Campanha "lei anti fumo"

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3919 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING
































Prof. Andre G. Antas








UNIVERSIDADE MOGI DAS CRUZES
Carmen Lucia Gomes Martins - RGM: 72719












“ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING”




Análise de caso:
Campanha do portal www.leiantifumo.sp.gov.brSão Paulo
2012











SUMÁRIO



SUMÁRIO 3
HISTÓRICO 4
DESCRIÇÃO DO CASO 5
OBJETIVOS 5
PUBLICO ALVO: 6
BENEFÍCIOS AGREGADOS: 6
CUSTOS 6
Psicológicos 6
Comportamentais 7
MIX DE MARKETING 7
Produto : 7
Preço: 7
Abrangência geográfica 7
Ações de comunicação 7
Analise do Portal 8
BALANÇO 8
CONSIDERAÇÕES FINAIS 10BIBLIOGRAFIA 11
ANEXOS 12
O portal 13
Perguntas frequentes 13
Fiscalização 17
Sobre a lei 18
Notícias 21
Os Males do Fumo 23
O Fumo passivo 23
Campanha 24













HISTÓRICO


No dia 7 de agosto de 2009, o Estado de São Paulo deu um importante passo em defesa da saúde pública. Com a entrada em vigor da nova legislação antifumo, leiestadual nº 13.541, de 09/05/2009, fica proibido fumar em ambientes fechados de uso coletivo como bares, restaurantes, casas noturnas e outros estabelecimentos comerciais.
Mesmo os fumódromos em ambientes de trabalho e as áreas reservadas para fumantes em restaurantes ficam proibidas. A nova legislação estabelece ambientes 100% livres do tabaco.
A medida acompanha uma tendência internacional derestrição ao fumo, já adotada em cidades como Nova York, Londres, Paris e Buenos Aires. Inúmeros estudos realizados comprovaram os males do cigarro não apenas para quem fuma, mas também para aqueles que se vêem expostos à fumaça do cigarro. É principalmente a saúde do fumante passivo que a nova lei busca proteger. Segundo dados da OMS (Organização Mundial de Saúde), o fumo passivo é a terceira maiorcausa de mortes evitáveis no mundo.
A nova lei restringe, mas não proíbe o ato de fumar. O cigarro continua autorizado dentro das residências, das vias públicas e em áreas ao ar livre. Estádios de futebol também estão liberados, assim como quartos de hotéis e pousadas, desde que estejam ocupados por hóspedes. A responsabilidade por garantir que os ambientes estejam livres de tabaco será dosproprietários dos estabelecimentos. Os fumantes não serão alvo da fiscalização.
Para evitar punições, os responsáveis pelos estabelecimentos devem adotar algumas medidas. Entre elas, a fixação de cartazes alertando sobre a proibição, e a retirada dos cinzeiros das mesas de bares e restaurantes como forma de desestimular que cigarros sejam acesos. Devem, também, orientar seus clientes sobre a nova lei epedir para que não fumem. Caso alguém se recuse a apagar o cigarro, a presença da polícia poderá ser solicitada.

Em caso de desrespeito à lei, o estabelecimento receberá multa, que será dobrada em caso de reincidência. Se o estabelecimento for flagrado uma terceira vez, será interditado por 48 horas. E, em caso de nova reincidência, a interdição será de 30 dias.


DESCRIÇÃO DO CASO


ACampanha da Lei antifumo, no Estado de São Paulo (Lei Estadual 13.541), veiculada desde de 07 de agosto de 2009, através da Internet utilizou-se de depoimentos de personalidades, tais como Rubens Barrichello, Pelé, Rodrigo Faro, Chris Flores, onde alguns deles, como o Dr. Drauzio Varela, já fizeram uso do tabaco.
Ao proibir que se fume em ambientes fechados de uso coletivo, a lei antifumoestabelece uma mudança de comportamento com reflexos diretos na saúde pública. Mudança que será estimulada por campanhas educativas e fiscalizada pelo poder público. E que terá na colaboração da população uma de suas principais armas.
A nova lei que cria ambientes livres de tabaco em São Paulo visa defender a saúde, principalmente, das pessoas que não fumam, mas acabam obrigadas a inalar a fumaça....
tracking img