Atps de calculo ii etapas 3 e 4

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1386 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Faculdade Anhanguera de Campinas
Curso: Engenharia de Produção 2ª Série
Disciplina: Cálculo I



Atividades Práticas Supervisionadas: Etapas 3/4

Professor: Thiago Fonteboa
Campinas, 03 de Dezembro de 2012.
Etapa 3 : Logaritmos
Passo 1
Logaritmos são úteis para se resolver equações cujos expoentes são desconhecidos. Eles possuem derivadas simples, por isso eles são normalmenteusados como soluções de integrais. Além disso, várias quantidades na ciência são expressas como logaritmos de outras quantidades.
Um exemplo: Funções exponenciais
Algumas vezes (especialmente em análise) é necessário calcular exponenciais arbitrárias f (x)g(x) usando-se apenas a exponencial natural ex:
f (x)g(x) = elog(f(xg(x))
= eg(x) log(fx))
Passo 2
Gráfico de g(x)=LOG x e gráfico de f(x)=LNx.

A diferença entre esse dois logaritmos é o resultado de uma mudança de inclinação, provocada por um fator menor que 1, no gráfico de f(x)=ln x.

Logaritmo nada mais é que uma operação matemática relacionada à exponenciação.

Exemplo simples para ilustrar a resposta acima:
Uma das propriedades dos logaritmos, tem que: log x = ln x / ln 10 = 1 / ln 10 * ln x

Dessa forma, o gráfico dey=log x é o resultado de uma mudança de inclinação, provocada pelo fator 1 / ln 10, do gráfico de y=ln x.
Como 2< e <3 temos 4< e2 <9 que, por sua vez, é menor que 10, ou seja, 4<e2<10.
Como a função ln é estritamente crescente, temos: ln 4 < ln e2 < ln 10 e daí, ln 4 < 2 < ln 10 que tomando os inversos, nos permite dizer que: 1 / ln 4 > 1 / 2 > 1 / ln 10 deonde concluímos que 1 / ln 10 < 1 / 2 < 1. Logo, o gráfico de g(x)=log x é o resultado de uma mudança de inclinação, provocada por um fator menor que 1.

Passo 3
Organização geral dos dados obtidos dos passos 1 e 2.

Etapa 4: Limites
Passo 1
CONCEITO DE LIMITE

O conceito de limite é utilizado para descrever o comportamento de uma função à medida que o seu argumento se aproxima de umdeterminado valor, assim como o comportamento de uma seqüência de números reais, à medida que o índice (da seqüência) vai crescendo, e "E" tende para infinito. Os limites são usados no cálculo diferencial e em outros ramos da análise matemática para definir derivadas e a continuidade de funções.

Limites:

Veja a função f(x) = 2x + 1. Vamos dar valores a x que se aproximem de 1, pela suadireita (valores maiores que 1) e pela esquerda (valores menores que 1) e calcular o valor correspondente de y:

x | y = 2x + 1 |
1,5 | 4 |
1,3 | 3,6 |
1,1 | 3,2 |
1,05 | 3,1 |
1,02 | 3,04 |
1,01 | 3,02 |
| x | y = 2x + 1 |
0,5 | 2 |
0,7 | 2,4 |
0,9 | 2,8 |
0,95 | 2,9 |
0,98 | 2,96 |
0,99 | 2,98 |
|

Notamos que à medida que x se aproxima de 1, y se aproxima de 3, ouseja, quando x tende para 1 (x 1), y tende para 3 (y 3), ou seja:
Lim (2x +1) = 3
x->1

Observamos que quando x tende para 1, y tende para 3 e o limite da função é 3.
Isso mostra o comportamento de f(x) quando x tende para 1 (x 1). Não é preciso que x assuma o valor 1. Se f(x) tende para 3 (f(x) 3), dizemos que o limite de f(x) quando x 1 é 3, embora possam ocorrer casos em que para x = 1o valor de f(x) não seja 3.

Como x² + x - 2 = (x - 1)(x + 2), temos:

Notamos que quando x se aproxima de 1 (x1), f(x) se aproxima de 3, embora para x=1 tenhamos f(x) = 2. nós procuramos o comportamento de y quando x1. E, no caso, y 3. Logo: o limite de f(x) é 3.

Escrevemos:

Se g: IR IR e g(x) = x + 2, g(x) = (x + 2) = 1 + 2 = 3, embora g(x)f(x) em x = 1. Podemos dizer que, ambas têm omesmo limite.

Limites e suas propriedades:

Dependendo do caso, a definição de limite pode ser bem pouco manipulável, entretanto nem sempre é necessário recorrer a ela para se investigar o limite de uma função. Na seguinte proposição está entendido que f e g têm o mesmo domínio e que a variável independente x sempre pertence a esse domínio. Adotamos essa prática sempre que necessário para...
tracking img