Os efeitos do uso do ginkgo biloba l.

Páginas: 9 (2005 palavras) Publicado: 4 de fevereiro de 2013
UNIVERSIDADE BRAZ CUBAS




















Os efeitos do Uso de Ginkgo biloba L.








































Mogi das Cruzes
2012
UNIVERSIDADE BRAZ CUBAS




















Os efeitos do Uso de Ginkgo biloba L.Monografia apresentada a matéria do Projeto Integrador III do Curso de Farmácia da Universidade Braz Cubas para a obtenção de aprovação do semestre.






















Mogi das Cruzes
2012

SUMÁRIO
INTRODUÇÃO 4
OBJETIVO 5
DESENVOLVIMENTO 6
1.1. Ginkgo Biloba L. 6
1.2. Posologia 7
1.3. Princípios Ativos 7
2. Utilização da Ginkgo biloba L. 8
3.Interações Medicamentosas e Contra Indicações 9
4. O Papel do Farmacêutico em Relação aos Fitoterápicos 10
conclusão 12
REFERÊNCIAS 13

































INTRODUÇÃO



“A utilização de plantas para fins medicinais é tão antiga quanto à própria humanidade, sendo a forma de tratamento mais usual até o século XVIII” (Sampaio, 2009).
Estasplantas possuem princípios ativos, que nas dosagens corretas podem ser mais eficazes ou tão quanto os demais medicamentos, e com a vantagem de serem mais baratos. (G. S. Oliveira, 2011)
Desde 1978, a Organização Mundial de Saúde reconhece oficialmente o uso de fitoterápicos. No Brasil, a política de uso de plantas medicinais teve inicio em 1981. Mas recentemente o decreto 5.813/2006instituiu a Política Nacional de Plantas Medicinais. (Carlos Augusto/ANVISA)
Segundo ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, os fitoterápicos são medicamentos obtidos empregando-se, como princípio ativo, exclusivamente derivado de drogas vegetais, é conhecido pela eficácia e riscos de seu uso, como também pela sua estabilidade funcional.
Fitoterápicos são regulamentados no Brasilcomo medicamentos convencionais e tem que apresentar qualidade, segurança e eficácia requeridos para todos os medicamentos. A utilização de fitoterápicos esta em vigor pela RDC nº 48, de 16 de março de 2004, emitida pela ANVISA que, revoga a RDC nº 17, de 24 de fevereiro de 2000.
Em 11 de novembro de 2011, foi aprovado pela RDC 60/2011, publicada no Diário Oficial da União, o FormulárioNacional de Fitoterápico, que integra a Farmacopeia Brasileira, onde se encontram 83 monografias de medicamentos. (Portal ANVISA)
A Ginkgo biloba L. é um fitoterápico de origem japonesa e tem trazido grandes benefícios com o seu principio ativo. As indicações mais comuns são o tratamento e a prevenção das condições médicas relacionadas ao envelhecimento, em particular para melhoria devertigens, tonturas, zumbido (tinido), má circulação, entre outros tipos de tratamento. (Luo, 2001)
O seu extrato tem sido utilizado em diversas formas farmacêuticas como cápsulas, cremes, xampus e outras formas, tendo múltipla utilização para o tratamento de diversas patologias e sendo um dos medicamentos mais antigos utilizados e estudados até hoje. (TF Oliveira da Silva, 2011)

OBJETIVOAvaliar os efeitos do extrato de Ginkgo biloba L., apresentando os benefícios e malefícios desse medicamento, incluindo efeitos causados no organismo, seu mecanismo de ação e a eficiência de seu uso no tratamento de doenças.



























































06


DESENVOLVIMENTO


1.1. Ginkgo BilobaL.



O primeiro bombardeio atômico da história ocorrido em 06 de agosto de 1945, na cidade de Hiroshima no Japão, arrastou destruição, mas também revelou uma única espécie, que sobreviveu ao caos: a Ginkgo Biloba L. (Álvaro Rotiré Hidalgo, 2011)
O nome Ginkgo vem da palavra chinesa sankyo, que significa “damasco do campo”. Esse nome faz referência ao pseudofruto totalmente...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Ginkgo Biloba
  • Ginkgo biloba
  • Ginkgo biloba
  • Ginkgo biloba
  • O Ginkgo biloba
  • Ginkgo Biloba
  • uso do mal com "L" e com "U"
  • Efeitos do uso do álcool no organismo

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!