Caso toque de seda

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1817 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Caso da empresa Toque de Seda –

Análise SWOT: Potencialidades e Fraquezas, Ameaças e Oportunidades:

Potencialidades:
▪ Médio porte, 17 anos de experiência
▪ Posição de destaque
▪ Forte relação custo/benefício
▪ Tradicionalidade pelos atributos e benefícios oferecidos: cuidado, carinho e satisfação, suavidade, aderência, durabilidade e aparência natural.
▪Diferenciação: inovação em cores/tons e matéria prima importada
▪ Operação a 90% da capacidade nominal (baixa capacidade ociosa? – Betim?).

Fraquezas:
▪ Queda brusca faturamento, em todas a regiões
▪ Corpo executivo fraco, em questões de análise e soluções rápidas;
▪ Informações imprecisas: gerente diz que revendedores estão lotados de produtos.
▪ Níveis de estoques elevados, semcontrole preciso
▪ Falta de análise de margem de contribuição por produto
▪ Gerente Comercial responsável por unidades produtivas: Bento Gonçalves e Betim
▪ Preços decididos sem estudos e análises das variáveis de custos, mercadológicas, políticas, percepção de valor, etc.
▪ Unidades produtivas pequenas e limitadas e desequilíbrio na capacidade produtiva: Betim “às mocas” e 2o.turno em Diadema.
▪ Insistência na abertura de filiais sem estudos de mercado

Ameaças:
▪ Poucas informações do mercado
▪ Reclamações do mercado:
▪ troca de matéria-prima do baton
▪ atraso de quinze dias na entrega
▪ entrega de produtos trocados, com freqüência
▪ Ausência de MKT de Relacionamento com os distribuidores/revendedores: no PDV, não se sabe quemgerencia e quem vende
▪ Retirada de Representação Comercial

Oportunidades:
▪ Lançamento de novas linhas de Produtos Complementares:
▪ loção de limpeza, tônico de limpeza hidratante e complementos: demaquilante e esfoliante.
▪ Demanda excessiva, para Produtos Complementares, espaço de 40% para novos entrantes do mercado.

Visualização do Novo Cenário com o Gerente deMarketing:

Como o próprio presidente diz, instala-se um novo cenário em que se voltam os objetivos da empresa para manter sua competitividade, com forte alicerce estabelecido na visão de que o mercado é o “senhor direcionador” das decisões.

Em outras palavras, a empresa passará a ter um foco mais voltado às necessidades do cliente final, sem esquecer de suas responsabilidades perante osintermediários, distribuidores e revendedores, que visivelmente estão desassistidos. Nesta ótica, o Gerente de Marketing em curto prazo, atuando como assessor às decisões do presidente, poderá causar algum incômodo, pois na primeira análise, perceberá distorções de atividades de alguns executivos e isso, certamente, significará que decisões mais “duras” deverão ser tomadas, especialmente, naGerência Comercial e Financeira. Fica evidente que o Gerente de Marketing precisa ser comedido, pontuando à Presidência estes diagnósticos e necessidades, para que, de forma convincente, consiga as ações de que necessita, para finalmente profissionalizar as relações da empresa com o mercado.

Redesenho do Quadro de Executivos e Responsabilidades:

Orientaria o presidente, para que uma possívelconsultoria em recursos humanos levantasse todas as responsabilidades propostas inicialmente para cada gerência, responsabilidades atualmente assumidas e, principalmente as que precisariam ser assumidas para cada gerência. Num segundo momento, avaliar o desempenho dos gerentes, traria luzes, para manutenção, revisão das responsabilidades (gerente comercial chefiando produção??) e assim por diante,passando inclusive por decisões mais estratégicas, como substituição ou não dos componentes do quadro de executivos.

As operações logísticas, pelas características da empresa, mereceriam uma gerência própria. Assim, recomendaria a implantação de uma área de Operações Logísticas: gestão de Suply-Chain: compras, estocagem, armazenamento, expedição e transporte, com responsabilidades...
tracking img