Abuso sexual infantil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3747 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ABUSO SEXUAL INFANTIL
Letícia Souza*
Resumo
Há quatro formas de abusos distintas, sendo estas: Estupro, Assédio sexual, Exploração sexual profissional e, por fim, pedofilia (abuso sexual infantil). No entanto cabe-nos somente falar sobre o último.
A pedofilia é um transtorno parafílico (distúrbio psíquico que se caracteriza pela obsessão de atos sexuais não aceitos pela sociedade), onde oagente abusador possui fantasias sexuais com menores em fase de pré-puberdade, visando a sua satisfação sexual.
Geralmente este abuso é praticado por parentes de sangue ou simplesmente por pessoas responsáveis pela criança e esta ação pode gerar danos físicos, psicológicos e comportamentais.

Palavras-chave: Pedofilia, Parafilia, Abuso, Sexo.

I Introdução
O abuso sexual infantil podetambém ser chamado de pedofilia, sendo esta um transtorno parafílico que faz com que o indivíduo tenha fantasias ou intensa excitação com crianças (geralmente cinco anos – ou mais – a menos que o abusador).
Geralmente este ato é praticado por homens, entretanto ainda há mulheres que abusam de seus filhos, embora a análise deste fato não seja tão intensa.
Os pedófilos são classificados em quatrocategorias, sendo estas:
* Jovens com até 18 anos de idade e que buscam conhecer o sexo com suas vítimas;
* Adultos de 35 a 45 anos de idade que podem molestar tanto a seus filhos (incesto), como a filhos de amigos ou vizinhos;
* Pessoas com mais de 55 anos que tenham sofrido de algum estresse, uma grande perda ou, ainda, que sofra de doenças capazes de afetar o Sistema Nervoso Central;* Pessoas que, sem motivos aparentes, praticam o ato a vida toda.
É comum que o molestador justifique seus atos como uma oportunidade à criança de se desenvolver no sexo, tornando-se assim mais especial e saudável, inclusive se o sexo for praticado com a permissão da mesma.
Quando ocorre incesto a situação é mais grave, visto que geralmente a criança confia e ama o molestador.
A família,geralmente, apoia às crianças, culpando o molestador. Entretanto, há aqueles que acreditam que esta é a verdadeira responsável por provocar o abuso. Por isso o tratamento deve ocorrer tanto a criança, quanto o abusador e a família por longo prazo, sendo este inicialmente designado para intervir possíveis crises.

II O ABUSADOR
Na maioria das vezes, o abusador é uma pessoa na qual a criança confia.As pessoas acreditam que um molestador se enquadra na descrição de alguém que sofre de distúrbios psicológicos, um psicótico ou, até mesmo, um homossexual, o que, de fato, é enganoso.
Pesquisas demonstram que, geralmente, os molestadores são homens heterossexuais e as vítimas são meninas. Segundo a AZEVEDO e GUERRA (2000) “os agressores sexuais de crianças e adolescentes que sofrem distúrbiospsiquiátricos são uma minoria. São pessoas aparentemente normais, com laços estreitos com a vítima. Pode ser uma pessoa da família, com pai, padrasto, avô, primos, tios, alguém conhecido e supostamente de confiança, como vizinhos, amigos dos pais, ou mesmo alguém com estatuto de confiança social (educadores, padres, pastores, etc.)”.
Ainda em relação ao perfil do abusador, é interessante citardados coletados na ong brasileira CECOVI (www.cecovi.org.br):
Segundo análise feita em 1.169 casos de violência doméstica atendidos no SOS Criança da ABRAPIA, entre janeiro de 1998 e junho de 1999, foram diagnosticados: 65% de violência física, 51% de violência psicológica, 49% de casos de negligência e 13% de abuso sexual. Em 93,5% dos casos os agressores eram parentes da vítima (52% - mãe, 27% -pai, 8% - padrasto/madrasta, 13% - outros parentes) e em 6,5% os abusadores não são parentes (3% - vizinhos, 2% - babás e outros responsáveis, 1,5% - instituições).
Dos 13% de casos envolvendo abuso sexual a pesquisa demonstrou que:
* A idade da vítima: 2 a 5 anos - 49%, 6 a 10 anos - 33%
* 80% das vítimas tinham sexo feminino
* 90% dos agressores eram do sexo masculino
O...
tracking img