Atividade de inteligencia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2370 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade do Sul de Santa Catarina – Unisul
Campus Virtual


| | |
|[pic] |Avaliação a Distância |




Disciplina: Atividades de Inteligência
Curso: SEGURANÇA PUBLICA
Professor: OSCAR ALVES SIMÕES FILHO
Nome do aluno: HEITOR FELIPESILVA FERRAZ
Data: 18/02/2013


Orientações:
▪ Procure o professor sempre que tiver dúvidas.
▪ Entregue a atividade no prazo estipulado.
▪ Esta atividade é obrigatória e fará parte da sua média final.
▪ Encaminhe a atividade via Espaço UnisulVirtual de Aprendizagem (EVA).

1- "Desde os primórdios da civilização a atividade de Inteligência norteou a tomada de decisõesbuscando sempre uma avaliação precisa, quer no campo militar, quer no campo político, para um planejamento eficaz". (RODRIGUES, 1999, p. 02)
Do acima exposto, realize uma pesquisa ao longo da História e descreva, para cada período (Idade Antiga, Média, Moderna e Contemporânea), 02 exemplos de emprego da atividade de Inteligência. Para fins de validação de suas respostas referencie as fontespesquisadas. (4,0 pontos)
IDADE MEDIA
Já em de 624, Maomé utilizou seus agentes infiltrados em Meca (Arábia Saudita), numa típica ação de espionagem, e estes o avisaram de um ataque de soldados árabes a Medina, cidade em que estava refugiado, razão por que ele mandou fossem preparadas trincheiras e barreiras ao redor da cidade, que impediram o avanço dos soldados (REVISTA ABIN, n. 1, p. 89).
É inegável,portanto, que a atividade de inteligência, ainda que na sua vertente essencialmente rudimentar, já se apresentava como a principal arma dos grandes líderes de então.
Na Idade Média, porém, a atividade de inteligência era tida como um pecado e como tal, repudiada pela Igreja que, à época, ditava as regras na sociedade medieval
: Note-se que Carlos Martel poderia ter continuado as guerras contra ossaxões, mas ele estava determinado a se preparar para o que ele pensava ser um grande perigo. Em vez de se concentrar nas conquistas para leste, ele se preparou para ataques do oeste. Ciente do perigo representado pelos muçulmanos após a batalha de Toulouse em 721, ele usou os anos seguintes para consolidar seu poder e para reunir e treinar a elite do exército de veteranos que estaria sempre prontaa defender a cristandade (em Tours).
A completa dominação de Carlos Martel da Europa Ocidental a partir de 717, e as sólidas vitórias contra as forças que contestaram seu domínio, teria alertado os mouros que não era apenas um poder verdadeiro erguendo-se das cinzas do Império Romano do Ocidente, mas também um general realmente talentoso que o estava liderando. Assim, quando eles se lançaram àgrande invasão em 732, não estavam preparados para enfrentar Carlos Martel e o exército franco.
ANTIGA

A conquista do Egito

Em 334 a.C., Alexandre liderou um exército de milhares de homens e atravessou a Ásia Menor. Esse exército era formado por macedônios e gregos. Além dos soldados, Alexandre também levou sábios da época para estudar a fauna e flora local e cartografar o terreno.Ointeresse de Alexandre pela ciência foi estimulado pelas aulas que teve com seu mestre.
Durante a campanha, o jovem rei conquistou o litoral da Ásia Menor, marchou contra a Síria e derrotou o exército persa na batalha de Isso. Também dominou Tiro, cidade portuária que era considerada inconquistável. Após a conquista dessa cidade, milhares de pessoas foram mortas e um e outras milhares foram escravizadas,pois Alexandre punia com a morte ou com a escravidão a população das cidades que ousassem resistir.Depois disso, o exército de Alexandre avançou rumo ao Egito, onde não encontrou resistência. Para os egípcios, Alexandre foi considerado um libertador, porque os livrou do domínio persa. Por isso, os sacerdotes egípcios manifestaram sua gratidão fazendo de Alexandre um novo faraó. Vale lembrar...
tracking img