A familia rural em portugal

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 41 (10045 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Unidade Curricular: Sociologia da Família

Docente: José Orta

Ano Lectivo 2011/2012

Licenciatura em Serviço Social



“A Família Rural em Portugal”







Discentes:

Carla Metrogos nº10738

Márcia Gaspar nº 10261

Mariana Carrilho nº9457

Rute Marques nº9485

Sofia Branco nº9455

Tânia Andrade nº9458

Vera Capucho nº9907


Índice


INTRODUÇÃO 2Elementos sobre a sociologia da família em Portugal de Karin Wall 3

A nova e velha família 7

Aspetos da função social da família, em diferentes tipos de sociedade 9

A relevância da família como unidade de análise nos estudos sobre pluriatividade 9

campo e a Cidade 12

Fragmentos de Histórias de vida 15

Análise do conteúdo da História de Vida 16

Terra batida e alcatrão: as freguesias deGondifelos e Lemenhe nos anos oitenta 17

Recomposição da estrutura social: os indivíduos, as famílias e os trajectos 19

CONSIDERAÇÕES FINAIS 22

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 23




















INTRODUÇÃO




O nosso trabalho é realizado no âmbito da Unidade Curricular de Sociologia da Família, solicitado pelo Docente José Orta, e tem como tema central AFamília Rural em Portugal.

Neste trabalho vamos explicitar alguns conceitos, tendo como principais o de entidade familiar e o de família.

Ao longo do trabalho vamos apresentar temas como o de nova e velha família, evolução histórica da família e a sua importância, a função social da família nos diferentes tipos de sociedade, a relevância da família como unidade de análise e a recomposição daestrutura social (os indivíduos, família e trajectos).

Para dar mais enfâse ao tema do nosso trabalho apresentamos também fragmentos de histórias de vida e entrevistas realizadas com as análises das mesmas.





















Elementos sobre a sociologia da família em Portugal de Karin Wall

Em Portugal a Sociologia da família encontra-se inserida numa rede deinfluências múltiplas e na história da sociologia. A abordagem sociológica da família estabelece uma ponte entre o microssocial e o macrossocial, entre os atores e as estruturas.

I. Monografias familiares e regionais

Segundo Descamps (1935, 1959) existem em Portugal vários tipos de famílias: a família desorganizada e instável ou as chamadas uniões de facto que eram dominantes entre osassalariados agrícolas a sul do Tejo; a grande comunidade, composta por vários casais e um grande número de parentes nas montanhas do norte; a família tronco no noroeste; a família de casal simples e a pequena comunidade compostas em geral por dois casais existentes em várias regiões pais. A família era vista como a célula base e a guardiã moral da sociedade.

Os estudos acerca da família em Portugal,realizados entre os anos 50 e 60 encontravam-se inscritos num discurso político, social e literário que sublinhava os contrastes demográficos, geográficos, económicos e sociais entre regiões. Os traços que opunham a sociedade rural do norte à do sul foram postos em relevo pelo historiador Oliveira Martins (1887, 1892). Nesta mesma altura, por intermédio de geógrafos, etnólogos, e demógrafos ficoudelineada uma imagem de um Portugal marcado por variações regionais bastante profundas, polarizadas em torno de dois mundos opostos, o do Minho e o do Alentejo, tal facto ficou para sempre no pensamento social.

II. Modernização da sociedade portuguesa e desenvolvimento da sociologia

Foi nos anos 60 que a história da sociologia emergiu em contexto económico e social muito particular, poiscoincidiu com a reorientação do processo de industrialização e a abertura ao investimento estrangeiro; as guerras coloniais; a estagnação das sociedades rurais e o consequente abandono dos campos para a cidade e a maciça emigração para a europa.

O Gabinete de Investigações Sociais definiu uma linha central de investigação que partiu ora da noção de estratificação, ora da de classes socias,...
tracking img