Paternidade

Páginas: 16 (3987 palavras) Publicado: 10 de março de 2014
Pai Não é Visita: pelo direito a ser acompanhante nas maternidades públicas de Pernambuco

Introdução
O dia dos pais tornou-se uma data puramente comercial, em que a mídia bombardeia mensagens e propagandas em que “amor paterno” aparece como mais um produto, entre muitos. Porém, desde 1997, principalmente durante os meses de agosto e setembro, o Instituto PAPAI tem promovido em Recife, eoutras cidades da Região Metropolitana, atividades que buscam estimular a reflexão sobre o cuidado infantil, valorizando a participação dos homens na educação e no cuidado dos filhos (ver ações de 2002-03 – anexo 01).
Em nossa sociedade, o cuidado infantil é uma experiência pouco valorizada e atribuída normalmente às mulheres. Pouco se pergunta aos homens sobre seu desejo de ser pai e pouco seinforma sobre os direitos e compromissos relativos ao exercício da paternidade.
Não se pode esquecer que o cuidado é, antes de tudo, uma habilidade, que se aprende ao longo da vida. Desde criança, as mulheres praticam o cuidado infantil. Elas, desde muito cedo, são estimuladas, por exemplo, a brincar de boneca, exercitando o que supostamente as espera pela frente: a vida doméstica. Quando um meninoresolve incluir entre suas brincadeiras peças ou jogos relacionados ao lar, geralmente é recebido com chacotas e censura: “Menino não brinca de arrumar casa”, “Menino não brinca de boneca”. Essas mensagens se repetem, de diferentes formas, ao longo da vida de um homem.
Assim, raras vezes presenciamos um homem adulto executando tarefas associadas ao cuidado de um bebê, seja dentro de casa ou eminstituições voltadas ao cuidado e educação infantil, tais como creches, escolas primárias, berçários etc. Do mesmo modo, o cuidado das pessoas idosas e dos doentes, na família, também costuma ser desempenhado por mulheres. Enfim, em nossa cultura, “a arte de cuidar” aparece quase como uma condição natural de ser mulher.
O que poderia ser visto, então, como um privilégio, ao contrário, tem geradomuitos obstáculos para a vida das mulheres, principalmente aquelas que buscam espaço no mercado de trabalho e que, por vezes, não podem assumir um determinado emprego porque precisam tomar conta dos filhos ou de outros familiares e amigos. Muitas delas precisam enfrentar uma verdadeira “dupla jornada de trabalho”.
Nos planos nacional e internacional, a movimentação das mulheres em prol de umasociedade mais igualitária tem levado a propostas de mudanças nas condições de vida de homens e mulheres. Elas descreveram, discutiram, denunciaram e propuseram alternativas à condição feminina, nos diferentes campos da vida social que, invariavelmente, impuseram reflexões sobre o lugar dos homens em nossa sociedade.
Pesquisas, reflexões e intervenções indicam o que é óbvio para alguns, mas novidadepara muitos: a importância do homem na vida reprodutiva e o desejo de certos homens dela participarem.
A literatura científica e de apoio direto à intervenção em saúde e direitos reprodutivos vem, a partir dos anos 80, tratando cada vez mais da participação dos homens na esfera privada. Os textos destacam, geralmente, tanto a falta de informações sobre os homens e a paternidade, como o impacto depolíticas públicas no comportamento dos homens individualmente.
Por exemplo, enquanto no Brasil a licença paternidade pode durar até 5 dias e a licença maternidade 120 dias, na Suécia, desde 1974, os homens e as mulheres dispõem igualmente da licença parental, a ser dividida e negociada entre o casal. Essa licença abrange 450 dias (quinze meses cobertos por seguro social), podendo ser usada aolongo dos primeiros oito anos da criança, distribuídos em dias inteiros, meio período ou em ¼ do dia.
Desde a implantação desta licença parental, a proporção de homens que utilizam esse recurso aumentou de 3% em 1974 para 24,5% em 1987, e que cerca de 43% das crianças em idade pré-escolar eram cuidadas por seu próprio pai, situação que pode ser atribuída às oportunidades oferecidas pela licença...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Paternidade
  • Paternidade
  • paternidade
  • Paternidade
  • Paternidade
  • paternidade
  • paternidade
  • paternidade

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!