O pensamento de bourdieu sobre educacao

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1283 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNEMAT-UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MATO GROSSO
CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP
DEPARTAMENTO DE PEDAGOGIA



SIMONE BEZERRA DA MOTTA





O PENSAMENTO DE PIERRE BOURDIEU SOBRE A EDUCAÇÃO


















SINOP-MT
2012
UNEMAT-UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MATO GROSSO
CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP
DEPARTAMENTO DE PEDAGOGIA




SIMONE BEZERRA DA MOTTA






O PENSAMENTO DE PIERRE BOURDIEU SOBRE A EDUCAÇÃOTrabalho apresentado à professora Márcia Oliveira para fins avaliativos da disciplina de sociologia da educação II, do curso de Pedagogia 2º semestre da Universidade do Estado de Mato Grosso campus universitário de SINOP-MT.







SINOP-MT
2012

INTRODUÇÃO:

Através de alguns conceitos como de capital cultural e de habitus Bourdieu procurouexplicar o papel da educação contemporânea, onde ele coloca que a escola não era uma instituição neutra, que difundiria um conhecimento racional e objetivo e que selecionaria seus alunos com base em critérios racionais, dando igualdade de oportunidades para todos os cidadãos.
A educação na teoria de Bourdieu seria uma das principais reprodutoras e legitimadoras das desigualdades sociais.BREVE HISTÓRICO DA BIOGRAFIA DE PIERRE BOURDIEU (1930-2002)


Pierre Bourdieu nasceu em 1930 no vilarejo de Denguin, no sudoeste da França. Fez os estudos básicos num internato em Pau, experiência que deixou nele profundas marcas negativas. Em 1951 ingressou na Faculdade de Letras, em Paris, e na Escola Normal Superior. Três anos depois, graduou-se em filosofia.Prestou serviço militar na Argélia (então colônia francesa), onde retomou a carreira acadêmica e escreveu o primeiro livro, sobre a sociedade cabila. De volta à França, assumiu a função de assistente do filósofo Raymond Aron (1905-1983) na Faculdade de Letras de Paris e, simultaneamente, filiou-se ao Centro Europeu de Sociologia, do qual veio a ser secretário-geral. Bourdieu publicou mais de 300títulos, entre livros e artigos. Fundou as publicações Actes de la Recherche en Sciences Sociales e Liber. Em 1982, propôs a criação de uma "sociologia da sociologia" em sua aula inaugural no Collège de France, levando esse objetivo em frente nos anos seguintes. Quando morreu de câncer, em 2002, foi tema de longos perfis na imprensa européia. Um ano antes, um documentário sobre ele, Sociologia Éum Esporte de Combate, havia sido um sucesso inesperado nos cinemas da França. Entre seus livros mais conhecidos estão A Distinção (1979), que trata dos julgamentos estéticos como distinção de classe, Sobre a Televisão (1996) e Contrafogos (1998), a respeito do discurso do chamado neoliberalismo.


O PENSAMENTO DE BURDIEU SOBRE A EDUCAÇÃO E SUA FUNÇÃO:


Para construir sua teoria, Bourdieucriou uma série de conceitos, como habitus e capital cultural. Todos partem de uma tentativa de superação da dicotomia entre subjetivismo e objetivismo. Ele acreditava que qualquer uma dessas tendências, tomada isoladamente, conduz a uma interpretação restrita ou mesmo equivocada da realidade social.
Pierre Bourdieu analisa a escola contemporânea, e diz que as instituições de ensino são, defato, instituições conservadoras, que produzem e reproduzem os valores e a cultura específicos da classe dominante, favorecendo, desta forma, àqueles que já possuem, fora da escola, à cultura dominante, ou seja, favorece a própria classe dominante.
Para Bourdieu, a escola é um espaço de reprodução de estruturas sociais e de transferência de capitais de uma geração para outra. É nela que olegado econômico da família transforma-se em capital cultural. E este, segundo o sociólogo, está diretamente relacionado ao desempenho dos alunos na sala de aula. Eles tendem a ser julgados pela quantidade e pela qualidade do conhecimento que já trazem de casa, além de várias “heranças”, como a postura corporal e a habilidade de falar em público. Os próprios estudantes mais pobres acabam encarando a...
tracking img