Cidadania no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2664 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Fichamento do livro: “Cidadania no Brasil. O longo caminho”.
CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil. O longo Caminho. 3ª ed.
Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

































Períodos
1500 – 1822 COLONIA
1822 – 1889 IMPÉRIO (1888 Abolição da escravidão)
1889 – 1930 1ª REPÚBLICA


BRASIL COLÔNIA

Características dacolonização:
Apesar de a colonização propiciar:
- Unidade Territorial;
- Lingüística;
- Cultura;
- Religião.

O País caracterizava-se:
- População analfabeta;
Fichamento – Cidadania no Brasil
- Sociedade escravocrata;
- Economia Monocultura e Latifundiária;
- Estado Absolutista;
- Não havia cidadãos brasileiros;
- Não havia pátria brasileira.

Efeitos da conquista portuguesa:
-dominação, extermínio, guerra, escravização, doença e morte de
milhões de índios.
- atividades econômicas:
1) Produção de açúcar: exigia grandes capitais(gerando
desigualdade) e muita mão-de-obra(escravização).
2) Mineiração - exploração do ouro: requeria menor volume de
capital e de mão-de-obra, porém de natureza volátil, de poucas
certezas sofreu com a máquina repressiva e fiscal do sistemacolonial.
3) Criação de gado: usava menos mão-de-obra, fugia do controle
das autoridades coloniais, porém gerava isolamento do povo com a
política.

Fator Negativo: Escravidão
- Ineterrupta até 1850(28 anos após a independência)
Toda a sociedade era escravisista
Penetrava em todas as classes
Tentavam ou a fuga ou a revolta (quilombos): a mais importante foi
Palmares porém foi esmagada porparticulares a soldo do governo.

A sociedade era assim constituída:
1) Escravos: não eram cidadãos e não tinham direitos civis;
2) População legalmente livre: não tinham condições para exercer o
direito de cidadão, não tinham acesso a educação;
3) Grandes Proprietários: votavam e eram votados, porém não tinham
noção do que é ser cidadão. Eram nomeados juízes.
4) Rei: não tinhaautonomia(dependia de Lisboa), tinha alcance
limitado.

Acesso a justiça:
Cidadão Comum: Proteção dos grandes proprietários, arbítrio dos
mais fortes;
Mulheres/Escravos: Jurisdição dos senhores, não tinham acesso a
justiça.

Poder:
Conluio entre Estado e grandes proprietários
Não existia um poder para ser chamado de público, não eram
garantidos igualdade e direitos civis.

Educação:Fichamento – Cidadania no Brasil
Descaso pela educação primária.Não havia interesse da
administração colonial, nem da igreja para se educar.Na educação
superior , quem quisesse cursar tinha que ir para
Portugal(universidade de Coimbra).

Manifestações Cívicas durante a Colônia:
4 revoltas políticas: 03 lideradas pela elite e a favor da independência
de partes da colônia. Duas em Minas Gerais(umadelas a
Inconfidência Mineira, que não chegou as vias de fato). A mais
popular foi a Revolta dos Alfaiates na Bahia, que envolveu militares
de baixa patente, artesãos e escravos). A mais séria foi a de
Pernambuco(militares de alta patente, comerciantes, senhores de
engenho e padres). Proclamaram a República independente de
Pernambuco, Paraíba e RN, nesta apareceu com mais clareza
consciênciade direitos sociais e políticos, porém não tocava no
assunto: escravidão)
Resumo: Não havia cidadania, direitos civis a poucos, direitos
políticos a pouquíssimos e nem se falava em direitos sociais. Não
existia sentido de nacionalidade.

1822 – INDEPENDÊNCIA

Características da independência
- Independência negociada entre Inglaterra, cora portuguesa e elite
nacional (José Bonifácio).Intermediado pela Inglaterra, Portugal
aceitou a independência do Brasil mediante pagamento de uma
indenização de 2 milhões de libras esterlinas.
Solução monárquica: por convicção da elite só a figura de um rei
poderia manter a ordem social e a união das províncias.
O povo só teve papel importante em 1831 quando o primeiro
imperador foi forçado a renunciar.(Verdadeira data da independencia...
tracking img