Eritroblastose fetal

Páginas: 5 (1225 palavras) Publicado: 10 de agosto de 2013

INCOMPATIBILIDADE MATERNO-FETAL (IMF) COMO CAUSADA DOENÇA HEMOLITICA (DH) DO RECÉM-NASCIDO (RN): REVISÃO


Fabiana G. Silva¹
Genislaine H. Faria¹Maíra F. Durães¹
Manoel dos Santos¹
Michelle Goulart¹Tayna Moreira¹
Ricardo Souza Dias²
1 Graduandos do Curso de Biomedicina Terceiro Período.
2 Professor orientador do trabalho integrado.


Esta revisão de literatura teve como objetivo descrever as alterações materno-fetais relacionadas à eritroblastose fetal. Considerando a falta de informação sobre a DoençaHemolítica (DH) relacionadas à incompatibilidade materno-fetal (IMF) torna-se necessário um maior conhecimento das alterações causadas pela enfermidade e as possíveis formas profilaxia. Para isso foi realizado um estudo retrospectivo baseado em livros e artigos científicos publicados entre o período de 1984 e 2008.




PALAVRAS-CHAVE: RECÉM NASCIDO, ERITROBLASTOSE FETAL, DOENÇA HEMOLÍTICA,INCOMPATIBILIDADE MATERNO FETAL

DISCIPLINAS INTEGRADAS: GENÉTICA, IMUNOLOGIA, EMBRIOLOGIA.





INTRODUÇÃO

O recém-nascido é extremamente vulnerável, a menos, que receba cuidados básicos adequados também chamados de cuidados essenciais. Quando bebês normais não recebem estes cuidados, eles rapidamente adoecem e freqüentemente morrem. O perigo é ainda maior para bebês prematuros ou compeso baixo ao nascer (BACK, GANGES, GOLDMAN E LONG, 2004, p. 03)
As doenças mais freqüentes do recém-nascido são as relacionadas a problemas respiratórios, infecção generalizada, infecção do cordão umbilical, infecção cutânea, infecção ocular, sapinho, problemas com a temperatura corporal, icterícia, sangramento do cordão umbilical e problemas advindo da gravidez e do parto como a doença hemolítica(DH) perinatal também chamada de DH do recém nascido ou eritroblastose fetal (BACK, GANGES, GOLDMAN E LONG, 2004, p. 127)
A eritroblastose fetal é a doença hemolítica do recém nascido causada por incompatibilidade materno fetal. Geneticamente, os indivíduos D positivo (Rh +) podem ser homozigotos para o antígeno D, ou heterozigotos. Homens D positivo (Rh +) homozigotos casados com mulheres Dnegativas (Rh -) só poderão gerar filhos D positivos (Rh +), enquanto que, homens D positivo (Rh +) heterozigotos casados com mulheres D negativo (Rh -) poderão gerar filhos D positivos (Rh +) ou D negativos (Rh -).Os fetos Rh + (D positivos) podem causar imunização nas gestantes Rh - (D negativo), ou seja, podem estimular a produção de anticorpos maternos anti-D contra as hemácias D negativas (Rh -)fetais. A imunização (produção de anticorpos anti-D pela gestante) deve-se a passagem de hemácias fetais para a circulação sanguínea materna, que ocorre em 3% das gestantes no primeiro trimestre, em 12% no segundo trimestre, em 45% no 3º trimestre, e, em 64% dos casos, imediatamente após o parto. (FONSÊCA,2002) 
A doença hemolítica do recém nascido relacionada ao fator Rh é causada pelaincompatibilidade entre o sangue da mãe e do recém-nascido, levando a destruição de hemácias fetais, sem o tratamento os fetos mais severamente afetados podem morrer intra-útero, no recém nascido a doença pode resultar em icterícia, anemia, dano cerebral, falência cardíaca e morte. (SÁ, 2006).  
Esta doença depende do extravasamento de hemácias fetais para a circulação materna e, por vez, da passagem...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • eritroblastose fetal
  • Eritroblastose fetal
  • Eritroblastose Fetal
  • Eritroblastose Fetal
  • eritroblastose fetal
  • Eritroblastose Fetal
  • eritroblastose fetal
  • Eritroblastose fetal

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!