Acidentes frequentes em padarias

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3180 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCOWE DA FONSECA


CURSO TECNÓLOGO DE SEGURANÇA DO TRABALHO
Fundamentos de Segurança do Trabalho


Paulo Renato Carneiro de Mello




Mapa de Riscos Ambientais da Padaria





RIO DE JANEIRO
JULHO - 2006










CURSO TECNÓLOGO DE SEGURANÇA DO TRABALHO - 2006
e-mail: pauloremello@gmail.com
Tel.: 2567-4149
9728-0056Sumário

INTRODUÇÃO – Página 3
1) Riscos de Acidentes – Página 3
2) Riscos Ergonômicos – Página 3
3) Risco Físico – Página 4
4) Riscos Biológicos – Página 4
5) Riscos Químicos – Página 4

Substâncias Tóxicas – Página 4

1.5.1 Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) – Páginas 4 e 5
Proteção à cabeça – Página 5
Proteção para os membros superiores – Página 5Proteção para os membros inferiores - Página 5
Proteção do tronco – Página 5
Proteção da pele – Página 5
Proteção respiratória – Página 6


1.5.2. Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs) – Página 6


CAPÍTULO 2
MAPEAMENTO DE RISCOS
2.1 Histórico – Página 6
2.2 Definição – Página 7
2.3 Limitações Quanto á Aplicação do Mapa de Risco – Páginas 7 e 8
2.4 Objetivosdo Mapa de Risco – Página 7
2.5 Roteiro para a Construção do Mapa de Risco – Página 7


Mapa de Risco da Padaria – Páginas 8 e 9


Bibliografia – Página 10























INTRODUÇÃO


As pessoas, em particular as adultas, costumam passar uma boa parcela de suas vidas trabalhando. Para uma jornada de 44 horas semanais, são cerca de 2.200horas por ano e 77.000 horas ao longo dos 35 anos necessários para se aposentar. Tanto tempo, em ambiente e situações muitas vezes insalubres e perigosas, certamente irá influenciar na qualidade de vida dessas pessoas (UCHÔA et al., 2000).
Quando o enfoque é o da segurança na indústria de panificação, além dos cuidados normais de boas práticas, são necessários procedimentos específicos paraminimizar os riscos de acidentes pessoais. A meta é atingir o risco zero em acidentes.
Os equipamentos de Proteção Individual (EPIs), por exemplo, são freqüentemente apontados como soluções mágicas para os problemas dos acidentes, e o não uso, como demonstração da irresponsabilidade e falta de consciência dos trabalhadores de cuidarem de sua saúde e integridade física. Na visão moderna deprevenção, os EPIs são vistos como uma solução limitada, que deveria ser adotada somente quando não existam outras alternativas. Muitas empresas adotam os EPIs como uma prática do gerenciamento artificial de riscos, (MACHADO, 1996), onde medidas de prevenção técnicas efetivas não são implementadas, e em seu lugar ocorre o que alguns estudiosos chamam de prevenção simbólica (PORTO, 1994). Este tipo deprevenção visa mais controlar os trabalhadores, fazendo-os acreditar erradamente que os riscos estão sob controle, já que o reconhecimento de que suas vidas estão em risco poderiam resultar em reações dos trabalhadores e suas organizações, resultando em prejuízos políticos e econômicos para as empresas.
Quando um acidente ocorre, também faz parte desta estratégia responsabilizar ostrabalhadores pelos próprios acidentes, através do conceito de ato inseguro que transforma as vítimas dos acidentes em culpados. Desta forma, o que deveria servir de exemplo e aprendizado sobre as falhas gerenciais das empresas, gera um pouco ou nenhum impacto em termos de transformações das condições de trabalho.
Desta forma, a avaliação dos riscos é fundamental para a definição de critérios e deações que visem minimizar os mesmos, os quais comprometem a saúde do trabalhador e a qualidade dos trabalhos desenvolvidos.
Dentro deste contexto é que nasceu a preocupação de abordar os riscos envolvidos pelos trabalhadores da Função de Padeiro e especificamente deste setor onde em geral são similares entre outras indústrias de panificação. Considerados principalmente como riscos químicos,...
tracking img