O romantismo em portugal

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 20 (4758 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]







“Toda grande caminhada sempre começa com um primeiro passo.”







SUMÁRIO




Introdução ............................................................................ 05

Desenvolvimento ..................................................................06

Conclusão .............................................................................20Bibliografia ............................................................................21































Introdução

Esse trabalho aborda o contexto histórico do Romantismo no continente europeu a virada do século XVIII para o século XIX, as revoluções Francesa e Industrial, os principais autores portugueses e brasileiros e o contexto histórico doRomantismo no Brasil, as suas três gerações e a chegada de Dom João VI e da família real e a cultura trazida e deixada até a independência do Brasil.
































Desenvolvimento

– Na Europa, definiu-se como escola literária nos últimos anos do século XVIII e predominou durante a 1ª metade do século XIX.
– Os escritores alemãese os ingleses foram os pioneiros da nova tendência, mas coube aos franceses o papel de divulgar o Romantismo (principalmente no Brasil).
– Período da consolidação da burguesia, que passou a dominar a vida política, econômica e social após a Revolução Francesa e a Revolução Industrial (virada do séc. XVIII para o XIX).
 A burguesia conquistou o apoio popular sob a égide do lemaLiberdade, Igualdade e Fraternidade que traduzia o desejo de romper com os valores aristocráticos, de luta por uma sociedade mais harmônica com propostas de um governo democrático, de igualdade e justiça social, de direitos humanos, de liberdade de todo e qualquer indivíduo.




A realidade das sociedades industriais: mecanização da indústria, maior produtividade, crescimento do mercadoconsumidor, divisão do trabalho, surgimento do operariado. Solidificação do capitalismo. Plano social delineado em duas classes distintas: a classe dominante (burguesia capitalista industrial) e a classe dominada (proletariado).

Progresso Político, Econômico e Social da Burguesia

Romantismo

Baseado na liberdade de criação e expressão, na supremacia doindivíduo, na desobediência aos padrões preestabelecidos (ilustrados e clássicos)


Porta-voz da revolução (mundo novo, mais justo)

rebeldia


O Romantismo foi uma escola “da burguesia, pela burguesia e para a burguesia”, de onde seu caráter profundamente ideológico em favor da classe dominante.




Porém, em pouco tempo, a rebeldia e a euforia cederam aodesapontamento e à frustração diante da pouca repercussão prática dos ideais revolucionários na reformulação das relações sociais.
 
Descrença → Reação
Visão de mundo romântica: reação ao antigo e ao novo!


O espírito romântico opôs: o sentimento e o coração à razão e à mente, a arte e a poesia à ciência, o espiritualismo ao materialismo, a subjetividade àobjetividade, o cristianismo à filosofia ilustrada, a noite ao dia, a expansão e o entusiasmo ao equilíbrio, o isolamento ao convívio social,
os valores individuais aos universais...


A partir da visão idealizada do indivíduo como ser original e singular, dotado de gênio e liberdade, fez a crítica da alienação do homem mergulhado em uma vida cotidiana e medíocre na estrutura da novasociedade burguesa. O Romantismo foi um movimento amplo e apresentou, muitas vezes, características contraditórias.
 
Revolução Francesa e Industrial
Com o final do período clássico, desapareceram os mecenas das artes e surgiu um público consumidor amplo e anônimo, que impôs seu padrão de gosto e suas aspirações e que propiciou o surgimento de uma nova linguagem literária que...
tracking img