Breve resenha historica de desenvolvimento da tinta a oleo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2627 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1. Introdução

O presente trabalho, propõe-se a apresentar a história do desenvolvimento da Tinta a óleo, oferecendo aos estudantes do curso de Educação Visual um amplo panorama das transformações no uso deste material no decorrer da história da arte dita “Ocidental”. A trajectória apresentada toma como ponto de partida a conceitualização da tinta a óleo, em seguida o seu desenvolvimentohistórico.

Numa segunda parte, far-se-á uma abordagem concernente as fases de desenvolvimento da tinta a óleo desde o legado pictórico do Renascimento; as (ré) definições pictóricas do Barroco, do Neoclassicismo, da revolução industrial onde constata-se que, neste período a pintura demonstrou que, mesmo em meio aos desvios e ao forte apelo da linguagem fotográfica e dos recursos digitais, se mantevesoberana no universo da História da Arte Ocidental. Aborda-se também o Realismo; as inovações do Impressionismo e as contribuições de Van Gogh como sendo ele quem liberou a cor da sua função naturalista, empregando a de maneira mais arbitrária para enfatizar a força dos contrastes e a sua visão rebelde em relação à submissão das convenções, de seguida são apresentadas heranças cubistas e por fim aArte Contemporânea e as suas diferentes aplicações.

2.1. Objectivos
2.2. Geral

* A apresentar a história do desenvolvimento da Tinta a óleo;

2.3. Específicos

* Definir a tinta a óleo;
* Descrever as fases de desenvolvimento da tinta a óleo desde o seu surgimento até a arte contemporânea

2.4. Metodologia

Segundo Hegenberg citado por MARCONI& LAKATOS (2000:44) “método é o caminho pelo qual se chega a determinado resultado, ainda que esse caminho não tenha sido fixado de antemão de modo reflectido e deliberado”. Seguindo a definição do autor o método usado para a elaboração deste trabalho foi:
* Consulta em fontes bibliográficas.

2. TINTA A ÓLEO
3.5. Conceitualização

A tinta a óleo é uma tinta de secagem lentaque consiste numa mistura de partículas de pigmento em suspensão num óleo secante, sendo o mais comum, o óleo de linhaça. As pinturas a óleo mais antigas que se tem conhecimento datam do ano 650 AC e foram encontradas em 2009, em cavernas do Vale de Bamian no Afeganistão. De acordo com os estudos feitos, estas tintas de óleo eram feitas à base de óleos de noz e de papoila.

3.6.Desenvolvimento Histórico da Tinta a Óleo

A história do desenvolvimento da tinta a óleo e das datas de introdução dos vários componentes (Secantes, diluentes, etc.) é ainda pouco compreendida, apesar de ser estudada desde o século XVIII. Nas antigas civilizações do mediterrâneo, Grécia antiga, Roma e Egipto usaram óleos vegetais, mas existem poucas provas que foram usados como meio de expressãoartística em pintura, pois o óleo de linhaça demorava muito tempo a secar e tinha tendência para escurecer e fissurar ao contrário do Mastique e da cera.

Escritores gregos, como AETIUS AMIDENUS registaram receitas envolvendo óleos secantes como o óleo de noz; óleo de papoila; óleo de cânhamo; óleo de pinho; óleo de rícino e óleo de linhaça. Quando espessos, os óleos ficavam resinosos e podiam serusados como verniz para selar e proteger as pinturas da acção da humidade.
No século XIII, a tinta de óleo era usada para detalhes nas pinturas a têmpera. No século XIV,  Cennino Cennini apresentou uma técnica de pintura usando têmpera coberta por ligeiras camadas de óleo. As propriedades de secagem lenta dos óleos vegetais era de conhecimento comum nos pintores primitivos. No entanto, a dificuldadeem adquirir e trabalhar os materiais, significava que os mesmos eram raramente usados, e o longo tempo de secagem era visto, como uma grande desvantagem. Em medida que a preferência do público se orientava para um maior realismo, as tintas de têmpera de secagem rápida tornaram-se insuficientes. Os pintores flamengos combinaram a têmpera e a tinta de óleo durante o século XV, mas no século XVII...
tracking img