O saber da arte

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 22 (5330 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
citações de Cézanne


Sobre a cor


o desenho pela cor


“O desenho e a cor não são mais distintos, pintando desenha-se, mais a cor se harmoniza mais o desenho se precisa...Realizada a cor em sua riqueza atinge a forma sua plenitude." Cada toque deve satisfazer uma infinidade de condições Cézanne meditava as vezes por uma hora antes de o executar dizia que cada pincelada deve conter"o ar, a luz, a cor, o objeto, o plano, o caráter, o desenho e o estilo”[1]


cor e o espaço. Ar (carta a Bernard)


Permita-me repetir aqui o que eu lhe dizia: abordar a natureza através do cilindro, da esfera, do cone, colocando o conjunto em perspectiva, de modo que cada lado de um objeto, de um plano, se dirija para um ponto central. As linhas paralelas ao horizonte dão a extensão,ou seja, uma seção da natureza ou, se preferir, do espetáculo que o Pater Omnipotens Aeterne Deus expõe diante de nossos olhos. As linhas perpendiculares a esse horizonte dão a profundidade. Ora, para nós, seres humanos, a natureza é mais em profundidade do que em superfície, donde a necessidade de introduzir nas nossas vibrações de luz, representadas pelos vermelhos e amarelos, uma quantidadesuficiente de azulado, para fazer sentir o ar.
Permita-me dizer que revi seu estudo do andar térreo do ateliê, ele está bom. Creio que o senhor deve prosseguir nesse caminho. O senhor tem a inteligência do que é preciso fazer e chegará logo a virar as costas aos Gauguin e aos [Van] Gogh.[2]


cor e expressão


Ao diabo que duvidem como, casando-se um verde matizado com um vermelho,entristece-se uma boca ou faz-se sorrir uma face.[3]


cor e forma.(por Merleau Ponty)


O desenho e a cor não são mais distintos, pintando desenha-se, mais a cor se harmoniza mais o desenho se precisa... Realizada a cor em sua riqueza atinge a forma sua plenitude.[4]


Sobre a luz


luz como abstração (por frank elgar).


A luz é algo que não se pode reproduzir, mas que sedeve representar por outra coisa, pela cor. Fiquei satisfeito comigo quando descobri isso.[5]

observação: modulação é definir a forma pela cor e não pelo tom.











Luz não existe para o pintor (carta a bernard)

A ÉMILLE BERNARD


Aix, 23 de dezembro de 1904
Aqui está, sem contestação possível - tenho plena certeza: no nosso órgão visual produz-se uma sensaçãoóptica que nos faz classificar como luz, meio tom ou um quarto de tom os planos representados por sensações colorantes. A luz, portanto, não existe para o pintor. Enquanto, forçosamente, você vai do preto ao branco, sendo a primeira dessas abstrações como que um ponto de apoio tanto para o olho como para o cérebro, nós escorregamos, não chegamos a adquirir domínio, a nos possuir. Neste período(repito-me um pouco forçosamente), voltamo-nos para as obras admiráveis que nos foram transmitidas pelos tempos, onde encontramos conforto, apoio, tal como o nadador o encontra na prancha.[6]

Percepção e natureza


percepções confusas (Carta a Henri Gaquet).


No momento continuo a procurar a expressão daquelas sensações confusas que trazemos conosco ao nascer[7]


relação entrenatureza e linguagem.A ÉMILE BERNARD


Aix, 26 de maio de 1904
Mas insisto sempre no seguinte: o pintor deve dedicar-se inteiramente ao estudo da natureza e se esforçar para produzir quadros que sejam lições. As conversas sobre arte são quase inúteis. O trabalho que leva à realização de um progresso no nosso ofício é uma compensação suficiente por não sermos compreendidos pelos imbecis.O literato exprime-se com abstrações, ao passo que o pintor concreto o faz por meio do desenho e da cor, suas sensações, suas percepções. Não somos nem escrupulosos demais, nem sinceros demais, nem submissos demais à natureza; mas somos mais ou menos senhores do nosso modelo e sobretudo dos nossos meios de expressão. Penetrar o que se tem diante de si e perseverar em se exprimir o mais...
tracking img