Modelo Fordista E Taylorista artigos e trabalhos de pesquisa

  • Relação do modelo taylorista-fordista com o processo educacional

    Acadêmica: Eltiane Braun Atividade: atividade 2 Relação do modelo Taylorista-Fordista com o processo educacional As teorias Taylorista e Fordista tinham como objetivos a ampliação da produção em um menor tempo, visando assim tornar mais eficiente a produção e conseqüentemente elevar ao máximo a produtividade e o lucro nas empresas. No Taylorismo o trabalho foi fragmentado, cada trabalhador tem uma atividade especifica, sendo que há a separação entre o trabalho intelectual...

    591  Palavras | 3  Páginas

  • Comparativo de desempenho entre sistemas de produção: artesanal, taylorista, fordista e toyotista

    Produção Período: 11.2 COMPARATIVO DE DESEMPENHO ENTRE SISTEMAS DE PRODUÇÃO: Artesanal, Taylorista, Fordista e Toyotista Equipe: Débora Freire Stepple Helena Thâmara Aquino dos Santos Mayara Sampaio Negreiros Professor: Marcel de Gois Pinto João Pessoa Outubro / 2011 SUMÁRIO 1. 2. 2.1 2.2 2.3 2.4 2.5 3. 4. INTRODUÇÃO RELATO DA ATIVIDADE Artesanal Manufatureiro Taylorista Fordista I e Fordista II Toyotista ANÁLISE COMPARATIVA DOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO BIBLIOGRAFIA 3 4 5 6 8 10 12 14...

    3528  Palavras | 15  Páginas

  • Modelo prova sociologia

    hierarquia horizontal, acima citada, é uma característica marcante do: a) modelo de produção taylorista. b) modelo de produção fordista. c) modelo de produção toyotista. d) modelo de produção feudal. __________________________________________________________________________ 03. Na sociedade medieval, o trabalho estava organizado sobre um modelo econômico de subsistência. Levando-se em consideração a influência desse modelo econômico, pode-se afirmar que na Idade Média a) o escravo exercia um grande...

    641  Palavras | 3  Páginas

  • TGA - Alguns elementos sobre a racionalidade Taylorista, Toyolista e Fordista

    Alguns Elementos sobre a Racionalidade dos Modelos Taylorista, Fordista e Toyotista Karla von Döllinger Régnier*    Sumário - O artigo se propõe a discutir o desenvolvimento dos modelos produtivos taylorista, fordista e toyotista como formações históricas determinadas, que articulam de diferentes modos os processos produtivos e as relações sociais, definindo padrões de racionalidade específicos. Ressalta as características básicas constitutivas desses modelos, suas semelhanças e suas diferenças. ...

    5462  Palavras | 22  Páginas

  • A era fordista

    DA INOVAÇÃO A ERA FORDISTA E A CONCORRÊNCIA OLIGOPOLISTA Santa Cruz do Capibaribe. -PE. 28 de março de 2012. A ERA FORDISTA E A CONCORRÊNCIA OLIGOPOLISTA REFERÊNCIA: TIGRE, Paulo Bastos, 1952- Gestão da inovação: a economia da tecnologia do Brasil / Paulo Bastos Tigre. — Rio de Janeiro: Elsevier. — 7ª reimpressão. il.Cap.3.P. 33-52. O capítulo 3 do livro Gestão da inovação: a economia da tecnologia do Brasil de Paulo Bastos Tigre, que aborda o tema A Era Fordista e a Concorrência Oligopolista...

    1070  Palavras | 5  Páginas

  • Modelos de produção. Fordismo, Taylorismo e Toyotismo.

    surgimento do Ford Modelo T; e 1913-1914, quando foi introduzido um novo processo produtivo, a linha de montagem, na fábrica de Ford em Highland Park, Michigan. Ensine que, pelo novo esquema, os operários ficam junto a uma esteira que transporta a carcaça do automóvel a ser montado; quando ela chega diante deles, os homens intervêm e executam os movimentos racionalmente determinados pela análise taylorista, sem perder um segundo. Foi a feliz união entre a racionalização taylorista dos movimentos e...

    1391  Palavras | 6  Páginas

  • Modelo clássico- Organização do trabalho

    TEXTO 01 MODELO CLÁSSICO - PARADIGMA DA MELHORIA DAS OPERAÇÕES INDIVIDUAIS Maria de Lourdes Barreto Gomes Para se compreender como as empresas produtoras de bens se ajustam aos diferentes modelos de gestão, é importante analisar o contexto em que estes se desenvolveram, os fatores que influenciam a aplicação de um ou outro modelo, como também entender os princípios, os conceitos e as técnicas a partir dos quais se estabelecem as principais características do desenho organizacional. A partir...

    6031  Palavras | 25  Páginas

  • O modelo Taylorista-Fordista com o processo educacional.

     Atividade: O modelo Taylorista-Fordista com o processo educacional. A concepção de que o conhecimento é simplesmente transmitido está sendo mudada para aquela em que o estudante participa ativamente, construindo, desenvolvendo sua aprendizagem pela ação. A integração de tecnologias que disseminam o conhecimento contribui para a queda de barreiras que, por ventura, possam dificultar a socialização do conhecimento. Observa-se que o processo educacional envolve diretamente as questões tecnológicas...

    684  Palavras | 3  Páginas

  • Modelo sueco de organização do trabalho: processo histórico de construção e causas do aparente fracasso

    Universidade Federal de Minas Gerais Faculdade de Ciências Econômicas Mateus Braga Guerra Modelo Sueco de Organização do Trabalho: Processo Histórico de Construção e Causas do Aparente Fracasso Belo Horizonte 2008 Mateus Braga Guerra Modelo Sueco de Organização do Trabalho: Processo Histórico de Construção e Causas do Aparente Fracasso Monografia apresentada ao Departamento...

    14531  Palavras | 59  Páginas

  • A ascensao do modelo toyotista

    A ASCENSÃO DO MODELO TOYOTISTA ITUIUTABA-MG FEVEREIRO, 2014 O modelo japonês de produção, denominado toyotismo foi criado por Eiji Toyoda e seu especialista em produção, o engenheiro Taiichi Ohno e implantado nas fábricas de automóveis Toyota, após o fim da Segunda Guerra Mundial. Nessa época, o novo modelo era ideal para o cenário japonês, ou seja, um mercado menor, bem diferente do mercado americano e europeu, que utilizavam os modelos de produção Fordista e Taylorista. O toyotismo é...

    824  Palavras | 4  Páginas

  • A Educação aplicada à qualificação profissional: um reflexo sobre a herança fordista.

    A Educação aplicada à qualificação profissional: um reflexo sobre a herança fordista. Autor: Henrique Guilherme Scatolin. A partir de um breve levantamento sobre o conceito de Gestão de Pessoas, este trabalho enfoca a importância da qualificação profissional para a busca da vantagem competitiva nas empresas. Para Chiavenato “o contexto da gestão de pessoas é formado por pessoas e organizações” (2010, p. 04). Sabemos que as pessoas dependem das organizações para atingir seus objetivos...

    910  Palavras | 4  Páginas

  • Resenha do texto da polarização das qualificações ao modelo de competência

    Da Polarização das qualificações ao modelo de competência (Helena Hirata) 1) Os novos paradigmas de produção e a evolução da divisão do trabalho e da qualificação O desenvolvimento do modelo de produção fordista baseou-se na fabricação em massa de bens padronizados feito por trabalhadores semiqualificados. O objetivo principal era a redução máxima dos custos de produção e, assim, baratear o produto para que haja um maior número de consumidores. Nesse sistema de produção, que foi o que mais...

    1004  Palavras | 5  Páginas

  • Modelo japonês da administração

    MODELO JAPONÊS História O Japão foi o lugar da automação flexível pois apresentava um ambiente diferente do EUA: um pequeno mercado consumidor, capital e matéria-prima escassos, e grande disponibilidade de mão-de-obra não-especializada, impossibilitavam a solução taylorista-fordista de produção em massa. A resposta foi o aumento na produtividade na fabricação de pequenas quantidades de numerosos modelos de produtos, voltados para o mercado externo, de modo a gerar divisas tanto para a obtenção...

    1574  Palavras | 7  Páginas

  • modelo japones

     kaizen Kanbam Kambam eletrônico utilizado na krupp Just time 5s                                                            O MODELO TAYLORISTAFORDISTA     O Modelo de organização  do trabalho mais difundido no mundo está ligado à obra de Frederick W. Taylor, engenheiro mecânico de origem norte-americano, e consolidado num livro intitulado  Princípios de Administração Científica  de 1911 . Taylor iniciou...

    4339  Palavras | 18  Páginas

  • O trabalho nos modelos de produção fordista/taylorista e toyotista no entendimento.

    MARCOS VINÍCIUS CASTRO DE LARA O trabalho nos modelos de produção fordista/taylorista e toyotista no entendimento de Maria Leni Gapski Marochi e Thiago Falker Andreis . Trabalho de interpretação dos textos de Maria Leni Gapski e Thiago Felker Andreis. Para encerramento do 1º semestre de 2012. Universidade de Caxias do Sul Faculdade de Direito ...

    2425  Palavras | 10  Páginas

  • taylor e o modelo ford

    consistia na avançada fragmentação de tarefas entre os diversos operários de sua fábrica. Henry Ford e seu filho num Modelo T. A linha de montagem modificou totalmente a estrutura das fábricas e o trabalho do proletariado. Ou seja, cada trabalhador seria responsável por uma única tarefa, que deveria ser repetida infinitamente de forma a se alcançar uma maior produtividade. O sistema fordista de produção está diretamente ligado aos fundamentos propostos pelo conjunto de teorias desenvolvidas pelo engenheiro...

    712  Palavras | 3  Páginas

  • O URBANISMO FORDISTA E A SUA CRISE

    1. As “ondas longas” do desenvolvimento industrial 2. Os ciclos do crescimento Urbano 3. O período fordista e o papel da cidade 4. A crise do modelo fordista 5. O espaço económico pós-fordista As “ondas longas” do desenvolvimento industrial Revolução Industrial Transformações da estrutura social e política Mudança do fenómeno urbano / enorme expansão quantitativa Rápida ascensão das taxas de urbanização a ritmos acelerados a partir do séc. XIX e durante o no séc. XX, até 1970...

    2431  Palavras | 10  Páginas

  • A crise do sistema fordista

    de 70, essas semânticas encaixam perfeitamente no momento que o modelo de produção Fordista enfrentava. Uma sociedade que tem na busca do lucro o principal organizador de sua economia, citação de Harvey, seria normal entrar em uma situação grave ou passar por momentos críticos que a leve arriscar nas tomadas de suas decisões quando seu modelo econômico não acumula mais capital e sua lucratividade diminua exponencialmente. O modelo de produção em massa, classificado por muitos autores como rígido...

    2360  Palavras | 10  Páginas

  • Modelo japonês toyotismo

    Administração Comunicação Empresarial Priscila Tatiane Cecílio Estudo sobre o modelo japonês de administração da Toyota Niterói 2010 Sumário 1- Introdução 2 - O modelo japonês de administração da Toyota As principais características do modelo toyotista são: 3 - Psicologia Organizacional da Toyota 4 - Aspectos psicológicos da produção toyotista / enxuta Introdução 1 - O modelo Toyotista criado pelo japonês Taiichi Ohno, implantado nas fábricas de produção...

    2876  Palavras | 12  Páginas

  • Breve análise sobre o toyotismo: modelo japonês de produção

    BREVE ANÁLISE SOBRE O TOYOTISMO: MODELO JAPONÊS DE PRODUÇÃO (por Marli Delmônico de Araújo Futata) “Quanto mais o capitalismo avança, mais os empresários e seus servidores introduzem métodos sofisticados para aumentar a contribuição de cada trabalhador na criação de riqueza e reduzir a capacidade de resistência coletiva dos operários”. (Thomas Gounet, 1998). A crise do final dos anos 1960 e início de 1970, que se estende até os dias atuais está relacionada à crise da estrutura do capital. As...

    1681  Palavras | 7  Páginas

  • Modelo japones

    Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 93/94: 29-37, dez. 1998 DE TAYLOR AO MODELO JAPONÊS: MODIFICAÇÕES OCORRIDAS NOS MODELOS DE ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO E A PARTICIPAÇÃO NO TRABALHO RESUMO É apresentada uma revisão da literatura com as modificações ocorridas nos modelos de organização do trabalho na produção desde o Taylorismo até o Modelo Japonês. A participação no trabalho, característica importante da organização do trabalho no contexto atual de globalização da economia e de reestruturação...

    3776  Palavras | 16  Páginas

  • O desdobramento Taylorista no setor bancário

    1. ÁREA TEMÁTICA Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho 2. TÍTULO DA PESQUISA O Desdobramento Taylorista no Setor Bancário. 3. RELEVÂNCIA DO ESTUDO A sociedade atual está cada vez mais exposta ao avanço tecnológico, globalização e consequentemente ao capitalismo, que é uma das maiores engrenagens para que o sistema em que vivemos permaneça funcionando e impulsionando o aumento de produção, tendo como referências os preceitos básicos expostos por Frederick Taylor. Neste cenário...

    5620  Palavras | 23  Páginas

  • Modelo de Nota técnica

    terá sido por outra razão que toda a Parte I da obra é destinada à conceitualização de aprendizagem e inovação no âmbito das organizações. A abordagem conduzida nesta Parte II é divida em dois focos: no primeiro, são discutidos os conceitos sobre modelos de aprendizagem (behaviorista e cognitivo), analisadas as características do aprendizagem individual e aprendizagem organizacional e, em especial, avaliada em que medida a cultura organizacional condiciona e favorece(ou não) a cultura da aprendizagem...

    1119  Palavras | 5  Páginas

  • Modelo italiano

    O MODELO ITALIANO - “Terceira Itália” • Surge na Itália, principalmente nas regiões: Emilia, Vêneto, Toscana, Marche, na década de 1980 • Características: Características do modelo: • Consagração de estruturas de pequenas empresas industriais em áreas com tradição artesanal e pouca ou nenhuma experiência na produção em massa; • Processo de trabalho e relações de trabalho flexíveis; • Alta capacidade de inovação e inserção autônoma dessas redes de pequenas empresas no mercado internacional; ...

    1135  Palavras | 5  Páginas

  • modelos de organização industrial

    CO TEXTUALIZAÇÃO HISTÓRICO-CO JU TURAL DOS MODELOS DE ORGA IZAÇÃO I DUSTRIAL 1. I TRODUÇÃO Mudanças cada vez mais profundas e rápidas que vêm ocorrendo nos mercados globais levam a uma exigência de incrementos de competitividade que, por sua vez, impõe mudanças nas estruturas organizacionais das empresas, ou seja, na forma como as empresas se organizam. A palavra organização vem do grego organon, que significa instrumento. Organizações são, portanto, uma forma de associação humana destinada...

    15797  Palavras | 64  Páginas

  • Modelo toyota

    ‘cinco porquês” e a redução estoques. A ideologia toyotista ultrapassa as fronteiras nacionais e internacionais. Vemos como flexibilização do trabalho, os contratos temporários e precários para docentes e funcionários, em respeito a racionalidade taylorista, para se economizar custos, a gestão empresarial significa separar a concepção da execução. Fica claro, que o que acontece que o que acontece é considerado a Segunda Revolução Industrial, é a realidade do taylorismo-fordismo, como método de racionalização...

    1173  Palavras | 5  Páginas

  • Modelos de gestão industrial (taylorismo, toyotismo, just in time)

    Japão, seguia um sistema enxuto de produção, aumentando a produção, reduzindo custos e garantindo melhor qualidade e eficiência no sistema produtivo. O Fordismo é utilizado até hoje na fabricação de automóveis. Foi e continua sendo o único modelo de produção capaz de atender a demanda exigida pela sociedade atual. Com a crise econômica de 2008 e 2009 no sistema imobiliário dos EUA e sua conseqüência no mercado global, inúmeras montadoras sofreram uma enorme queda nas vendas e tiveram de demitir...

    1357  Palavras | 6  Páginas

  • Impacto das mudanças no mundo do trabalho sobre a subjetividade: em busca de um modelo de Orientação Profissional para adultos

    Impacto das mudanças no mundo do trabalho sobre a subjetividade: em busca de um modelo de Orientação Profissional para adultos Maria da Conceição Coropos Uvaldo Globalização Não há termo mais popular no período do final do século XX e início do XXI que globalização. Entendido, simplificadamente, como a abertura de fronteiras econômicas, que, até o momento, não ocorreram plenamente, apenas existindo a formação, ou tentativas, de blocos econômicos como a União Européia. Na verdade a globalização...

    8766  Palavras | 36  Páginas

  • Modelo de paper

    destacadas para melhor análise da influência, tais como: Maior participação dos funcionários nos processos de trabalho, ou seja, uma tentativa de eliminação da separação entre planejamento execução, promovida principalmente pelos sistemas tayloristas e fordistas; Descentralização das decisões; redução de níveis hierárquicos; supervisão democrática; ambiente físico seguro e confortável; além de condições de trabalho capazes de gerar satisfação; oportunidade de crescimento e desenvolvimento...

    1439  Palavras | 6  Páginas

  • Modelos de Homum e Paradigmas Produtivos

    Os modelos de homem de Alberto Guerreiro Ramos e os paradigmas produtivos do século XX Roberto Bondarik (UTFPR/SEED-PR) bondarik@utfpr.edu.br Luiz Alberto Pilatti (UTFPR) lapilatti@utfpr.edu.br Resumo: O presente artigo tem como objetivo a compreensão das mudanças ocorridas nos paradigmas produtivos industriais que constituíram modelos de homens distintos, com vistas ao alcance de determinados objetivos intermediados, e assim explicá-la causalmente em seu curso e seus efeitos. Para a consecução...

    4672  Palavras | 19  Páginas

  • O seqüestro da subjetividade e as novas formas de controle psicológico no trabalho: uma abordagem crítica ao modelo toyotista de produção

    O Seqüestro da Subjetividade e as Novas Formas de Controle Psicológico no Trabalho: uma abordagem crítica ao modelo toyotista de produção Autoria: José Henrique de Faria e Francis Kanashiro Meneghetti Resumo: O presente estudo procura analisar como o atual modelo toyotista de produção é capaz de seqüestrar a subjetividade do trabalhador e estabelecer mecanismos de controle psicológico subsumindo-o à lógica do capital. Procura-se, através de análises nas técnicas de produção – just-in-time...

    8312  Palavras | 34  Páginas

  • paradgima tecnico

    PARADIGMA TÉCNICO-ADMINISTRATIVO REVISÃO PARA A PROVA 1. Escreva três características dos modelos de produção taylorista, fordista e fayolista. 2. Depois de analisar as características das fábricas, associe cada uma delas ao nome que representa melhor o processo administrativo (modelo taylorista ou fordista de produção): a) A fábrica A empenhou-se em aumentar a eficiência produtiva dos empregados, Foi a primeira a adotar o sistema de produção mecanizada, com um sistema rígido de disciplina...

    704  Palavras | 3  Páginas

  • Fordismo

    Fordismo,Taylorismo e Toyotismo Fordismo, Taylorismo e Toyotismo são modelos de produção industrial, sendo que o Taylorismo se caracteriza por técnicas de administração voltadas à otimização de produção. O Fordismo e o Taylorismo foram muito aplicados desde o início do século XX até aproximadamente a década de 1970. A partir daí o Toyotismo começa a ganhar espaço nos modelos de produção industrial. Fordismo - um processo industrial onde há produção em série, linhas de montagens, cada...

    3310  Palavras | 14  Páginas

  • Os sentidos do trabalho

    grandes indústrias se organizavam fundamentadas nas produções em massa e da exploração do trabalho. Os primeiros modelos utilizados nas indústrias foram o fordismo e o taylorismo, estes paradigmas eram fundamentados na exploração dos trabalhadores que, além de serem mal remunerados eram submetidos às exaustivas cargas horárias e atividades repetitivas. As indústrias fordistas/tayloristas trabalhavam com o combate ao desperdício e na redução de tempo, aumentando assim, o nível de exploração dos seus...

    1263  Palavras | 6  Páginas

  • RESENHA

    particularidades históricas e dialéticas no desenvolvimento nas relações de trabalho, assumindo um lado mais social e encontrar a forma de um modelo que seja referência de trabalho em qualquer campo trabalhistíco. 2 Introdução Na visão de Batista (2008), ela procura focar em uma linha de pensamento que possa contrariar o modelo fordista-toyotista-taylorista, estabelecendo uma conexão entre o conhecimento e a realidade histórica objetiva. “Fordismo, taylorismo e toyotismo são expressões particulares...

    1998  Palavras | 8  Páginas

  • Taylorismo-fordismo e toyotismo na crise estrutural do capital: aspectos gerais para uma caracterização introdutória

    caracterização introdutória Autor: Valricélio Linhares Itapipoca-ce 2012 1. Taylorismo-fordismo: a gênese da crise estrutural do capital Durante a crise dos anos de 1930, por motivo de superprodução de mercadorias o taylorismo-fordismo foi o modelo de produção em massa. Foi o momento que o sistema não dava conta de vender o excesso de mercadorias produzidas. O binômio taylorismo-fordismo baseava-se na produção em massa de mercadorias, de forma homogeneizada e verticalizada com a contenção do...

    761  Palavras | 4  Páginas

  • Plano de aula pós-fordismo e Toyotismo

    Pós-fordismo e Toyotismo 1 Pratica Social Inicial 1.1 Objetivos Trabalhar com os alunos as mudanças no processo de produção e consumo após a década de 1970 e o modelo Toyotista de organização da produção. 1.2 Listagem de conteúdos Pós-fordismo; Mudanças no mercado global após a década de 1970; Limitações do modelo Taylorista/Fordista de organização da produção; Mudanças nas formas organizacionais de produção; Toyotismo. 1.3 Vivência Cotidiana do Conteúdo a) O que os alunos já sabem? ...

    1618  Palavras | 7  Páginas

  • Fordismo

    décadas, um modelo quase perfeito de aplicação sistemática e maciça dos conceitos tayloristas de organização da produção. Mais do que isso, Ford soube compreender as características da sociedade americana da época e, desta forma, construiu uma história de enorme sucesso empresarial. O modelo fordista reconheceu o modo de organização e atuação dos sindicatos dos trabalhadores, utilizando políticas salariais ousadas como um elemento da sua estratégia. O método administrativo de fordista apresenta...

    679  Palavras | 3  Páginas

  • Novos modelos de gestão

    contextos as exigiam, como novas alternativas, seguindo o que poder-se-ia chamar de processo evolutivo, adequado às mudanças do ambiente. Na última década, novos modelos de gestão passaram a ser adotados, formas alternativas, mistos dos conhecimentos existentes com diferentes concepções. Assim, temos as metáforas, comparadas a modelos de gestão, como é o caso do fordismo, comparado à metáfora da máquina, do toyotismo, comparado à dos organismos, e o volvismo, este último, comparado à metáfora do...

    2902  Palavras | 12  Páginas

  • reestruturação produtiva

    advento da revolução tecnológica, agravada pela crise do petróleo. No entanto, para melhor compreender a reestruturação produtiva e os novos parâmetros de dominação existente, é necessário entender os antigos modos de produção capitalista, baseado nos modelos taylorismo/fordismo, no qual criou um certo comprometimento entre o capital e trabalho, poréma reestruturação produtiva em nosso país veio em resposta à necessidade de ajustamento de acordo aos padrões internacionais de produtividade e qualidade,...

    1651  Palavras | 7  Páginas

  • sociologia

    FRINGE benefit. A este modelo gerencial corresponde um colaborador mutante, espécie de super-homem cujas qualidades pessoais (o "saber-ser") tornam-se tão importantes para sua carreira quanto o seu talento profissional (o "savoir-faire") [...]. Le Monde Diplomatique Brasil. Disponível em: Diplomatique.org. Acesso em: 17/14/2013. O texto acima assinala o atual momento da produção capitalista, marcado pela transição: a) do modo de produção taylorista para o fordista. b) do modo de produção...

    503  Palavras | 3  Páginas

  • Artigo Científico - Capitalismo

    equilíbrio teve por consequência o pleno emprego. Porém o equilíbrio de mercado entrou em decadência após a segunda guerra, abrindo assim, caminho para um novo capitalismo baseado nos ideais Keynesianos e Fordistas. A fim de reconstruir o capital e superar a crise de acumulação, as ideias Fordistas e Keynesianas se juntaram. O sistema Keynesiano acreditava que depois da segunda guerra as pessoas deviam poupar recursos e que os capitalistas e trabalhadores necessitam de um esfera superior a eles que...

    635  Palavras | 3  Páginas

  • Eu por eu

    listas de competências centradas no saber-ser, objetivando indicar, de maneira prescritiva, aquilo que os assalariados devem saber fazer e dizer, numa dada situação de trabalho. Essa construção assemelha-se àquela dos referenciais do trabalho taylorista, centrados na prescrição de tarefas. Nesse contexto, o trabalhador dito competente será aquele que, ao desenvolver seu trabalho, detém as competências atitudinais e comportamentais prescritas no referencial. 1 Por outro lado, Le Boterf (2006)...

    6359  Palavras | 26  Páginas

  • FORMAS DE ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO

    incongruências dos estudos que trabalham sob uma perspectiva etapista, e sim, construir uma argumentação que priorize uma análise genuinamente dialética, que aponte as rupturas e continuidades entre as formas de organização do trabalho fordista, taylorista e toyotista, ressaltando seu caráter social. Considerando algumas interpretações “clássicas” no interior das ciências sociais, o objetivo específico é fornecer breves apontamentos para se pensar uma “anti-sociologia do trabalho”, no sentido ...

    6731  Palavras | 27  Páginas

  • PORTIFOLIO DE GEO ECONOMICA 3

    Motor Company), criou, em 1914, o que se denominou "fordismo". Para que seus preceitos pudessem ser colocados à prova, Henry Ford criou uma revolução no sistema de produção de automóveis baseado nas ideias de Taylor, caracterizando o sistema fordista-taylorista. Ainda caracteriza tal sistema produtivo grande número de empregos e consequente achatamento de salários; racionalização de produção por meio da divisão de tarefas (fundado em Taylor), não sendo necessária especialização ou treinamento específico...

    1021  Palavras | 5  Páginas

  • Modelo de declaração de imóvel locado sem contrato vigente

    relacionados com a inovação tecnológica e a chamada sociedade do conhecimento não podem, portanto, deixar de ser vistos no quadro dos processos globais e das novas desigualdades sociais que têm vindo a ser geradas. O esgotamento da velha relação salarial fordista, a crise do Estado-providência, o aumento da competitividade a nível global, sobretudo desde meados dos anos 80, desenharam-se sob a emergência de Trabalho, desigualdades sociais e sindicalismo | 115 uma nova onda liberal, largamente apoiada...

    12532  Palavras | 51  Páginas

  • Tempos modernos e o taylorismo - fordismo nas fábricas do século xx

    artesanal, muito comum antes da revolução industrial se expandir no século XIX. Em sua genialidade Chaplin demonstra, entre outras coisas, as péssimas condições de trabalho e suas consequências sofridas pelos assalariados, devido ao sistema Taylorista-Fordista, nos primeiros anos após a Grande Depressão americana de 1929. Além disso, Chaplin expõe o controle burguês sobre o operário e o seu desajuste com a rápida evolução burguesa dominada pelo Taylorismo-Fordismo e sua ultra-especialização,...

    2057  Palavras | 9  Páginas

  • Teorias de Administra o e Organiza o do Trabalho

    características, contribuições e limitações para a organização do trabalho na sociedade. Mostra a influência destas teorias na organização do trabalho no setor saúde e especialmente na enfermagem demonstrando a influência predominante, até hoje, do modelo taylorista/fordista de organização do trabalho e de duas teorias administrativas, a clássica e a burocrática. Conclui apontando os limites destas teorias para enfrentar os desafios atuais da gestão no setor saúde e para a realização de um trabalho de melhor...

    4004  Palavras | 17  Páginas

  • Administração

    A RACIONALIDADE DO MODELO TAYLORISTA O projeto desenvolvido por Taylor no início do século busca responder ao desafio maior com o qual se defrontava o capitalismo americano, impondo limites à sua expansão e consolidação; qual seja, uma classe trabalhadora organizada em torno de ofícios, com domínio e monopólio do saber produtivo. A escassez de mão-de-obra qualificada e a "indisciplina" dos trabalhadores (mormente a sua participação em movimentos políticos) eram fatores tidos como grandes obstáculos...

    4049  Palavras | 17  Páginas

  • 4 LIDERANÇA TRANSFORMACIONAL, MODELO PARA ORGANIZAÇÕES EDUCATIVAS QUE APRENDEM

    aprendizagem, que ocorre dentro do organismo do indivíduo que esta aprendendo e as respostas que são emitidas por esse indivíduo que podem ser observáveis e mensuráveis. Ainda segundo os autores, o modelo behaviorista¹ e o modelo cognitivo² são as duas vertentes teóricas que sustentam os principais modelos de aprendizagem. 2.1.1.1 APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL Para FLEURY E FLEURY (1997), o processo de aprendizagem em uma organização não só envolve a elaboração de novos mapas cognitivos, que possibilitem...

    3162  Palavras | 13  Páginas

  • Sustentabilidade

    visiveis e há uma constante preocupação com a ética e a moral. No consumo não há vinculos, sendo todos eles frágeis, o emprego é uma ocupação momentânea na qual não há grande valor, o código de conduta é apenas o da etiqueta social. Fordismo é um modelo de Produção em massa que revolucionou a indústria automobilística na primeira metade, enquanto o Toyotismo é um modo de organização da produção capitalista originário. Enquanto o fordismo buscava produzir em larga escala, mantendo um padrão unico...

    7256  Palavras | 30  Páginas

  • Fordysmo

    Toyotismo é o modelo japonês de produção, criado pelo japonês Taiichi Ohno e implantado nas fábricas de automóveis Toyota, após o fim da Segunda Guerra Mundial. Nessa época, o novo modelo era ideal para o cenário japonês, ou seja, um mercado menor, bem diferente dos mercados americano e europeu, que utilizavam os modelos de produção Fordista e Taylorista. Na década de 70, em meio a uma crise de capital, o modelo Toyotista espalhou-se pelo mundo. A idéia principal era produzir somente o necessário...

    772  Palavras | 4  Páginas

  • Pós-fordismo

    INTRODUÇÃO Este trabalho é realizado a fim de discorrer sobre um dos modelos de produção vigentes na FIAT AUTOMÓVEIS S.A.(FIASA). No primeiro momento, buscaremos apresentar as bases fordistas/tayloristas, enfatizando seus princípios e conseqüências, e mostrar os aspectos que levaram ao declínio desse modelo. Em seguida, falaremos sobre o novo modelo de produção, o pós-fordismo, e seus diferenciais, como a flexibilidade e melhoria na qualidade dos produtos finais. A...

    841  Palavras | 4  Páginas

  • perigos na internet

    décadas de 1950 e 1960, o capital passou a dar sinais de um quadro crítico, que pode ser observado por alguns elementos como: a tendência decrescente da taxa de lucro decorrente do excesso de produção; o esgotamento do padrão de acumulação taylorista/fordista(2) de produção; a desvalorização do dólar, indicando a falência do acordo de Breeton woods; a crise do Welfare State ou do “Estado de Bem-Estar Social”; a intensificação das lutas sociais (com greves, manifestações de rua) e a crise do petróleo...

    2105  Palavras | 9  Páginas

  • História do pensamento administrativo

    do Rio de Janeiro Avaliação a Distância – AD1 Período - 2012/2º Disciplina: História do Pensamento Administrativo Coordenador: Prof. Francisco Paulo De Melo Neto 1. Descreva o funcionamento de uma fabrica que utiliza o modelo taylorista de produção? O modelo taylorista tem como objetivo planejar, organizar e permitir o controle do trabalho por parte da gerência, para tanto, esta deveria:     Dividir o trabalho do operário em seus componentes básicos; Eliminar as atividades que não agregam...

    717  Palavras | 3  Páginas

  • Métodos de produção industrial: taylorismo, fordismo e toyotismo

    surgimento do Ford Modelo T; e 1913-1914, quando foi introduzido um novo processo produtivo, a linha de montagem, na fábrica de Ford em Highland Park, Michigan. Ensine que, pelo novo esquema, os operários ficam junto a uma esteira que transporta a carcaça do automóvel a ser montado; quando ela chega diante deles, os homens intervêm e executam os movimentos racionalmente determinados pela análise taylorista, sem perder um segundo. Foi a feliz união entre a racionalização taylorista dos movimentos e...

    1609  Palavras | 7  Páginas

  • PROBLEMA DO ENCONTRO DE DOIS MOVEIS

    determinada etapa de desenvolvimento das forças produtivas das relações de produção tendo como uma das características o trabalho precarizado seja ele artesanal,manufaturado ou industrial.Os modos de produção Taylorismo ,Fordismo e Toyotismo são modelos de produção industrial ,sendo que o Taylorismo se caracteriza por ter sistemas técnicos que objetivam a otimização do emprego da mão-de-obra de modo a aumentar a racionalização do movimento e evitar a ociosidade e a morosidade operária.No século XX...

    4382  Palavras | 18  Páginas

  • FORDISMO

    MODELOS DE PRODUÇÃO DO FORDISMO/TAYLORISMO Sabe-se que o trabalho na era fordista, que vigorou por quase todo o século XX depois da Revolução Industrial com a solidificação do capitalismo, caracterizou-se pela exploração intensa do trabalhador. Visto como simples apêndice da maquina, o operário fordista sofria com o trabalho repetitivo, massificado, mal pago, intenso e embrutecedor, trabalho este existente quando para fundamental para o aumento do lucro capitalista, típico do modelo de produção...

    689  Palavras | 3  Páginas

  • o Taylorismo e o Fordismo

    mercado pós guerra fez as adaptações ideais para alcançar seus objetivos: Se a divisão de atividades entre vários trabalhadores, a elas limitados dentro de funções específicas, já estava bastante avançada na indústria com a expansão do sistema taylorista, a novidade introduzida por Ford, com a linha de produção em série, foi a colocação do objeto de trabalho num mecanismo automático que percorresse todas as fases produtivas, sucessivamente, desde a primeira transformação da matéria-prima bruta até...

    2216  Palavras | 9  Páginas

  • A revolução do pensamento administrativo

    a produção em massa e consequentemente o consumo em massa. Por fim relata as mudanças do advento da reestruturação produtiva tendo como base o modelo de produção toyotista, assim como os paradigmas atuais do saber administrativo e a exigência dos novos modelos de formação e qualificação profissional. O PENSAMENTO TAYLORISTA E FORDISTA Frederick Winslow Taylor (1856 - 1915), um dos nomes mais importantes pensamento da administração, teve uma educação privilegiada. Nascido de uma...

    1753  Palavras | 8  Páginas

tracking img