Cirugia bariatrica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3322 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução
A obesidade é uma doença crônica, de prevalência crescente, que, pelos riscos associados, vem sendo considerada como um dos principais problemas de saúde publica da sociedade moderna.
O grande numero de pacientes submetidos a cirurgia bariátrica e que no pos operatório apresentam complicações, assim justifica uma investigação pré operatória detalhada.
A obesidade é vistaatualmente como um dos problemas de saúde publica mais preocupante devido ao seu crescente aumento e as graves conseqüências que pode acarretar. Trata-se de um fenômeno multifatorial que envolve componentes genéticos, comportamentais, psicológicos, sociais, metabólicos e endócrinos.
A maneira mais objetiva para classificar a obesidade é o índice de massa corpórea (IMC). A faixa de peso de IMC consideradanormal varia de 19 a 24,9 kg/m². Pessoas com IMC de 25 a 30 são consideradas acima do peso, enquanto aquelas entre 30 e 40 já são classificadas como obesas. Finalmente, pessoas com IMC acima de 40 são portadoras de obesidade mórbida. Os pacientes com obesidade mórbida devem ser encarados como portadores de uma doença que ameaça a vida, reduz a qualidade de vida e auto-estima e que requeremabordagens eficientes para promover uma redução de peso. Esses pacientes são candidatos a cirurgia bariátrica.
Objetivo
Determinar perfil clínico nutricional de pacientes obesos submetidos à cirurgia bariátrica.
Metodologia
?

Revisão
Características psicológicas de pacientes submetidos à cirurgia bariátrica
A obesidade é uma doença crônica, que com o grande crescimento de casos, vem sendoconsiderada como um dos principais problemas de saúde pública da sociedade moderna.
A cirurgia bariátrica é recomendada para indivíduos bem informados, motivados e com o obesidade de classe 3, que tivessem riscos operatórios aceitáveis , e para aqueles com obesidade de classe 2 e condições pré mórbidas de alto risco.
Existem relatos de suicídio de pacientes depressivos após a realização de cirurgiabariátrica. Essas circunstâncias apontam para um desequilíbrio psíquico nos pós-operatório, e que os novos sintomas que surgem são basicamente de caráter auto-agressivo.
Estudos mostram que apesar das agudas modificações físicas e psíquicas que a cirurgia bariátrica impõe a aceitação social e o sentimento de reencontro com sua identidade que estava encoberta pelo excesso de gordura corporal,rompe o ciclo vicioso de baixa auto-estima, com sensível melhora da qualidade de vida dos pacientes.
Pacientes são submetidos à cirurgia bariátrica no Hospital de Clínicas da UNICAMP, a partir da aplicação do método clínico em grupo terapêutico aberto. Esses grupos são semanais, conduzidos por psicólogos e baseiam-se no convite e na participação espontânea dos pacientes que foram submetidos àcirurgia. Tem como objetivo principal colocar os pacientes na sua nova condição de vida e, com isso melhorar o pós- operatório deles, para manter a perda de peso.
Os pacientes que chegam ao grupo de pós- operatório já se sentem de alguma forma como vencedores. Venceram os desafios do período pré- operatório, sobreviveram à cirurgia, suportaram o primeiro mês de operados, onde a dieta liquida e pastosaé sempre vivida como “um suplicio a ser tolerado por uma causa maior”. Mas tal sensação de vitória pouco a pouco, vai sendo vista pela dureza que esses pacientes vão passar pela sua nova condição. A alimentação sempre foi feita como um principal prazer, sempre com certa culpa pela quantidade de alimentos a ser ingerida, muitas vezes provocando vômito.
Num dos grupos foram discutidos como éfreqüente o problema enfrentados pelo obeso em relação a sua dificuldade para estar nos padrões sociais. No meio da conversa, sempre surgem comentários dos pacientes sobre a sua condição na sociedade, onde passam por situações constrangedoras como, por exemplo, “nosso problema são as catracas dos ônibus coletivos, se não prestar atenção fica entalado” diz um dos pacientes. Agora com certo alivio por...
tracking img