Ciencias contabeis

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3916 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de novembro de 2010
Ler documento completo
Amostra do texto
Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 93/94: 29-37, dez. 1998

DE TAYLOR AO MODELO JAPONÊS: MODIFICAÇÕES OCORRIDAS NOS MODELOS DE ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO E A PARTICIPAÇÃO NO TRABALHO

FROM TAYLOR TO THE JAPONESE MODEL: MODIFICATIONS OF THE PRODUCTION MODELS
AND PARTICIPATION IN THE WORK

Maria Silvia Monteiro¹& Jorge da Rocha Gomes²
¹ Enfermeira do Trabalho, Sanitarista, Mestre e Doutoranda em Saúde
Pública na Faculdade de Saúde Pública da USP, Professora Assistente do
Departamento de Enfermagem da UFSCar.
² Professor Titular da Área de Saúde Ocupacional do Departamento de
Saúde Ambiental da F.S.P. da USP.

RESUMO
É apresentada uma revisão da literaturacom as modificações ocorridas nos modelos de organização do trabalho na produção desde o Taylorismo até o Modelo Japonês. A participação no trabalho, característica importante da organização do trabalho no contexto atual de globalização da economia e de reestruturação produtiva também é abordada, resgatando-se a perspectiva de vários autores sobre o tema.
Palavras-chaves: Organização do trabalho,Modelos de organização da produção, Participação no trabalho.

SUMMARY
By means of a literature review the article discusses the modifications that have occurred in the production models from Taylor until the Japanese Model. Participation in the work, an important characteristic of the work organization in the current context of economic globalization and productive restructuration, isdiscussed and the perspective of various authors is presented.
Keywords: Work organization, Evolution of the production models, Participation in the work.
Nas primeiras décadas deste século desenvolveram-se os primeiros trabalhos sobre administração com o objetivo de racionalização industrial.

Nos Estados Unidos, Taylor desenvolveu experiências destinadas a aumentar a produtividade medianteeficiência no nível operacional e baseado nelas propôs métodos e sistemas de racionalização do trabalho fundamentado em três princípios: interferência e disciplina do conhecimento operário sob o comando da gerência, seleção e treinamento - não se desejam qualidades profissionais, mas habilidades pessoais específicas para atender às exigências do trabalho - e planejamento e controle do trabalhopela gerência (FLEURY & VARGAS, 1987, pp.19-23).

Em l916 Fayol, um engenheiro e administrador francês, complementa o trabalho desenvolvido por Taylor, propondo a racionalização da estrutura administrativa que gerencia o processo de trabalho com base nos princípios da unidade de comando, da divisão do trabalho, da especialização e da amplitude de controle (MOTTA, 1986, p.9).

Na mesmaépoca (19l3) Ford utiliza os princípios da linha de montagem na fabricação de automóveis, valendo-se do sistema de carretilhas aéreas empregado nos matadouros de Chicago para esquartejar reses.

Essa metodologia permitiu redução do tempo de montagem do chassi uma vez que parcelava e simplificava as operações, resultando na desqualificação operária e na intensificação do trabalho (FLEURY &VARGAS, 1987, p.27).

Eles foram os principais representantes da Escola de Administração Científica.

SILVA (1991, p.29) define o fordismo num sentido mais global: " Para além do processo de trabalho imediato, o fordismo e o sistema de produção de grandes volumes de produtos padronizados destinados a mercados de massa. A competição é baseada na obtenção de economias de escala e no aumento davelocidade do processo de produção, que é controlada pelo ritmo da linha de montagens e o movimento das máquinas" .

AGLIETTA, citado por HUMPHREY (1989, p.319) delineia três tipos de problemas originados nos limites inerentes ao desenvolvimento da linha de montagem e da fragmentação do trabalho:
* a questão dos desequilíbrios nas cargas de trabalho quando este é fragmentado, levando à...
tracking img