam mais, de modo que ninguém podia saber se ela estava alegre. Estava era posta à cabeceira. Tratava- se de uma velha grande, magra, imponente e morena. Parecia oca.” (p. 56)
A família organizara uma festa de aniversário para a velha, sem ao menos consultá-la, para saber se aquilo a agradaria. Nem mesmo o cardápio da festa foi escolhido pensando nela. A única solução para este serangustiado era recolher-se em seu canto, já que ninguém se preocupava com ele.
“A velha não se manifestava.
Então, como se todos tivessem tido a prova de que não adiantava se esforçarem, com um levantar de ombros de quem estivesse junto de uma surda, continuaram a fazer a festa sozinhos...” (p. 57)
“A gordura quente dos croquetes dava um cheiro de piquenique; e decostas para a aniversariante, que não podia comer frituras, eles riam inquietos.” (p. 57)
Clarice Lispector utiliza-se de um recurso que lhe é muito peculiar para compor a narrativa: a insistente repetição de termos para efeito de ênfase. Expressões como: “ela era mãe”, “a sua família”, “a dona da casa” e “a aniversariante” se encontram espalhadas por todo o texto como que para chamar aatenção do leitor.
“Eles se mexiam agitados, rindo, a sua família.” (p. 60)
“... a aniversariante ficou mais dura na cadeira, mais alta. Ela era a mãe de todos. E como a presilha a sufocasse, ela era a mãe de todos...” (p. 60)
Durante todo o conto a velha permanece inalterada diante daquelas pessoas entusiasmadas e eufóricas, apenas percebendo, através do seu monólogointerior, a superficialidade da família. Entretanto, há um momento em que ocorre uma espécie de demonstração de revolta por parte da velha: é quando ela cospe no chão, tomada por um acesso de cólera por fazer parte daquela família tão medíocre. Esta parece ser uma forma de provar para todos que ela estava ali, de chamar a atenção daqueles que a estavam ignorando. Este momento pode ser consideradoo clímax da narrativa, pois o ato de “cuspir no chão” é a figura que manifesta, no nível discursivo, o fato de os laços de família não se sustentarem mais, extremamente fragilizados no momento em que se encontram, ocorrendo, assim, uma ruptura.
“Olhou-os com sua cólera de velha. Pareciam ratos se acotovelando, a sua família. Incoercível, virou a cabeça e com força insuspeita cuspiu nochão.” (p. 60-61)
A aniversariante sentia-se mal ao constatar que aquelas criaturas, tão fracas ali, presentes, haviam se formado a partir dela, e isso a incomodava.
“O tronco fora bom. Mas dera aqueles azedos e infelizes frutos, sem capacidade sequer para uma boa alegria. Como pudera ela dar à luz aqueles seres risonhos fracos, sem austeridade?” (p. 60)
A autora...
tracking img