Autismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2708 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
REVISTA DA UFG - Tema BRASIL RURAL
Órgão de divulgação da Universidade Federal de Goiás - Ano VII, No. 1, junho de 2005

--------------------------------------------------------------------------------

LINHARES, A. A. C. - Linguagem e identidade cultural caipira no município de Mossâmedes: por uma nova concepção acerca da linguagem caipira. Revista da UFG, Vol. 7, No. 01, junho 2004 online (www.proec.ufg.br)

--------------------------------------------------------------------------------

LINGUAGEM E IDENTIDADE CULTURAL CAIPIRA NO MUNICÍPIO DE MOSSÂMEDES: POR UMA NOVA CONCEPÇÃO ACERCA DA LINGUAGEM CAIPIRA1
Andrey Aparecido Caetano Linhares1


RESUMO: Há muito tempo que a educação oficial – em outros termos, regulamentada pelos órgãos do Estado – privilegia acultura erudita, em detrimento da cultura popular. Tal postura contribui, de certa forma, para que muitos costumes, tradições e saberes consuetudinários sejam, invariavelmente, ignorados como formas autênticas e válidas de manifestações culturais. Este artigo trata da linguagem caipira – que é uma dessas manifestações culturais preteridas pelas instituições oficiais de ensino – e visa contrapor-seà concepção errônea e preconceituosa acerca dessa linguagem, bem como ressaltar a importância da mesma como um elemento marcante da identidade cultural caipira e, por extensão, como um valioso patrimônio da nossa cultura regional.
Palavras-chave: linguagem; cultura; identidade caipira.

Resultante da miscigenação entre os colonos portugueses, índios e alguns negros que a eles se juntaram, ocaipira emerge na região Sudeste do Brasil; primordialmente, no atual Estado de São Paulo, de onde se expande para o Centro-Oeste através das bandeiras. Após a derrocada da mineração, no final do século XVIII, as populações que se concentravam nas regiões de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso se dispersam e retomam o modo de vida rústico da antiga população paulista, compondo a cultura caipira(RIBEIRO, 1995).

Em essência, ressalvando as peculiaridades históricas locais, foi isso que ocorreu no município de Mossâmedes.2 A história do município tem início no ano de 1755 com o nome de Aldeia de São José; era, na realidade, um aldeamento para abrigar alguns grupos indígenas, mas teve breve duração. Porém, no ano de 1774, fora reconstruído pelo então governador da capitania de Goiás, D. Joséde Almeida Vasconcelos Soveral de Carvalho, quando passa a chamar-se Aldeia de São José de Mossâmedes. Entre os vários grupos indígenas que passaram pelo aldeamento estão os Akroá, Karijó, Naudez, Javaé, Karajá e Kayapó. Todavia, em São José de Mossâmedes, boa parte dos índios nunca se habituou com o modo de vida destinado a eles. Houve várias deserções e mortandades e, em função disso, por váriasvezes o aldeamento entrou em decadência, até ser completamente abandonado. Das ruínas daquele que fora um dos maiores e melhor construído aldeamento em Goiás, emerge o arraial de Mossâmedes; com a deserção e mortandade das nações que um dia viveram ali, por volta de 1780 foram sendo agregadas outras pessoas no aldeamento. Eram pessoas da própria região, bastante pobres e que encontraram, noaldeamento, moradia de graça e suprimentos a custos satisfatórios. (CUNHA, 2004; SAINT-HILAIRE, 1944; CHAIM, 1974;).

A despeito da proximidade com a Cidade de Goiás, em Mossâmedes não se encontrou ouro como na antiga capital do Estado. Não obstante, após a derrocada da economia aurífera, no fim do século XVIII, parte dos habitantes de Mossâmedes se dispersou pelas grandes fazendas da região,aonde, na situação de agregados, trabalhavam na lida de gado e na formação de roça de toco3. Havia uma prática bastante comum que era a doação temporária de terras para que os camponeses formassem roças desde que, após dois ou três anos, as devolvessem na forma de pastagem para criação de gado (BRANDÃO,1981). É possível dizer que, a partir desse momento, a cultura caipira começa a se desenvolver na...
tracking img