Balaiada

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1981 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Balaiada: a participação do Maranhão e do Piauí no movimento

Ismael de Carvalho¹
Naylane Carvalho Sales²
Raimundo José Moura dos Santos³

O presente trabalho tem como objetivo descrever a participação das classes envolvidas no movimento da Balaiada enfatizando os jogos de interesse de ambas, assim como destacar alguns dos combates que se sucederam, especificamente nas províncias doMaranhão e do Piauí. Outro fator a ser analisado é a atuação de alguns líderes oriundos das classes oprimidas. É de fundamental importância o estudo da Balaiada como um movimento que ocorreu no momento em que o Brasil estava assolado em crises e reivindicações de caráter políticas e econômicas em várias províncias na fase denominada de Regência. Para chegar às informações descritas foi feita uma pesquisade forma abrangente em textos e livros de alguns autores como, por exemplo, Claudete Dias, Gervásio Santos e Odilon Nunes.
PALAVRA-CHAVE: Balaiada, Província, Maranhão, Piauí.

____________________
¹Graduando do Curso de História da Universidade Estadual do Piauí-UESPI, Endereço Eletrônico: iysmaell@hotmail.com.
²Graduanda do Curso de História da Universidade Estadual do Piauí-UESPI,Endereço Eletrônico: naylane@hotmail.com
³Graduando do Curso de História da Universidade Estadual do Piauí-UESPI, Endereço Eletrônico: jose.oura@hotmail.com

Para entender o movimento da Balaiada é necessário recorrermos ao contexto histórico que no Brasil estava se passando. No ano de 1831 com a partida de D. Pedro I tem-se início o período conhecido como Regência e o poder passa para as mãos dedois grupos que se alternam no governo; de um lado estão os de ideologia mais conservadora que defendiam o retorno do Imperador; e do outro se encontrava os liberais que possuíam um caráter mais descentralizador e almejavam uma maior autonomia das províncias. Nas províncias do Maranhão e Piauí, assim como nas demais que estavam sucedendo insurreições, os revoltosos foram violentamente reprimidospelas forças locais e com o auxílio do governo central.
A província do Maranhão, que era uma região exportadora de algodão, com a concorrência de gêneros de outras regiões como os Estados Unidos, acrescido de altos impostos cobrados pelo governo não tinha condições de se manter, logo incentivavam a população de baixa renda a se rebelar contra tais medidas. No lado do Piauí, além da altacobrança de tributos, os opositores do governo autoritário de Manoel de Sousa Martins encontraram na Balaiada uma forma de contestar tal liderança.
A Regência foi um período marcado pela falta de um governo único que controlasse o aparato nacional e evitasse que se alastrassem os movimentos que já vinham acontecendo desde o processo de independência, surgindo à necessidade da definição de um sistemacoercivo para o estado nacional. Gervásio Santos diz que:
A negativa da Regência de conceder a monarquia ou a república federativa quase pôs fim à frágil unidade nacional brasileira. (SANTOS, 2009 pág. 66)
O que se pode perceber com a citação de Gervásio é que com a indefinição de um modelo de governo o estado brasileiro ficou abalado se tornando vulnerável às revoluções das classes que estavam àmargem do poder político e sofrendo, economicamente, com a concentração da riqueza nas mãos de poucos.
Por todo o Brasil houve vários movimentos liberais federalistas e separatistas que ora eram reprimidos pelas próprias províncias, ora havia a necessidade de intervenção do governo central, mas que em todos os casos foram brutalmente calados. (Cabe citar alguns deles: Grão-Pará(Cabanagem-1835-1840); Sabinada (Bahia-1837-8); Rio Grande do Sul (1835-1845) Farroupilha) como o mais duradouro; e a Balaiada nas províncias do Maranhão e do Piauí (1838-1841), caso a ser estudado um pouco mais aprofundo no decorrer destas páginas.
Os fatores que contribuíram para a eclosão do movimento estão relacionados, principalmente, aos aspectos econômicos e políticos. Economicamente, a estrutura...
tracking img